quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Fenomenologia




A Fenomenologia é, em sentido lato, uma escola filosófica fundada por Edmund Husserl.




Num sentido mais estrito, é uma disciplina da filosofia que estuda os objetos e as estruturas da consciência purificada ou transcendental, da consciência cognitiva, e não da consciência individual ou empírica, à qual se reporta a psicologia.


Trata-se, portanto, de uma investigação sobre a consciência em geral, comum a todos os sujeitos cognitivos plenos, independentemente das idiossincrasias psicológicas de cada um.

Toda consciência é consciência de alguma coisa. Assim sendo, a consciência não é uma substância, mas uma atividade constituída por atos (percepção, imaginação, especulação, volição, paixão, etc), com os quais se visa algo.

As essências ou significações (noema) são objetos visados de certa maneira pelos atos intencionais da consciência (noesis). A fim de que a investigação se ocupe apenas das operações realizadas pela consciência, é necessário que se faça uma redução fenomenológica ou Epoché, isto é, coloque-se entre parênteses toda a existência efetiva do mundo exterior.

Na prática da fenomenologia efetua-se o processo de redução fenomenológica o qual permite atingir a essência do fenômeno.

As coisas, segundo Husserl, caracterizam-se pela sua não finalização devida, pela possibilidade de sempre serem visadas por noesis novas que as enriquecem e as modificam.

Já Immanuel Kant diz que fenômeno que é de fato fenômeno, deve possuir duas propriedades elementares: Caracterizar-se no tempo e no espaço. No tempo, através da aplicação das categorias do entendimento a priori (uma dedução lógica da coisa) e em seguida a posteriori (o que pode ser identificado "positivamente" quanto a este objecto). Com a coisa inserida em um contexto temporal e espacial, está apta a receber todos os componentes da ciência a fim de estuda-la. E, para a aplicação dos diversos juízos da ciência (sintético/a priori; analítico/a posteriori), deve existir o ser que transcenda a ciência, o objecto e a terra.

No meio acadêmico da Física, o termo fenomenologia geralmente é usado em trabalhos que tentam explicar fenômenos experimentais a partir de teorias bem conhecidas ou de hipóteses e modelos específicos que não partem de uma teoria

Fonte:
Wikipédia




Tratado científico sobre a descrição e classificação dos fenômenos, que se propõe a ser uma ciência do subjetivo, dos fenômenos e dos objetos como objetos.

Fenomenologia deriva das palavras gregas: "phainesthai" que significa "aquilo que se mostra", e "logos" que significa "estudo", sendo, etimologicamente, então: "o estudo do que se mostra".

Na filosofia de Edmund Husserl é o método de apreensão da ESSÊNCIA absoluta das coisas.

A fenomenologia tem como objeto de estudo o próprio fenômeno, isto é, as coisas em si mesmas e não o que é dito sobre elas, assim sendo a investigação fenomenológica busca a consciência do sujeito através da expressão das suas experiências internas. A fenomenologia busca a interpretação do mundo através da consciência do sujeito formulada com base em suas experiências.

O método fenomenológico consiste em mostrar o que é apresentado e esclarecer este fenômeno.
Para a fenomenologia um objeto é como o sujeito o percebe, e tudo tem que ser estudado tal como é para o sujeito e sem interferência de qualquer regra de observação cabendo a abstração da realidade e perda de parte do que é real, pois tendo como objeto de estudo o fenômeno em si, estuda-se, literalmente, o que aparece.
Para a fenomenologia um objeto, uma sensação, uma recordação, enfim, tudo tem que ser estudado tal como é para o espectador.

Fonte:
euniverso fenomenologia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...