sábado, 31 de julho de 2010

Meditação Por Lia Diskin



As palavras de Lia Diskin, especialista em técnicas de meditação, podem soar como heresia aos carolas de espírito curto. Para ela, rezar para Deus ou meditar são caminhos diferentes para atingir o mesmo fim: o encontro consigo mesmo. Mas, diz ela, para atingir o nirvana (o encontro com Deus, a revelação ou qualquer nome que se queira dar ao evento) é preciso adquirir uma postura ética aprofundada, um respeito por todas as pessoas. Além, é claro, de um envolvimento com a oração. A pessoa não pode estar rezando e prestando atenção em quem entra ou sai da igreja.


Nascida na Argentina, Lia formou-se em jornalismo e especializou-se em filosofia budista na Índia, tendo o dalai-lama como um de seus professores. Hoje, aos 50 anos, Lia vive no Brasil e dedica-se a assuntos essencialmente humanitários. É co-fundadora da Associação Palas Athena, um centro de estudos filosóficos sem fins lucrativos, dedicado à educação e à assistência social. Participa ainda do Fundo Mundial para a Natureza (World Wildlife Fund) e coordena o Comitê Paulista da Década da Cultura de Paz, um programa da Unesco.




Super Quais os benefícios da prática da meditação para a saúde, a inteligência e o equilíbrio psíquico?


A meditação reduz a ansiedade, torna a respiração equilibrada e profunda e melhora a oxigenação e a freqüência cardíaca. Seu reflexo no sono é um repouso mais tranqüilo, sem interrupções. Além disso, ela atenua enxaquecas e resfriados, acelera a recuperação no pós-operatório e auxilia a digestão alimentar. No campo psíquico, a prática mantém a pessoa num relativo estado de equilíbrio, com uma lucidez que a impede de entrar em conflitos emocionais internos, principalmente de origem afetiva. Há, por parte de quem a pratica, muito mais clareza mental, objetividade, paciência, compreensão e justiça.


A preocupação com a saúde seria o principal objetivo de quem procura a meditação?


Em grande parte, sim. Mas o que se observa no Ocidente é que as pessoas estão buscando uma conexão maior consigo mesmas. A psicanálise não se mostrou suficiente para atingir esse propósito. Foi um passo extraordinário, sem dúvida, mas não suficiente.


Qual é a relação entre atenção, concentração e meditação?


A meditação, para ser realizada, precisa da atenção e da concentração. Mas a meditação vai além, pois exige certas escolhas prévias: uma postura ética frente ao mundo e um compromisso com uma instância superior a nós mesmos, que pode ser chamada de Deus ou outros nomes. Eu não posso ter uma atitude predatória em relação ao outro. Não posso utilizar a minha vida como uma fonte de sucesso unicamente para mim, a qualquer custo. Se eu não reconheço o semelhante, não posso ser um bom praticante da meditação, porque esse praticante está inserido num universo e o que acontece a esse universo está acontecendo a ele.


Existe uma freqüência ideal para meditar?


A maioria dos grandes meditadores aconselha a prática diária, ainda que por alguns minutos. Dez minutos pela manhã e dez à tarde já são um bom começo. À medida que vamos nos familiarizando com a prática, esse tempo vai aumentando. O importante é manter a periodicidade, até que ela faça parte da nossa vida.


Quais os maiores obstáculos ao aumento da prática no Ocidente?


Segundo os textos clássicos, os maiores obstáculos são a agitação, a dispersão e a superficialidade. No Ocidente, eu me atreveria a acrescentar a preguiça. Numa sociedade que preconiza o resultado imediato, se não se verificam efeitos rapidamente, a preguiça começa a tomar conta.


Os ritos espirituais do Ocidente não tornam a tradição religiosa monótona?


A celebração não é perniciosa nem comprometedora. Um fenômeno extraordinário é a celebração que acontece todos os domingos no Mosteiro de São Bento. Há 20 anos, havia 40, 50 pessoas assistindo. Hoje, num domingo, não se consegue entrar e é o mesmíssimo ritual: o canto gregoriano em latim, o estado de profunda compenetração com cada movimento. O problema não está no rito, mas na maneira como a pessoa está engajada nele ou no comprometimento do participante com a tradição religiosa. Sem isso, o rito se torna totalmente mecânico e automático. O mesmo pode ocorrer na meditação. Se o praticante não estiver atento, ele pode automatizar a prática. A mente, aparentemente, está no ato de meditar: ela percebe as respirações ou visualiza uma imagem, mas, internamente, não há uma entrega. E só o praticante sabe se houve uma inteireza de si mesmo com a prática ou só um estado medíocre. Dá para dizer que 80% das práticas são medíocres. Há ocasiões em que você termina a prática sabendo o que aconteceu, sentindo o regozijo dessa experiência. Por outro lado, há ocasiões em que você cumpriu sua meditação, mas não foi além. Atingir aquilo que se denomina ápice ou cume se é que dá para assim chamar o estado satori nas práticas budistas, na tradição zen, ou o samadhi, nas tradições hinduístas não acontece à vontade: eu vou sentar e vou ter um samadhi. Isso não tem nenhuma consistência.


A oração é um tipo de meditação?


Se a mente está em sintonia com as palavras, sem dúvida. Agora, se por um lado há verbalização e por outro os olhos miram quem entrou na igreja ou saiu dela, não é meditação coisíssima nenhuma.


Quem não medita imagina que, com a meditação, vai ver algo...


