terça-feira, 31 de maio de 2011

Zé agricultor


A carta a seguir - tão somente adaptada por Barbosa Melo - foi escrita por Luciano Pizzatto que é engenheiro florestal, especialista em direito sócio ambiental e empresário, diretor de Parques Nacionais e Reservas do IBDF-IBAMA 88-89, detentor do primeiro Prêmio Nacional de Ecologia.
   
    Prezado Luís, quanto tempo.
 
    Eu sou o Zé, teu colega de ginásio noturno, que chegava atrasado, porque o transporte escolar do sítio sempre atrasava, lembra né? O Zé do sapato sujo? Tinha professor e colega que nunca entenderam que eu tinha de andar a pé mais de meia légua para pegar o caminhão por isso o sapato sujava.
 
    Se não lembrou ainda eu te ajudo. Lembra do Zé Cochilo... hehehe, era eu. Quando eu descia do caminhão de volta pra casa, já era onze e meia da noite, e com a caminhada até em casa, quando eu ia dormi já era mais de meia-noite. De madrugada o pai precisava de ajuda pra tirar leite das vacas. Por isso eu só vivia com sono. Do Zé Cochilo você lembra, né, Luis?
 
    Pois é. Estou pensando em mudar para viver aí na cidade que nem vocês. Não que seja ruim o sítio, aqui é bom. Muito mato, passarinho, ar puro... Só que acho que estou estragando muito a tua vida e a de teus amigos aí da cidade. Tô vendo todo mundo falar que nós da agricultura familiar estamos destruindo o meio ambiente.
 
Veja só. O sítio de pai, que agora é meu (não te contei, ele morreu e tive que parar de estudar) fica só a uma hora de distância da cidade. Todos os matutos daqui já têm luz em casa, mas eu continuo sem ter porque não se pode fincar os postes por dentro uma tal de APPA que criaram aqui na vizinhança.
 
    Minha água é de um poço que meu avô cavou há muitos anos, uma maravilha, mas um homem do governo veio aqui e falou que tenho que fazer uma outorga da água e pagar uma taxa de uso, porque a água vai se acabar. Se ele falou deve ser verdade, né, Luís?
 
    Pra ajudar com as vacas de leite (o pai se foi, né) contratei Juca, filho de um vizinho muito pobre aqui do lado. Carteira assinada, salário mínimo, tudo direitinho como o contador mandou. Ele morava aqui com nós num quarto dos fundos de casa. Comia com a gente, que nem da família. Mas vieram umas pessoas aqui, do sindicato e da Delegacia do Trabalho, elas falaram que se o Juca fosse tirar leite das vacas às 5 horas tinha que receber hora extra noturna, e que não podia trabalhar nem sábado nem domingo, mas as vacas daqui não sabem os dias da semana ai não param de fazer leite. Ô Luis, os bichos aí da cidade sabem se guiar pelo calendário?
 
    Essas pessoas ainda foram ver o quarto de Juca, e disseram que o beliche tava 2 cm menor do que devia. Nossa! Eu não sei como encumpridar uma cama, só comprando outra, né, Luís? O candeeiro eles disseram que não podia acender no quarto, que tem que ser luz elétrica, que eu tenho que ter um gerador pra ter luz boa no quarto do Juca.
 
Disseram ainda que a comida que a gente fazia e comia juntos tinha que fazer parte do salário dele. Bom Luís, tive que pedir ao Juca pra voltar pra casa, desempregado, mas muito bem protegido pelos sindicatos, pelo fiscais e pelas leis. Mas eu acho que não deu muito certo. Semana passada me disseram que ele foi preso na cidade porque botou um chocolate no bolso no supermercado. Levaram ele pra delegacia, bateram nele e não apareceu nem sindicato nem fiscal do trabalho para acudi-lo.
 
Depois que o Juca saiu eu e Marina (lembra dela, né? casei) tiramos o leite às 5 e meia, ai eu levo o leite de carroça até a beira da estrada onde o carro da cooperativa pega todo dia, isso se não chover. Se chover, perco o leite e dou aos porcos, ou melhor, eu dava, hoje eu jogo fora.
 
