quinta-feira, 10 de março de 2011

"Dona Culpa"... Conhece ela? Pois é...'tava aqui em casa...



Cheguei...
Entrei em casa...
E quem é que estava lá? Sentadinha no sofá...com o controle na mão?
O controle da T.V....é...até poderia ser...mas não...era o controle sobre mim...
Pois é...
Ela...
A "Dona Culpa"...bem vestida...com ares de autoridade...
Sentadinha...sossegada...me esperando...
O porteiro nem precisou avisar...anunciar da portaria pelo interfone...
'Tava lá...esparramada no meu sofá...
E ficou comigo por um bom tempo...
...as minhas culpas vieram à tona...
...pensa isso...aquilo...como foi...como não foi...porque foi...porque fiz assim...assado...porque pensei isso...porque esse sentimento...porque fui...porque não fui...porque...porque...porque...uma coleção de porquês...
Ufa!!!
....e...ela lá...só me olhando...de cima abaixo...com aquele ar de reprovação...de acusação...
...e mais pensamentos...
...e mais sentimentos...
...e mais como? porque? onde?...
...como assim?!
Assim...
Percebí que quando eu aceitava o que havia feito, supostamente, "errado", ...ela desaparecia...
...quando eu ficava me punindo...recriminando...carcumida pelas minha experiências fracassadas...frustradas...aquelas...que a gente quer que sejam e aconteçam de um jeito...no nosso tempo...mas se apresentam de outro...commmpletamente diferente...decepção...pois é...não acontecem do jeito que sonhamos...esperamos...e...haja culpa...
Lá vinha a "Dona Culpa" de novo...
Afffffff...
e...assim foi por uns tempos...
Um dia me cancei...
olhei bem prá ela e pensei...voce terá que ir embora de vez...
e...por dias...semanas...
fui aceitando....tim tim por tim tim o que eu me culpava, aquilo que eu via como um "erro"...
e fui chegando à conclusão, pouco a pouco, que aquelas atitudes...pensamentos...sentimentos...sensações...tiveram que ser daquela forma mesmo...não tinha jeito...
era...foi o melhor que eu pude fazer naquele momento...
naquela situação...com aquela pessoa...enfim...
foi assim...
Me perdoei...aceitei...me tranquilizei...
Daí...
ela...vou falar até bem baixinho, sussurrando...a "Dona Culpa"...foi embora...
...de vez em quando ela volta...é claro! ...eu caio de novo naquela de...porque fiz...falei...pensei...sentí...isso ou aquilo...
...culpa de ter feito...de num ter feito...culpa de ter falado...pensado...não falado...culpa disso...culpa daquilo...culpa daquilo outro...às vezes...prá me esquivar...sair de mansinho mesmo...culpa do outro...sabe como é né...ninguém é de ferro...uma saidinha pela tangente...jogamos para o outro...alivia a carga...a dor nos ombros...e...depois as nossas culpas de novo...e de novo...
...mas percebo logo...
e ela desaparece...
afinal...tudo sempre está certo como é e como está...e faz parte do nosso processo de aprendizado...de crescimento pessoal...
'Tá tudo certo...me perdoei...tive compaixão por mim...acolhi...entendi...reconsiderei...aceitei...
Já sabe né...se ela estiver aí na sua casa agora...
...resolve aí!!! Num manda prá cá nãoooo...

De Libélula à Borboleta

Fonte:
http://de-libelula-a-borboleta.blogspot.com/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...