Na prática de visualização, sim. Mas nem toda meditação tem como fim uma visualização. Nos exercícios espirituais de Santo Inácio de Loyola, por exemplo, há um repertório de prática de visualização do Cristo a seu lado. Mas uma coisa é visualizar, outra é imaginar. Na imaginação você está se forçando a ver algo que não está vendo e você não consegue dar consistência à imagem interna. Você pode começar imaginando e, de tanto praticar, terá a visão concreta. No entanto, há técnicas meditativas que não têm por fim a visão, mas a devoção, gerar um estado de compaixão e de amorosidade internos. Outras têm por objetivo deter o fluxo dos pensamentos. Os pensamentos ocorrem, mas não há ninguém registrando esses pensamentos.


O conceito de meditação, então, não é único?


Não. A meditação é um recurso de introspecção, de experiência interna. A experiência atual, de um mundo em permanente contato intercultural, pode gerar um novo repertório de práticas. As práticas não são petrificadas: São essas e não haverá nenhuma mais. Não. O processo de espiritualidade acompanha a humanidade e, sem dúvida, terá contornos que hoje não imaginamos.


Nas práticas de meditação é comum a adoção de uma dieta vegetariana. Que relação há entre alimento e meditação?


A disciplina alimentar está muito mais centrada numa atitude interna de desapego ao paladar e satisfação com o necessário, do que no bem-estar físico. Comemos para viver, não o contrário. Mas cada indivíduo tem um metabolismo diferente. Em regiões de baixas temperaturas, é preciso ingerir gordura animal para se proteger do frio. Os beneditinos comem carne e nem por isso têm menos espiritualidade que um vedantino, que é vegetariano. Hitler era vegetariano e não permitia anestesia quando tratava os dentes. Era extremamente disciplinado, mas isso não o impediu de fazer as brutalidades que fez. Não é a coisa externa, o cumprimento de uma regra, que determina a qualidade de um praticante é a sua atitude interna.


Os maiores obstáculos à meditação são a agitação, a dispersão e a superficialidade. No Ocidente, eu me atreveria a acrescentar a preguiça.


Fonte:
Superinteressante
Março 2001




Música para meditar
Aurio Corrá, Aeoliah, Corciolli e outros


AQUI: http://www.alemdoarcoiris.com/MUSICAS/meditacao.htm

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Reiki






Reiki é uma técnica descoberta no Japão no final de 1800 pelo Dr. Mikao Usui.
É uma técnica não invasiva utilizada para a redução do stress e relaxamento, que também promove a cura.
É administrado pela "imposição de mãos" e é baseado na idéia de que uma energia invisível ou força vital flui através de nós, e é o que nos faz estar vivos.
Se alguém está com a energia vital baixa, então está mais propenso a ficar doente ou sentir stress, e se está alta, estamos mais felizes e saudáveis.
A palavra Reiki é composta de duas palavras japonesas: "Rei", que significa "sabedoria de Deus ou o Poder Superior" e "Ki" que é "energia vital". É a energia vital que flui através e em torno de você. Reiki trata a pessoa como um todo, incluindo corpo, emoções, mente e espírito.
Cria muitos efeitos benéficos, que incluem relaxamento e sentimentos de paz, segurança e bem-estar.
Reiki é um método simples, natural e seguro de cura espiritual e auto-aperfeiçoamento e que todos podem usar. Ele tem sido eficaz, ajudando praticamente todas as doenças conhecidas e sempre cria um efeito benéfico. Também trabalha em conjunto com todas as outras técnicas médicas ou terapêuticas para aliviar os efeitos colaterais e promover a recuperação.
Uma técnica extremamente simples de aprender que é transferida para o aluno durante uma aula de Reiki. Essa habilidade é passada por um mestre em Reiki e permite que o aluno se beneficie de um fornecimento ilimitado de "energia da força vital " para melhorar a saúde e melhorar a qualidade de vida.
Sua utilização não depende de uma capacidade intelectual ou do desenvolvimento espiritual e, portanto, está disponível para todos.
Reiki é de natureza espiritual, mas não é uma religião e não tem dogma, e não há nada que você tem que acreditar a fim de aprender e usar. Na verdade, o Reiki não depende de crença e vai funcionar se você acreditar nele ou não.
Dr. Mikao Usui, o fundador do sistema Reiki de cura natural recomenda a prática com ideais éticos para promover a paz e a harmonia, que são conceitos universais em todas as culturas.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

A Arte de Curar Por Wilhelm Kenzler (Antroposofia)




"Ouvir... de verdade, ouvir... a melodia do ser...

Perceber o tema, a essência do humano viver.

Discernir a dissonância do doentio padecer...

Sintonizar o poder do seu sadio querer.

Entender, compreender... bem querer...

Empatizar, se identificar... bem afinar.

Para então... e só então:

Falar, dialogar, diagnosticar

Sugerir, intervir, agir.

Tratar, medicar, operar...

Com clara firmeza e... suave delicadeza,

Com profunda certeza e... harmônica beleza,

Reavivando a verdade; científica, fria, dura,

Com estética, artística... com bondade... com ternura."



Wilheim Kenzler

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Cinesiologia Aplicada



É um sistema de toque para a saúde, cientificamente definido como ciência da ativação muscular, porque utiliza o teste muscular como instrumento principal de acesso às informações no cérebro.

Trata-se de uma terapia de toque criada em 1964, pelo Dr. George Goodheart, quiropata norte-americano. Ele tomou princípios de biomecânica e os combinou a elementos de testes musculares, terapia Chinesa dos meridianos, quiropatia e reflexos osteopáticos, além da bioquímica.