Os porcos eu não tenho mais, pois veio outro homem e disse que a distância do chiqueiro para o riacho não podia ser só 20 metros. Disse que eu tinha que derrubar tudo e só fazer chiqueiro depois dos 30 metros de distância do rio, e ainda tinha que fazer umas coisas pra proteger o rio, um tal de digestor. Achei que ele tava certo e disse que ia fazer, mas só que eu sozinho ia demorar uns trinta dia pra fazer, mesmo assim ele ainda me multou, e pra poder pagar eu tive que vender os porcos as madeiras e as telhas do chiqueiro, fiquei só com as vacas. O promotor disse que desta vez, por esse crime, ele não ia mandar me prender, mas me obrigou a dar 6 cestas básicas pro orfanato da cidade. Ô Luis, ai quando vocês sujam o rio também pagam multa grande, né?
 
Agora pela água do meu poço eu até posso pagar, mas tô preocupado com a água do rio. Aqui agora o rio todo deve ser como o rio da capital, todo protegido, com mata ciliar dos dois lados. As vacas agora não podem chegar no rio pra não sujar, nem fazer erosão. Tudo vai ficar limpinho como os rios aí da cidade. A pocilga já acabou, as vacas não podem chegar perto. Só que alguma coisa tá errada, quando vou na capital nem vejo mata ciliar, nem rio limpo. Só vejo água fedida e lixo boiando pra todo lado.
 
Mas não é o povo da cidade que suja o rio, né, Luís? Quem será? Aqui no mato agora quem sujar tem multa grande, e dá até prisão. Cortar árvore então, Nossa Senhora!. Tinha uma árvore grande ao lado de casa que murchou e tava morrendo, então resolvi derrubá-la para aproveitar a madeira antes dela cair por cima da casa.
 
Fui no escritório daqui pedir autorização, como não tinha ninguém, fui no Ibama da capital, preenchi uns papéis e voltei para esperar o fiscal vim fazer um laudo, para ver se depois podia autorizar. Passaram 8 meses e ninguém apareceu pra fazer o tal laudo ai eu vi que o pau ia cair em cima da casa e derrubei. Pronto! No outro dia chegou o fiscal e me multou. Já recebi uma intimação do Promotor porque virei criminoso reincidente. Primeiro foi os porcos, e agora foi o pau. Acho que desta vez vou ficar preso.
 
Tô preocupado Luis, pois no rádio deu que a nova lei vai dá multa de 500 a 20 mil reais por hectare e por dia. Calculei que se eu for multado eu perco o sítio numa semana. Então é melhor vender, e ir morar onde todo mundo cuida da ecologia. Vou para a cidade, ai tem luz, carro, comida, rio limpo. Olha, não quero fazer nada errado, só falei dessas coisas porque tenho certeza que a lei é pra todos.
 
Eu vou morar aí com vocês, Luís. Mais fique tranquilo, vou usar o dinheiro da venda do sítio primeiro pra comprar essa tal de geladeira. Aqui no sítio eu tenho que pegar tudo na roça. Primeiro a gente planta, cultiva, limpa e só depois colhe pra levar pra casa. Ai é bom que vocês e só abrir a geladeira que tem tudo. Nem dá trabalho, nem planta, nem cuida de galinha, nem porco, nem vaca é só abri a geladeira que a comida tá lá, prontinha, fresquinha, sem precisá de nós, os criminosos aqui da roça.
 
Até mais Luis.
 
Ah, desculpe Luis, não pude mandar a carta com papel reciclado pois não existe por aqui, mas me aguarde até eu vender o sítio.

Na roça é diferente...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Linguagem da Luz


A linguagem da luz trata-se de um método de aprendizado que não envolve livros nem o intelecto. Envolve em abrir-se e acreditar que existe uma hierarquia, cujo tamanho imensurável ultrapassa a vossa compreensão e que vem trabalhando com a humanidade desde o início.

Existem 144.000 membros da hierarquia espiritual infundidos na estrutura do planeta nos dias de hoje. Cada mestre possui seu próprio selo que representa uma parte da Linguagem da Luz, assim temos 144.000 selos de energia que serão infundidos em cada um dos seres humanos. As formas implantadas chegam com uma grande variedade de modelos, como, por exemplo, a estrutura da pirâmide. Por que a pirâmide é tão importante?

