segunda-feira, 11 de abril de 2011

O meu sorriso está com o dente-de-leão


Se uma criança sorri, se um adulto sorri, é muito importante.

Se em nossa rotina diária pudermos sorrir, se pudermos ser felizes e cheios de paz, não só nós, mas todos se beneficiarão.

Se realmente sabemos viver, existe melhor meio de começar o dia do que com um sorriso?

Nosso sorriso afirma nossa consciência e determinação no sentido de viver em paz e alegria.

A fonte de um sorriso ver­dadeiro está na mente alerta.


Como você pode se lembrar de sorrir ao acor­dar?

Talvez você possa pendurar um lembrete ­como um ramo, uma folha, uma pintura ou algu­mas palavras inspiradoras – na janela ou no teto acima da sua cama para que você o veja no ins­tante em que acordar.

Depois que você tiver de­senvolvido a prática do sorriso, pode ser que não precise mais do lembrete.

Você sorrirá ao ouvir um pássaro cantar ou ao ver o sol entrando pela jane­la.

O sorriso ajuda a encarar o dia com delicadeza e compreensão.


Quando vejo alguém sorrir, sei logo que ele ou ela está imerso na percepção.

Esse leve sorriso, quantos artistas não se esforçaram para trazer aos lábios de inúmeras estátuas e retratos?

Tenho cer­teza de que o mesmo sorriso devia estar estampa­do nos rostos dos escultores e dos pintores enquan­to trabalhavam.

Dá para imaginar um pintor en­raivecido criando um sorriso desses?

O sorriso da Mona Lisa é leve, apenas uma sugestão de sorriso.

No entanto, mesmo um sorriso desses basta para relaxar todos os músculos do rosto, para expulsar toda a preocupação e o cansaço.

O mais leve es­boço de um sorriso reforça a percepção e nos acal­ma como que por milagre.

Ele nos restaura a paz que considerávamos perdida.


Nosso sorriso pode trazer a paz para nós e pa­ra os que nos cercam.

Mesmo se gastássemos mui­to dinheiro em presentes para todos os nossos fa­miliares, nada que pudéssemos comprar lhes da­ria tanta felicidade quanto a dádiva da nossa aten­ção, do nosso sorriso.

E essa dádiva preciosa não custa nada.

Ao final de um retiro na Califórnia, uma amiga escreveu o seguinte poema:

Perdi meu sorriso, mas não se preocupem. Ele está com o dente-de-leão.


Se você perdeu seu sorriso e mesmo assim é capaz de ver que o dente-de-leão está guardando-o para você, a situação não é tão má assim.

Sua cons­ciência está suficientemente desperta para ver que o sorriso está ali.

Basta que você respire com ple­na consciência uma ou duas vezes para que recu­pere seu sorriso.

O dente-de-leão é um dos inte­grantes de sua comunidade de amigos.

Ele está ali, inteiramente fiel, guardando seu sorriso para você.


Na realidade, tudo que o cerca está guardan­do seu sorriso para você.

Você não precisa se sen­tir isolado.

É só se abrir para o apoio que está a todo seu redor e dentro de você.

Como a amiga que viu seu sorriso sob a guarda do dente-de-leão, você pode respirar em plena consciência e o seu sorriso voltará.


Thich Nhat Hanh

Fonte:
Livro Paz a Cada Passo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...