A Cinesiologia Aplicada visa harmonizar os desequilíbrios energéticos do corpo em todos os níveis:
  • Estrutural (relacionado com a anatomia do corpo, especialmente músculos);
  • Químico (relacionado com a ciência da nutrição),
  • Emocional (envolvendo o aspecto psicológico).
Fonte:
Livro A Saúde pelo Toque
John Thie (Touch For Health/TFH)

terça-feira, 27 de julho de 2010

sábado, 24 de julho de 2010

A Cura Vibracional e a Humanidade em Evolução (Dr. Richard Gerber)






Os seres humanos são sistemas dinâmicos de energia que refletem os padrões evolutivos do crescimento da alma.

A consciência humana está constantemente aprendendo, evoluindo e se desenvolvendo.

À medida que a percepção espiritual desse processo dinâmico de mudança torna-se mais disseminado, haverá uma reação em cadeia que transformará toda a espécie humana.

De maneira geral, a maioria das pessoas procura os médicos para tratar de suas doenças e não reflete sobre a necessidade de elas próprias modificarem o seu modo de viver, seus pensamentos e sentimentos, e os seus pontos de vista.

As pessoas precisam assumir a responsabilidade pelo que acontece em suas vidas.



As doenças que nos afligem podem muitas vezes refletir de forma simbólica os nossos estados internos de intranquilidade emocional. embora exista também a influência de fatores externos que produzem efeitos negativos, esses efeitos só conseguem produzir doenças quando há uma suscetibilidade subjacente.



Quando a doença se manifesta, isto é um sinal de que estamos restringindo o fluxo natural da consciência criativa e das energias vitais sutis através de nossos complexos formados por corpo/mente/espírito.

Trata-se de uma mensagem simbólica de advertência indicando que há algo de errado com o sistema.

A área de constrição precisa ser reequilibrada para que se possa alcançar um estado permanente de boa saúde.



O medo e a discórdia são as causas originais de boa parte das doenças, das inquietações e do sofrimento que existe no mundo.



Quando estamos operando nos níveis inferiores de nossa consciência, não enxergamos os nossos temores e os projetamos sobre o mundo, nas pessoas e nas situações ao nosso redor, quando, na verdade, o problema está dentro de nós mesmos.

Quando abrimos o coração e as energias espirituais superiores passam a fluir com mais facilidade através do organismo, esta transformação age como um catalisador para curar, não apenas a nós mesmos, mas também, por ressonância, aqueles qu nos rodeiam.



A reencarnação é um sistema através do qual as almas - que são particularizações da própria energia divina - podem evoluir, aprender, amadurecer espiritualmente, aumentando assim os conhecimentos e a experiência tanto de Deus como das consciências individualizadas que são as almas.

Em virtude da conexão holográfica entre Deus e todos os aspectos da criação, a vasta consciência divina está sempre a par de tudo o que acontece no Universo.



Fonte:
Medicina Vibracional
Uma Medicina para o Futuro
Dr. Richard Gerber

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Cherokee (Mandamentos)







Treat The Earth And All That Dwells thereon With Respect
Trate a Terra e Tudo o que Nela Habita com Respeito
Remain Close To The Great Spirit
Mantenha-se Próximo ao Grande Espírito
Show Great Respect For all Beings
Mostre Grande Respeito por Todas os Seres
Work Together For The Benefit Of All Mankind
Trabalhem Juntos pelo Benefício da Raça Humana
Do What You Know Is Right
Faça o que Você Sabe que é Certo
Look After The Well-being Of Mind And Body
Cuide do Bem Estar da Mente e do Corpo
Dedicate A Share Of Your Efforts To The Greater Good
Dedique uma Parte de Seus Esforços para o Bem Maior
Be Truthful And Honest At All Times
Seja Sempre Verdadeiro e Honesto
Take Full Responsibility For Your Actions
Assuma Total Responsabilidade por Seus Atos

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sequência Fibonacci / Natureza dos Números / Proporção Áurea / Triângulo de Pascal / Divina Proporção


Dentre todos os mistérios da Matemática, a sequência de Fibonacci é considerada uma das mais fascinantes descobertas da história.

A sequência de números proposta pelo matemático italiano Leonardo de Pisa, mais conhecido como Fibonacci, possui o numeral 1 como o primeiro e o segundo termo da ordem, e os elementos seguintes são originados pela soma de seus dois antecessores, observe:

1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233, 377, 610, 987, 1597, 2584, 4181...

Analisada como uma sequência numérica, ela não passa de uma simples organização de numerais que recebem um toque de lógica matemática.


Mas o que faz dessa ordem de números, uma descoberta especial, é a sua ligação com os fenômenos da natureza e o valor aproximado da constante 1,6 , quociente da divisão entre um número e seu antecessor na sequência, a partir do número 3.

Os grandes estudiosos sempre procuraram a proporção ideal a ser aplicada nas construções e nas artes.


E foi com esse propósito que os gregos criaram o retângulo de ouro e os egípcios construíram suas pirâmides.

O retângulo obedecia a uma relação entre o comprimento e a largura, sendo a divisão entre eles, igual a 1,6.

Esse quociente também era registrado entre as pedras utilizadas na construção das pirâmides, considerando que a pedra inferior seria maior que a superior.

Nesse caso, a divisão entre elas também seria 1,6, pois esse valor era considerado um símbolo de perfeição nas construções, chegando a receber o nome de divina proporção.

Fibonacci surge por volta do ano de 1200 estabelecendo a famosa sequência.


Ao observar a beleza da natureza, descobriu a divina proporção em várias plantas, como por exemplo, a espiral da folha de uma bromélia.

A espiral cresce na mesma medida que o retângulo de ouro, obedecendo a proporção de 1,618.