Neste planeta, e em todo o cosmos, a estrutura piramidal é usada para representar uma grande unidade de consciência. É a estrutura mais difícil de ser criada em todas as suas múltiplas facetas, e contudo é a estrutura da perfeição. É a estrutura que concentra a energia da Terra e a envia para o cosmos.

As estruturas da esfera e da espiral também serão implantadas em vocês, bem como as estruturas das linhas paralelas e do cubo. E, claro, haverá a estrutura do veículo de Merkabah, uma figura de cinco lados que, representa o ser humano em seu estado mais amplo - totalmente livre. Através do casamento das energias vocês vão guardando o alfabeto de luz no seu interior e esse alfabeto irá ensiná-los. Se sonham com formas geométricas, isso indica que elas estão trabalhando dentro de vocês.

Existem muitas formas que não têm nome. Surgirão formas conhecidas que identificarão e que mais tarde assumirão novas formas que a vossa consciência não consegue traduzir. A espiral é uma das formas básicas da geometria da Linguagem da Luz. É uma ponte, um ensinamento em si mesma. Sua forma é codificada com informações e, quando seguem a espiral, ela parece não ter fim. Isto lhes mostra que a jornada para o interior não tem fim, e que a jornada para o exterior também não tem fim.

Partindo para a jornada interior sem fim e para a jornada exterior sem fim, vocês ligam-se a uma espiral conectada à verdade universal. Nós dissemos que as células do vosso corpo contêm toda a história deste universo. O ideal seria que percebessem a existência desta biblioteca de ouro dentro de vocês, nesta encarnação, e que aprendessem a ler o que está contido nela.

Perceber a espiral interior é uma etapa da jornada. O truque consiste em, simultaneamente, seguir para dentro e para fora - percebendo que dentro e fora são o mesmo. A espiral existe em várias dimensões. Quando a visualizam, sentem que já a conhecem, embora no início estejam conhecendo apenas um de seus aspectos.

A espiral é a chave para extrair aquilo que está dentro de vocês. O vosso DNA tem a forma de uma espiral. Existem espirais à vossa volta e a Linguagem da Luz corre através dos filamentos de códigos luminosos que também descem em forma de espiral.

Há círculos e outras formas aparecendo neste planeta em plantações de cereais, inexplicáveis para vocês. Estas impressões são frequências, não um processo ou uma ação. Trata-se de uma melodia, uma história, que está sendo implantada na superfície da Terra com os símbolos de uma linguagem. Tais símbolos chegam para estabelecer determinada frequência e sua tendência é aumentar.

As energias são formadas e transmitidas dessa maneira. A energia concentra-se nos ângulos, nas formas, nas figuras e vocês podem aprender a criá-los e viver com eles.

Estão sendo abertos muitos portais na realidade da terceira dimensão para trazer evolução à Terra. Passaram-se muitos ciclos desde as últimas guerras, até os portais de energia poderem abrir-se novamente para deixar a luz entrar. Essa hora chegou. A luz está sendo orquestrada para voltar ao planeta e aumenta a cada dia. Para que a energia possa trabalhar a vossa consciência, ela precisa instalar-se aqui.

A inteligência penetra em forma de ondas, formando figuras geométricas na Terra. Não são espaçonaves que pousam à noite nas plantações, deixando sua marca circular e partindo. Embora
alguns círculos tenham realmente sido causados pelo pouso de espaçonaves, a inteligência pode adotar a aparência que desejar e frequentemente vem em forma de ondas. Chegará o tempo em que, literalmente, uma enorme onda de luz cobrirá toda a Terra.

A inteligência encontra-se além do mundo das palavras e das letras, pois trata-se de determinada frequência que pode chegar na forma de figuras geométricas.

Pitágoras começou a perceber esse fenômeno, mas a sua geometria não foi compreendida pelas outras pessoas. Geometria é uma inteligência evoluída, um conjunto de experiências que podem comunicar uma quantidade gigantesca de informação. Na verdade, os círculos nas plantações por todo o planeta foram feitos por sons acima da frequência humana, simplesmente para implementar essas figuras de linguagem. Muitas vezes, no início, essas figuras são círculos. Evoluirão para triângulos, retas e muitas outras coisas.

Estas formas geométricas assemelham-se a hieróglifos.

