terça-feira, 22 de junho de 2010

POEIRA DAS ESTRELAS - PARTE 07/12

O NASCIMENTO DAS ESTRELAS

De onde vieram o Sol, a Lua e as estrelas? E nós, habitantes de um planeta tão pequeno diante da imensidão do Universo? Como foi que nós surgimos e hoje podemos estar aqui, tentando entender a origem de tudo?

Domingo passado, a série Poeira das Estrelas terminou de contar a história de uma das descobertas mais importantes de todos os tempos: a origem do Universo. De acordo com a teoria mais aceita pela ciência, o Universo surgiu há 13,7 bilhões de anos. Esse é o modelo do Big Bang: a história moderna da criação.

Foi depois dessa grande explosão que surgiu tudo o que existe no Universo, inclusive o tempo. Nesse momento, o relógio começou a bater. Mas essa é apenas uma parte da história.

De onde vieram o Sol, a Lua e as estrelas? E nós, habitantes de um planeta tão pequeno diante da imensidão do Universo? Como foi que nós surgimos e hoje podemos estar aqui, tentando entender a origem de tudo? O nascimento das estrelas é o nosso assunto de hoje.

Berçários cósmicos

Uma das descobertas mais bonitas da Ciência moderna é de que tudo o que existe na Terra, na Lua e nos outros planetas foi gerado nas estrelas. As pedras, os metais, o carbono dos seres vivos, o oxigênio que a gente respira, tudo. É por isso que somos todos "poeira das estrelas". Mas como isso aconteceu?

Para começar a entender, pense numa fundição: um lugar onde metais são derretidos para assumir novas formas. O ouro, um dos metais mais nobres, é líquido a uma temperatura de pouco mais de 1000ºC. Nessas condições, não tem forma fixa. Mas quando se resfria, pode tomar a forma de barras. Com o Universo, foi parecido.

Imediatamente após o Big Bang, tudo o que existia era uma sopa muito quente de partículas chamadas elétrons, quarks e glúons. Aos poucos, essa matéria começou a esfriar.

Quatrocentos mil anos depois do Big Bang, a matéria já estava fria o suficiente para começar a se agrupar e formar os primeiros elementos: o hidrogênio, que pode ser encontrado na água, e o hélio, o gás que é usado para encher balões.

Formaram-se, então, gigantescas nuvens compostas principalmente de hidrogênio. Durante quase 1 bilhão de anos, isso foi tudo o que existiu no Universo. Ondas de choque do Big Bang ainda ecoavam. A matéria girava, como numa dança cósmica.

Mas chegou um momento em que as nuvens de hidrogênio sucumbiram ao próprio peso e entraram em colapso. A matéria foi ficando cada vez mais quente e densa. E, então, algo incrível aconteceu: nasceram as primeiras estrelas. O nosso Sol é uma estrela, e surgiu há cerca de 4,5 bilhões de anos.

Estrelas como o Sol brilham durante bilhões de anos, gerando luz e calor. Mas, um dia, elas também entram em colapso e morrem. É durante esse fim da vida das estrelas que são formados os outros elementos da natureza, além do hidrogênio e do hélio: o carbono, que está em todos os seres vivos -- no carvão mineral, nos diamantes --, o cálcio dos nossos ossos, o ferro. Tudo isso nasceu nas estrelas.

Você já parou para pensar para onde vão as estrelas durante o dia? Elas não vão para lugar nenhum. Elas estão aí. Só que elas estão ofuscadas pela luz do Sol.

Quando a noite cai, e o céu está limpo, podemos contar as estrelas visíveis: por incrível que pareça, não conseguimos enxergar mais do que 3 mil. Mas, para se ter uma idéia de como o Universo é grande, só na nossa galáxia, a Via Láctea, existem pelo menos 200 bilhões de estrelas.

E em todo o Universo conhecido pelo homem existem 70 sextilhões de estrelas. Ou seja: 70.000.000.000.000.000.000.000. Se lembrarmos que todas as estrelas visíveis no céu não passam de 3 mil, podemos ter uma idéia da imensidão do Universo.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...