Os retângulos aumentam suas áreas de acordo com a sequência de Fibonacci.


Todos eles possuem medidas exatas de acordo com a divina proporção.

Na natureza, observamos a sequência em outras situações, como as espirais de um caracol que aumentam de acordo com a divina proporção.

A proporção entre as abelhas fêmeas e machos de uma colmeia, também é respeitada a proporção de ouro.

Os artistas Michelangelo e Leonardo da Vinci aplicaram em suas obras a proporção de ouro, enfatizando em suas artes o número constante 1,6.


Da Vinci observou a presença do número de ouro no corpo humano, realizando as seguintes medições:

Altura da pessoa dividida pela altura do umbigo em relação ao solo.
Medida inteira da perna dividida pela altura do joelho até o solo.
Medida do braço inteiro divida pelo tamanho do cotovelo até o dedo.
Medida do dedo inteiro dividida pelo tamanho da dobra central até a ponta.


Fonte:mundoeducacao

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Tocando em Frente (Almir Sater e Renato Teixeira)




Tocando em Frente

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso,
porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte,
mais feliz quem sabe
Eu só levo a certeza de que
muito pouco eu sei,eu nada sei
Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir
Todo mundo ama um dia
todo mundo chora
um dia a gente chega
no outro vai embora
cada um de nós compõe a sua história
e cada ser em si
carrega o dom de ser capaz
de ser feliz

Composição:
Almir Sater e Renato Teixeira


terça-feira, 20 de julho de 2010

ANAM CARA é uma expressão celta que significa AMIGO DA MINHA ALMA




Há duas maneiras de interpretar o Anam Cara:

Neste plano fenomênico de manifestação densa,
Anam Cara é aquela pessoa
com a qual você poderá contar em qualquer ocasião,
mesmo quando todos tiverem voltado as costas para você.

E mais:
é aquela pessoa
à qual você pode abrir o coração com confiança.

Quando você pensa nela,
seu coração brilha mais.

Você sabe que ela existe
e está no mesmo plano que você.

Sabe que ela é valiosa e que,
só de ver você,
já sabe como você está,
pois lhe conhece profundamente,
além das aparências.

Ela sabe sentir você em espírito!

Em outros planos mais sutis,
Anam Cara é o anjo amparador,
aquela consciência extrafísica
que lhe ajuda invisivelmente.

Anam Cara é o anjo
que lhe conhece desde sempre.

Sabe dos seus dramas
e de seus acertos ao longo dos tempos.

Pode até
ter vivido
momentos no passado junto com você,
tanto em presença real
quanto extrafísica.

No momento
este anjo
está em outra condição vibracional.

Mas não esqueceu de você!

Muitas vezes,
ele mergulha
nos planos mais densos
para lhe apoiar invisivelmente.

Você não percebe sua presença,
mas ele vela secretamente
pelo seu progresso.

Ele não é uma divindade,
é apenas o seu anjo invisível,
um Anam Cara extrafísico.

O Anam Cara poderá ser o seu filho,
seu parceiro,
seu irmão,
seu pai,
sua mãe,
seu parente,
ou apenas um amigo
que você conheceu ao longo da vida.

Então,
o coração não falará mais ao coração
no silêncio de uma vibração silenciosa
trocada no olhar da alma.

Haverá apenas
o olhar que percebe o convencional,
e que se perde nele
em meio à dor
de tentar achar o Anam Cara
aonde ele não está.

Sentir alguém
que é um Anam Cara em sua vida,
seja ele o irmão,
o amigo ou o parceiro,
é sentir-se acompanhado na existência
por uma alma brilhante!

É viajar
pelo denso enganoso
acompanhado de alguém
que também vê algo além...

É sentir-se ligado em alma,
dentro do coração!

O Anam Cara é seu refúgio
dentro da loucura em volta.

É o porto
que a nave de seu coração
gosta de aportar
em meio à tempestade.

Pense numa canção
que lhe fala ao coração.

Ao ouvi-la,
você lembrará de muitas coisas.

O Anam Cara é semelhante à essa música.

Quando você lembra dele,
o coração viaja...

Ele pode ser seu amigo,
amparador,
irmão ou parceiro.

Tanto faz.

O que vale mesmo
é que ele é uma riqueza
que você achou no mundo.

O Anam Cara é isso: um amigo d'alma.

Nesse aspecto,
o TODO é o amigo d'alma de todos os seres.

E como o TODO está em tudo,
Ele também está nos amigos d'alma,
desse e de outros planos.

Pode-se gostar de alguém em vários níveis:
mental,
emocional,
ou energético.

Porém,
a ligação do Anam Cara
transcende esses níveis
e chega ao espírito.

Por isso,
os celtas antigos
reverenciavam
o conceito de Anam Cara.

Para eles,
tratava-se de uma riqueza sem paralelos.

E eles sabiam
que as ligações
que não são em espírito e verdade,
são apenas
manifestações temporárias
e irrisórias
ao sabor dos pensamentos,
emoções
e energias do momento.

Para eles,
o real sempre foi o espírito eterno,
não a bruma que dificulta a percepção.

Por isso, os poetas cantavam:

Oh, Anam Cara!
Muitos outros vieram,
Mas só sinto sua presença sagrada.

Só escuto a sua canção.

Ali está o sol,
Mais tarde virá a lua.

Mas, só me importa a sua canção.

O Anam Cara é isso:
uma riqueza sem paralelos.

Só o coração é que sabe!

Só ele é que sente!

Quando o CORAÇÃO fala ao CORAÇÃO,
não há mais nada a dizer.

O Anam Cara é um presente da vida ao coração.