Os círculos e formas colocados na Terra estão aqui para ajudá-los a sustentar e administrar a vossa frequência e para ajudá-los a ter coragem de viver a vossa luz. Eles proporcionam, de forma muito sutil, informações através da frequência, mas ninguém ainda consegue percebê-los.

Estas formas estão ligadas entre si, e são enviadas de um continente a outro e transmitem uma faixa de frequência ao redor do planeta que irá ajudar a ativar a rede frequencial da Terra. Irão ajudá-los a não se sentirem tão assombrados com o que estão sabendo e a receberem sem muito desconforto as mudanças de frequência conforme forem ocorrendo. Isso é só um pouquinho do que os círculos das plantações podem fazer. Eles são muito interessantes.

As formas e figuras geométricas são portadoras de inteligência. São ondas de frequência que podem ser moduladas e alteradas. Estas figuras que chegam à Terra assemelham-se a ondas de energia, ou faixas de energia. Elas contêm inteligência e estão sendo enviadas para, na sequência, formar uma rede inteligente ao redor do planeta. Esta rede terá uma frequência que a humanidade poderá usar para evoluir.

A linguagem completa ainda não chegou ao planeta. As faixas vêm para a Terra como resultado de certa evolução da consciência. Entram por vórtices que atualmente estão atraindo essa frequência.

Os círculos nas plantações constituem expressões fenomenológicas da conscientização. Chegam à realidade de vocês para mostrar-lhes que a mente racional não é capaz de controlar todos os dados, embora quisesse muito. Existe uma intersecção entre esses eventos e os códigos de conscientização de todos os seres humanos. Todas as vezes em que a realidade não consegue ser racionalmente explicada, abre-se um nicho na consciência. Os círculos nas plantações encontram-se totalmente além da mente lógica. Forçam, portanto, a visão consensual da realidade a expandir-se, já que a realidade, da maneira como foi previamente concebida, não pode abrigar estes eventos como possíveis.

Eles são um gatilho. Forçam a realidade a ultrapassar seus próprios limites. Existem numerosas razões para a existência destes círculos nas plantações. Basicamente, eles existem para forçar a mudança da realidade - para fazê-los sentir em vez de pensar. A maioria das pessoas que estudam estes círculos pensam sobre eles, em vez de senti-los.

Este fenômeno não tem lógica. Está forçando uma sociedade orientada pela lógica a reconhecer algo que não faz sentido, e de uma maneira muito brincalhona e óbvia, sem ameaçar a visão da realidade de ninguém.

Esta linguagem está sendo introduzida no planeta como uma história - uma faixa de informação que sustenta uma frequência, que irá ajudá-los a sustentar a vossa própria frequência. À medida que despertam, torna-se fácil para as outras pessoas lerem e reconhecerem vocês. Estão sendo monitorados o tempo todo, porque existem instrumentos que monitoram a evolução e a situação da consciência. Quando a consciência atinge determinado estágio, recebe assistência de fora para estabelecer outros planos daquela frequência.

Fonte:
"Mensageiros do Amanhecer: Ensinamento das Plêiades"
Barbara Marciniak

Emissão de Luz (em ingles)

 

O olho humano só consegue ver uma fracção muito estreita do espectro eletromagnético. Na realidade o que conseguimos ver é uma fracção muito diminuta de toda a luz contida no espectro.

domingo, 29 de maio de 2011

Reciclar Condutas + Atitudes = Longevidade


A reciclagem do lixo já faz parte do cotidiano das pessoas.

As crianças aprendem na escola e os adultos fazem em casa e no trabalho. Se você recicla seu lixo, muito bem, continue cuidando do mundo exterior.

Mas será que é só esse lixo que precisamos reciclar?

E o nosso mundo interior?

Já parou pra pensar em quanto lixo a gente vai acumulando cada vez que deixa uma relação mal resolvida, um sentimento reprimido ou aquele ressentimento guardado?

É natural que, no dia-a-dia, tenhamos todos os tipos de pensamentos, emoções e sentimentos. O que não é natural é o apego que desenvolvemos em relação a eles. Como algumas pessoas que, só de lembrar, conseguem reviver aquela raiva que sentiram dez anos antes. Ou outras que guardam mágoas e ressentimentos para sempre. Lembram de tudo, nos mínimos detalhes. E a pilha de lixo vai crescendo.

