sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

A Doença Como Caminho (Thorwald Dethlefsen e Rudiger Dahlke)


A influência das emoções na gênese das doenças deixou de ser considerada mais uma crendice popular ou coisa do gênero.

Já existe (faz um bom tempo) um ramo da Medicina dedicando-se a este estudo, com base em comprovações científicas.

Por que ficamos doentes?

Todo sintoma diz algo a respeito das nossas carências mais profundas ou, ainda, aponta um caminho para a solução de problemas emocionais que não conseguimos resolver de outra forma.

Este processo acontece fora do nível da consciência e pode ser descrito também como a somatização das nossas emoções.

Quantas vezes engolimos nossa raiva, nossa indignação, por medo de afrontar e/ou magoar alguém?

E lá vêm a úlcera, os problemas digestivos, a garganta inflamada.

Aquelas mágoas antigas que vão nos envenenando a alma pouco a pouco, o perdão que negamos (às vezes a nós mesmos) podem transformar-se em nódulos, tumores, câncer.

Outras vezes encontramos na doença, e até na morte, uma saída honrosa para fugir da vida que nos oprime, deprime, desgosta.

Falta coragem para enfrentar ( e mudar) situações como casamentos infelizes, empregos horríveis, existências dolorosas.

Resultado: derrames, enfartes fulminantes, morte súbita, acidentes fatais.

A Donça como Caminho mostra que somos seres integrados, inteiros, às vezes vítimas de nós mesmos, mas sempre capazes de conquistar uma boa saúde por meio do auto-conhecimento.

Conhece-se a ti mesmo; mente são em corpo são; lembra?

As verdades eternas estão aí para nos mostrar que, ou buscamos caminhos naturais - e saudáveis - para lidar com as nossas emoções mal resolvidas, ou escolhemos a doença como caminho.

Faça a sua escolha.


Fonte:
resumos net saber
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...