Sua ligação não vem da Terra,
mas de Deus!

Que as pessoas conscientes
possam reconhecer
o Anam Cara
pelo CORAÇÃO!


ANAM CARA é uma expressão celta que significa
AMIGO DA MINHA ALMA ou AMIGO D’ALMA
Wagner Borges

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Dios es Amor (Poesia de Daniel Nuño)



Dios es Amor, Verdad inconfundible.
Dios es Amor. Y es tal su inmensidad,
que ante su Amor no existe el imposible,
y al pecador le ofrece eterna Paz.

Indigno soy de que El en mí pensara.
Yo sé que no merezco su perdón.
Mas con su Amor me limpia y fiel me ampara.
Su Gracia tengo cual precioso don.

Dios es Amor, y lo es, de tal manera,
que a Su Hijo dio por mi alma redimir,
y en cruz murió para que yo tuviera
en su mansión, eterno porvenir.

Dios es Amor. Mas lo que no comprendo,
es que el mortal rechace su Bondad.
Desprecie el don de Dios, y esté escogiendo
su perdición por propia voluntad.

Dios es Amor, y mi alma lo celebra
dando alabanzas a mi Salvador.
Por su Bondad cambió mi suerte negra,
y hoy brilla en mí la lumbre de su Amor.





Daniel Nuño

domingo, 18 de julho de 2010

O Universo Acelerado (Por Marcelo Gleiser)




Poucos físicos imaginariam uma teoria em que o cosmo é dominado pela energia do espaço vazio



Quando alguém me diz que não existem surpresas em ciência, penso sempre na descoberta da aceleração cósmica. Em 1998, dois grupos de astrônomos pesquisavam supernovas em galáxias distantes. Supernovas, é bom lembrar, são explosões extremamente dramáticas que marcam os momentos finais de estrelas com massas muito altas (as de tipo II) ou as que existem em pares, onde uma absorve a massa da outra (as de tipo I).

As supernovas que interessavam aos astrônomos eram as de tipo I. Essas explosões são todas parecidas, como se fossem o mesmo tipo de fogos de artifício: quando se vê uma se vê todas. Isso permite aos astrônomos determinar distâncias até as estrelas e, portanto, até as galáxias que as abrigam. Supernovas são como marcos cósmicos que podem ser usados para determinar distâncias de milhões de anos-luz.

Ao examinar a luz proveniente das supernovas, ambos os grupos determinaram que as galáxias se afastavam de nós com velocidades bem maiores do que o esperado.

Claro, sabia-se já que o Universo em expansão implica no afastamento das galáxias. Mas até então, este afastamento ocorria com uma velocidade proporcional à distância. O que se observou foi um distanciamento acelerado, bem mais rápido do que o esperado. O Universo, parece, está com pressa de crescer.

Qual poderia ser a causa disso?

Einstein, em 1917, havia mostrado que era possível criar uma aceleração cósmica com a inserção de um termo extra em suas equações que descrevem a geometria do Universo.

Ele não explicou de onde vinha esse termo, que ficou conhecido como "constante cosmológica".
Seu efeito, literalmente, é criar uma espécie de repulsão no espaço, que cresce exponencialmente rápido.

Com a física moderna, a origem desse termo ficou mais clara. Segundo a física quântica, que descreve o comportamento de átomos e partículas subatômicas, nada é absolutamente estável: tudo vibra, especialmente as menores partículas de matéria. Dado que o movimento está relacionado com a energia, essa vibração intrínseca implica que não existe uma energia zero: mesmo no espaço vazio existe uma vibração, onde partículas de matéria podem surgir do "nada" e retornar a esse nada como bolhas numa sopa em permanente ebulição. Ou seja,
na física moderna, o vácuo não é vazio.
Apesar de ainda não conhecermos a causa da expansão acelerada do Universo, temos um nome para ela: energia escura. Sabemos que ela corresponde à 73% da energia total que preenche o cosmo, sendo portanto sua contribuinte mais importante. Muito mais do que a matéria comum, feita de prótons e elétrons, que contribui em apenas 4%.

Seria realmente fascinante se a energia escura fosse de fato consequência da energia do vácuo: neste caso, o nada determinaria o comportamento do Universo.
Retornando ao tema inicial, antes de 1998 poucos físicos iriam supor que o Universo seria dominado pela energia do vazio ou algo semelhante. A descoberta foi submetida a um escrutínio detalhado, como deve sempre ocorrer em ciência. E tudo indica que a energia escura está aqui para ficar. O que prova que o cosmo é muito mais estranho do que poderíamos imaginar.






Fonte:
Jornal Folha de São Paulo
De 18/julho/2010

Marcelo Gleiser

sábado, 17 de julho de 2010

O que é Antroposofia?



Antroposofia, do grego "conhecimento do ser humano", introduzida no início do século XX pelo austríaco Rudolf Steiner, pode ser caracterizada como um método de conhecimento da natureza do ser humano e do universo, que amplia o conhecimento obtido pelo método científico convencional, bem como a sua aplicação em praticamente todas as área da vida humana.


1. Abrangência

Ela cobre toda a vida humana e a natureza - daí suas aplicações em praticamente todas as áreas da vida. A mais popular dessas realizações práticas, a Pedagogia Waldorf, que desde 1919 representa uma revolução em matéria de educação, tem seus resultados visíveis em mais de 1.000 escolas no mundo inteiro (25 no Brasil) e pode ser examinada por qualquer um – basta visitar uma delas.

2. Edifício conceitual


Ela é apresentada sob forma de conceitos que se dirigem à capacidade de pensar e à sede de conhecimento e compreensão do ser humano moderno.