Precisamos colocar esse lixo para fora, porque cada um desses sentimentos negativos, nada mais é do que uma perturbação da mente, uma forma de estresse.

E para nos livrarmos desse lixo, o primeiro passo é identificar e reconhecer o que estamos sentindo.

Só então poderemos transformar esse sentimento em algo positivo, focando no seu oposto, ou simplesmente vivendo no momento presente, como fazem as crianças que num momento estão chorando e dali a pouco já estão as gargalhadas, nem se lembram o que aconteceu, não se prendem ao que já passou.

O mais importante é não nos apegarmos. O estresse é importante em alguns momentos, é ele que nos move rapidamente, dá aquela acelerada, mas ele não deve durar mais do que aquele momento e se prolongar indefinidamente. Para cada momento estressante deve haver um momento de relaxamento de mesma intensidade, exatamente como na Lei de Ação e Reação de Newton.

A tabela abaixo é um resumo do Alfabeto Emocional, desenvolvido pelo médico argentino, Dr. Juan Hitzig, depois de uma pesquisa sobre longevidade.

As pessoas com condutas "S" vivem mais e melhor que as pessoas com condutas "R". Portanto, comece agora mesmo a reciclar suas emoções "R" e transformá-las em condutas "S".

Fonte:
relaxando na rede

Viagem Interna: Meditação

sábado, 28 de maio de 2011

Ostra Feliz não faz Pérola


"Ostras são moluscos, animais sem esqueletos, macias, que são as delícias dos gastrônomos. Podem ser comidas cruas, de pingos de limão, com arroz, paellas, sopas. Sem defesas - são animais mansos - seriam uma presa fácil dos predadores. Para que isso não acontecesse a sua sabedoria as ensinou a fazer casas, conchas duras, dentro das quais vivem.

Pois havia num fundo de mar uma colônia de ostras, muitas ostras. Eram ostras felizes. Sabia-se que eram ostras felizes porque de dentro de suas conchas saía uma delicada melodia, música aquática, como se fosse um canto gregoriano, todas cantando a mesma música. Com uma exceção: de uma ostra solitária que fazia um solo solitário.

Diferente da alegre música aquática, ela cantava um canto muito triste. As ostras felizes se riam dela e diziam: "Ela não sai da sua depressão...". Não era depressão. Era dor. Pois um grão de areia havia entrado na sua carne e doía, doía, doía. E ela não tinha jeito de se livrar dele, do grão de areia. Mas era possível livrar-se da dor.

O seu corpo sabia que, para se livrar da dor que o grão de areia lhe provocava, em virtude de sua aspereza, arestas e pontas, bastava envolvê-lo com uma substância lisa, brilhante e redonda. Assim, enquanto cantava o seu canto triste, o seu corpo fazia o seu trabalho - por causa da dor que o grão de areia lhe causava.

Um dia passou por ali um pescador com seu barco. Lançou a rede e toda a colônia de ostras, inclusive a sofredora, foi pescada. O pescador se alegrou, levou-a para casa e sua mulher fez uma deliciosa sopa de ostras. Deliciando-se com as ostras, de repente seus dentes bateram num objeto duro que estava dentro de uma ostra. Ele o tomou nos dedos e sorriu de felicidade: era uma pérola, uma linda pérola. Apenas a ostra sofredora fizera uma pérola. Ele a tomou e deu-a de presente para a sua esposa.

Isso é verdade para as ostras. E é verdade para os seres humanos. No seu ensaio sobre O nascimento da tragédia grega a partir do espírito da música, Nietzsche observou que os gregos, por oposição aos cristãos, levavam a tragédia a sério. Tragédia era tragédia. Não existia para eles, como existia para os cristãos, um céu onde a tragédia seria transformada em comédia. Ele se perguntou então das razões por que os gregos, sendo dominados por esse sentimento trágico da vida, não sucumbiram ao pessimismo.

A resposta que encontrou foi a mesma da ostra que faz uma pérola: eles não se entregaram ao pessimismo porque foram capazes de transformar a tragédia em beleza. A beleza não elimina a tragédia, mas a torna suportável. A felicidade é um dom que deve ser simplesmente gozado. Ela se basta. Mas ela não cria. Não produz pérolas. São os que sofrem que produzem a beleza, para parar de sofrer. Esses são os artistas. Beethoven – como é possível que um homem completamente surdo, no fim da vida, tenha produzido uma obra que canta a alegria? Van Gogh, Cecília Meireles, Fernando Pessoa...”.