3. Espiritualismo


Por seu método ela chega ao fato de que o universo não é constituído apenas de matéria e energia físicas, redutíveis a processos puramente físico-químicos. Ela descobre um mundo espiritual, estruturado de forma complexa em vários níveis. Por exemplo, os seres humanos têm um nível de "substância" espiritual, não-física, mais complexa do que a das plantas e dos animais, daí sua distinção em relação a eles. Ela também descreve seres puramente espirituais, que não têm expressão física, e que atuam em vários níveis diferentes de espiritualidade. Alguns desses seres estão em níveis acima dos da constituição humana, mas nem por isso deixam de ser compreensíveis por um pensar abrangente e perceptíveis conscientemente por meio de uma observação direta supra-sensorial.

Para a Antroposofia a substância física é uma condensação da "substância" espiritual, não-física. É, portanto, um estado do "ser" espiritual. Se formos tanto ao microcosmo das "partículas" atômicas e sub-atômicas, como ao macrocosmo das estrelas e galáxias, começamos a penetrar diretamente no mundo não-físico. Nesse sentido, a Antroposofia representa um monismo: para ela não existe o paradoxo do espírito atuar na matéria; ele é a origem de tudo.

4. Antropocentrismo


Ela parte da compreensão do ser humano para ele entender não só a si próprio como a todo o universo. Para ela, o ser humano gerou, na sua evolução, o mundo dos animais. Estes são especializações evolutivas do ser humano, que representa a razão de ser do universo físico, dele também dependendo a evolução do mundo espiritual.

5. Desenvolvimento de órgãos de percepção supra-sensorial


A Antroposofia demostra que o mundo espiritual pode ser observado com tanta (na verdade, maior) clareza com que se observa o mundo físico. Para isso, é necessário que se desenvolvam individualmente órgãos de percepção que jazem latentes em todos os seres humanos, sendo nesse sentido indicados exercícios de meditação individual. Aquilo que se denomina normalmente de "intuição" já é, para a Antroposofia, uma percepção espiritual. No entanto, ela não é consciente e nem auto-controlada, como devem ser as observações espirituais adequadas ao homem moderno, que deseja absorver idéias com a compreensão de seu pensamento, fazer observações próprias e não ter crenças e crendices.

A meditação antroposófica baseia-se na atividade do pensamento consciente, que deve conservar sua clareza, ser totalmente controlado e ser desenvolvido a ponto de não depender de conceitos e imagens provenientes do mundo físico. Veja um texto sobre meditação e exercícios colaterais e o texto de uma palestra sobre meditação de H. Zimmermann, um dos diretores da Sociedade Antroposófica Geral, do Goetheanum. Veja também o texto de uma palestra de Steiner onde ele enfatiza a necessidade de se manter o pensamento consciente em qualquer ato cognitivo, inclusive na vidência supra-sensorial.

6. Desenvolvimento da consciência, da auto-consciência, da individualidade e da liberdade


A Antroposofia preconiza que essas quatro características humanas (a primeira temos parcialmente em comum com os animais) devem ser radicalmente preservadas e mesmo desenvolvidas.

7. Cosmovisão aberta


Toda a obra de R.Steiner (ele publicou 40 livros e deu cerca de 6.000 palestras agrupadas em 270 volumes) e de seus continuadores está publicada. Não há absolutamente nada de secreto na Antroposofia.

8. Perspectiva histórica


A Antroposofia fornece uma grandiosa perspectiva para a evolução da Terra e do ser humano, abrangendo todo o passado histórico e pré-histórico. Através dela pode-se conceitualmente compreender muito do que foi transmitido na antigüidade através de imagens como as dos mitos antigos e os relatos no Velho e Novo Testamentos (em particular, do ser cósmico Cristo e sua manifestação), passando pela filosofia grega, os movimentos heréticos, a Idade Média, a Renascença e até os movimentos materialistas modernos. Assim, ela resgata a continuidade histórica, mostrando como o ser humano atual é a conseqüência de uma linha de acontecimentos espirituais e físicos desde os primórdios do universo.


9. Renovação da pesquisa científica


A Antroposofia indica como ampliar a pesquisa científica tornando-a mais humana e mais coerente com a natureza, tendo obtido ótimos resultados no desenvolvimento de medicamentos, na compreensão dos animais e plantas, etc. Nesse sentido, ela deve ser considerada como uma evolução do método científico estabelecido por Goethe. Em particular, sua Teoria das Cores foi estendida e melhor conceituada a partir de pesquisas científicas feitas e publicadas por antropósofos.

10. Desenvolvimento moral


A Antroposofia recomenda um desenvolvimento moral que deve ser feito pessoalmente, fundamentado no conhecimento da essência do ser humano e do universo. Para ela, o desenvolvimento moral baseado em um amor altruísta é a missão do ser humano na presente Terra. As atitudes morais devem preservar a liberdade individual, isto é, não devem ser baseadas em imposições exteriores de mandamentos, dogmas e leis, mas irradiar do amor e do conhecimento individuais em plena liberdade.



Fonte:
Site Sociedade Antroposófica do Brasil
Por Valdemar W. Setzer

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Cura Através do Campo de Energia Humana (Barbara Brennan)


Cura de si mesmo significa transformação de si mesmo.


O silêncio da mente faz alargar as percepções e o foco passa a ser o equilíbrio da vida.


A percepção do Campo de Energia Humana demanda estudo, prática e também crescimento pessoal.


Através de mudanças internas que aumentam a sensibilidade, de modo que se possa diferenciar entre ruídos internos e as sutis informações que se recebe todo o tempo, e, que só podem ser perfeitamente percebidas pelo silenciamento da mente.


Há então, a expansão dos cinco sentidos habituais em níveis supersensoriais.


A maioria das pessoas possui a alta percepção sensorial sem percebê-la necessariamente, e faz parte do processo de transformação da consciência, nesse processo as informações são recebidas em uma frequência diferente e possivelmente mais elevada.


Compreendendo a relação entre causa e efeito, vemos que nossos pensamentos (de acordo com a nossa estabilidade mental, emocional e psicológica) influem em nossos campos de energia, os quais, por sua vez, influem em nosso corpo e na nossa saúde.


Descobrimos, então, que podemos dirigir nossa vida e nossa saúde. Descobrimos, também, que criamos nossa própria experiência da realidade através desse campo.


Nossos atos e sistemas de crenças nos afetam e nos ajudam a criar a nossa realidade, para melhor ou para pior.


Assim que enxergamos isso, compreendemos que temos o poder de alterar as coisas de que não gostamos e de apreciarmos as que gostamos. Não é um caminho fácil, exige coragem, busca pessoal, trabalho diário e sinceridade, mas é, sem sombra de dúvida, um caminho que nos é muito valioso.


E quando lidamos com o significado mais profundo de nossas enfermidades, teremos que perguntar: o que é que essa doença significa para mim? O que eu posso aprender com ela?


O organismo humano não é apenas uma estrutura física feita de moléculas, o Campo de Energia Humana é o meio por cujo intermédio têm lugar as nossas criações, e pode ser, portanto, a chave para descobrir como ajudamos a criar a nossa realidade e como podemos modificá-la, se assim o desejarmos.


Torna-se o meio pelo qual encontramos maneiras de chegar ao interior do nosso ser mais profundo, a ponte para a nossa Alma, para a centelha do Divino que cada um tem dentro de si.


Fonte:
Livro Mãos de Luz
Barbara Ann Brennan

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Entrevista de Eckhart Tolle a Jenny Simon (parte)



Uma Nova Espécie de Seres Humanos/Novo Estado de Consciência


Jenny Simon – Então, de certa forma, pode-se dizer, que você é uma espécie de necessidade da evolução?


Eckhart Tolle – Sim, na realidade é isto que está acontecendo. É quase como se a espécie estivesse se tornando algo novo, uma nova espécie está evoluindo da velha. E, novamente, não é algo do ego, dizendo: “Eu sou da nova espécie” (riso). Mas sim, é bem como se uma nova espécie estivesse chegando, e está chegando porque a velha espécie não é mais capaz de sobreviver, a menos que mude.


Jenny Simon – E você pode descrever a nova espécie, quais seriam suas características?

Eckhart Tolle – A nova espécie não necessita de inimigos, drama ou conflito para dar-lhe um sentido de identidade e assim, torna-se livre, em grande escala, do conflito e do sofrimento causado pelo homem, que é uma característica da velha consciência. Buda teve uma bela perspectiva disso, quando disse, para descrever o estado de consciência da liberação, que ela é livre do sofrimento – você não sofre mais. Pode ainda haver dor, porque enquanto houver corpo físico haverá dor, você pode ter uma dor de dente. Mas o sofrimento psicológico é causado pela entidade do eu na cabeça. Você não mais causará sofrimento para si próprio através das estruturas do pensamento. E quando você não mais causa sofrimento para si, não mais causa sofrimento para outros. A interação entre seres humanos não será mais coberta pelo medo, como é agora – o medo e o desejo, dois movimentos de estado inconsciente.

A interação humana será caracterizada pelo AMOR e COMPAIXÃO. E o amor não será do tipo “Preciso de você, não ouse abandonar-me, porque eu não sei o que vou fazer se você me deixar”, o amor da chamada velha consciência. Amor é simplesmente reconhecer o outro como sendo você próprio. O reconhecimento da unidade é amor. E todas as interações, quando se reconhece o outro como você próprio, não mais acontecem através da formação de uma imagem, uma identidade da forma, de quem aquela pessoa é. E porque você vai além da identificação da forma em si própria, não mais constrói pequenas armadilhas e pequenos conceitos de outras pessoas… então o amor reina.

Não se pode conceber como seria o mundo se uma grande parte da humanidade vivesse nesse novo estado de consciência. Eu não faço, geralmente, considerações sobre esse fato. Minha suposição sobre isso é de que não seria possível reconhecer a estrutura da natureza humana. Seria muito diferente. Potencialmente este planeta poderia ser o paraíso – é um paraíso, mas as pessoas se esforçam muito para torná-lo um inferno, contudo ainda é um belo paraíso. Não estou dizendo que no nível da forma não haverá limitação, sim, as formas ainda vêm e vão. Mas ainda assim a harmonia é possível, viver em harmonia com a natureza. Viver em um estado de amor, amando a essência de cada forma, pois a vida se manifesta através de milhões de formas de vida. Amando uma vida da qual milhões de formas são manifestações temporárias, amando-as como a si próprio, sendo elas – esse é o NOVO ESTADO DE CONSCIÊNCIA.


Eckhart Tolle é autor dos livros:



O Poder do Agora
O Despertar de uma Nova Consciência
O Poder do Silêncio
Em Harmonia com a Natureza

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Mensagem de Emmanuel/Chico Xavier



"Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo,
mas qualquer um pode recomeçar e fazer um novo fim."

Emmanuel/Chico Xavier

terça-feira, 13 de julho de 2010

O Nascimento da Medicina Vibracional (Dr. Richard Gerber)




"A medicina ortodoxa começou a estudar gradualmente o emprego de energia para o tratamento de doenças.

As aplicações incluem o uso de radiação no tratamento do câncer, de eletricidade para aliviar a dor e reduzir o tamanho de tumores, de campos eletromagnéticos para apressar a cura de ossos fraturados e de campos magnéticos para aliviar a dor e a inflamação produzidas pela artrite.

O corpo físico possui certos laços de realimentação elétricos autocurativos, tais como as "correntes de lesão", que tendem a promover a regeneração celular depois de o corpo ter sido mutilado.

Talvez haja sistemas eletrônicos semelhantes a semicondutores entre as células e dentro delas, os quais participariam dos processos normais de crescimento e reprodução celulares.

A ciência está desenvolvendo rapidamente novas tecnologias de formação de imagens, tais como a tomografia computadorizada, a tomografia por emissão de pósitrons e a formação de imagens por ressonância magnética, as quais proporcionam ao médico novas janelas para o conhecimento da estrutura e função do cérebro e do corpo.

Certos sistemas fotográficos Lirlian foram capazes de demonstrar de forma consistente um fenômeno conhecido como Efeito da Folha Fantasma, o qual talvez seja o que mais se aproxima de uma fotografia do corpo etérico de um organismo.

Tanto o sistema Kirlian quanto os aparelhos de formação de imagens por ressonância magnética têm a capacidade de visualizar importantes fenômenos celulares e bioenergéticos porque produzem frequências que ressoam com os componentes naturais celulares e energéticos do corpo.

Talvez um dia seja possível criar um aparelho semelhante a um tomógrafo computadorizado que possa produzir imagens de todo o corpo etérico.

( O corpo etérico é um molde holográfico de energia que orienta o crescimento e o desenvolvimento do corpo físico. Distorções no padrão normal de organização da energia sutil no molde etérico podem resultar num crescimento celular anômalo. Pelo que se sabe a respeito do corpo etérico, nele as doenças se manifestam semanas ou meses antes de seus sintomas se tornarem visíveis no corpo físico ).

Essas imagens de cortes transversais poderiam então ser unidas por computador para criar uma representação tridimencional do corpo etérico.

A base desse sistema poderia ser um gerador de frequência que estimularia o corpo etérico através de uma frequência de energia ressonante subarmônica, a qual teria a capacidade de excitá-lo a fim de produzir efeitos ressonantes eletromagnéticos.

Um aparelho desses poderia detectar perturbações no corpo etérico antes que elas se manifestassem na forma de alterações celulares significativas no corpo físico."


Fonte:
Livro Medicina Vibracional
Uma medicina para o futuro
Richard Gerber

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Almas...desperdiçam tempo...pondo a culpa...


Almas demais despediçam tempo e energia pondo a culpa dos erros do mundo em todas as outras pessoas, em vez de reconhecerem que podem fazer alguma coisa de útil pelo todo se começarem pondo em ordem dentro de si mesmas.

Ponha ordem em sua casa.

Quando uma pedra é lançada no meio de um lago, ondinhas se espalham para as margens, mas tudo começa com aquela pedra, tudo começa daquele centro. Comece em si mesmo; você pode irradiar PAZ, AMOR, HARMONIA e COMPREENSÃO para TODOS que estão à sua volta.

Ponha-se em AÇÃO.

Se você deseja ver um mundo melhor, faça algo a respeito e não fique apontando o dedo para as outras pessoas: recolha-se e questione o seu coração, endireitando os seus erros e encontrando a resposta dentro de si mesmo.

Só então você será capaz de seguir em frente com autoridade e de dar uma real ajuda para o seu próximo e para todas as almas com as quais você entrar em contato.

As mudanças começam no indivíduo e depois se espalham para a comunidade, para a cidades, para a nação e para o mundo.



Fonte:
Abrindo Portas Interiores
Eileen Caddy
Fundação Findhorn
Escócia

Cura Vibracional / Centro Espírita Nosso Lar

sábado, 10 de julho de 2010

Voce Pode Curar Sua Vida / Filme (Louise Hay)




Você Pode Curar Sua Vida é a história de uma linda jovem com profundas feridas emocionais que tomou a decisão de transformar sua vida e transcender a baixa auto-estima.


Ao encarar o seu passado e entender as raízes do seu sofrimento, ela transformou o ódio por si mesma em amor e aceitação.


Essa jovem chamava-se Louise Hay.


Depois do sucesso de "Quem Somos Nós?" e "O Segredo", a autora best-seller Louise Hay transforma um dos livros de auto-ajuda mais vendidos da história editorial em mais uma superprodução de cinema de bem-estar.


Baseado no livro que vendeu mais de 35 milhões de cópias e foi traduzido para 29 idiomas, Você Pode Curar Sua Vida conta também com a participação especial de Esther e Jerry Hicks, autores de "A Lei Universal da Atração" e "Peça e Será Atendido".


E também depoimentos de Gregg Braden e muitos outros cientistas e terapeutas curadores. 


Misturando episódios dramáticos com depoimentos de alguns dos autores e professores mais conhecidos na área de bem-estar, o filme lhe ensinará como curar suas feridas emocionais e psicológicas e assim curar sua vida.


Através de lições práticas e dramatizações comoventes, você aprenderá como usar afirmações positivas para transformar a sua auto-estima, seus relacionamentos, sua saúde, suas finanças e sua carreira.


Um filme para parar de sofrer, curar suas feridas e viver a vida plena que voce merece!



Embarque nessa jornada de cura!


Ou... Segue abaixo o filme, em 10 partes!


Clique abaixo, à direita, em postagens mais antigas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...