Rubem Alves
Livro: Ostra Feliz não faz Pérola

quinta-feira, 26 de maio de 2011

...o perdão...


"O perdão acontece,
quando voce desiste
de mudar o passado."

Oprah Winfrey

Flor da Vida / Drunvalo Melchisedek e George Noory (legendas em espanhol)

Aumente seu bem-estar


A NEF (New Economics Foundation), organização independente no Reino Unido, voltada para a qualidade de vida da população, foi encarregada pelo governo britânico de examinar o trabalho de mais de 400 cientistas de todo o mundo, em 2008. O objetivo da iniciativa, batizada de Projeto Foresight sobre Capital Mental e Bem-Estar, foi identificar um conjunto de ações que pudessem melhorar o bem-estar da população e nortear políticas públicas.

Com base nos resultados dos trabalhos, reproduzimos aqui cinco passos propostos pela NEF. São pequenos exemplos de como não só os indivíduos, mas os governantes podem direcionar esforços para melhorar o bem-estar futuro da população, a partir de intervenções políticas. Por seu foco abrangente, as ações, planejadas inicialmente para o Reino Unido, têm aplicação mundial.

1) Relacione-se

As relações sociais são fundamentais para o nosso bem-estar. Estudos constataram que o bem-estar das pessoas aumenta quando seus objetivos de vida estão vinculados a família, amigos, vida social e política.

Por outro lado, diminui quando associado a sucesso na carreira e ganhos materiais. Governos podem pensar em formas de incentivar os cidadãos a passar mais tempo com a família e com os amigos do que no trabalho. Por exemplo, com uma política de emprego que promova o trabalho flexível e diminua os deslocamentos, paralelamente a ações destinadas a fortalecer o envolvimento na sociedade local. Isso permitiria que as pessoas passassem mais tempo em casa e em suas comunidades de forma a construir relacionamentos cooperativos e duradouros.

2) Exercite-se

Pesquisas sugerem que fazer exercício melhora o humor e afasta a depressão e a ansiedade.

Ser ativo também desenvolve as habilidades motoras das crianças e protege contra o declínio da capacidade cognitiva nos idosos.

No entanto, pela primeira vez na história, a maioria da população mundial vive em áreas urbanas. Pelo desenho das cidades e pela política de transportes, os governos influenciam a maneira como circulamos na vizinhança e nos bairros. Para melhorar o bem-estar da população, a abertura de parques e áreas verdes incentivaria o exercício e o lazer.

Priorizar as caminhadas e o uso da bicicleta em detrimento do automóvel é outra boa prática.

3) Fique ligado

Pesquisa feita nos Estados Unidos mostrou que a consciência de sensações, pensamentos e sentimentos pode melhorar tanto o conhecimento que temos sobre nós mesmos como o nosso bem-estar durante vários anos.

Entretanto, no século XXI, o fluxo incessante de mensagens publicitárias de produtos e serviços deixa pouca oportunidade para saborearmos e refletirmos sobre as nossas experiências.

Uma política que contemple ações de sensibilização emocional e educação para lidar com a mídia pode capacitar os indivíduos para navegar à sua maneira pela estrada da informação, preservando o seu bem-estar. A regulamentação de espaços livres de publicidade poderiam melhorar os índices de bem-estar.

4) Continue aprendendo

Aprender estimula a interação social, aumenta a auto-estima e nossa percepção de valor.

Pessoas com um comportamento dirigido por objetivos pessoais para alcançar algo novo são capazes de aumentar a satisfação com a vida.

Embora muitas vezes as políticas de ensino priorizem os primeiros anos de vida da pessoa, pesquisas psicológicas sugerem que esse é um aspecto importante para todas as faixas etárias. Portanto, políticas que estimulem o aprendizado, mesmo nos idosos, permitem que as pessoas desenvolvam novas competências, fortaleçam as redes sociais e se sintam mais preparadas para enfrentar os desafios da vida.

5) Seja generoso

Estudos em neurociência têm demonstrado que um comportamento cooperativo ativa áreas de recompensa do cérebro.

Ou seja, ajudar uns aos outros dá prazer! Indivíduos que participam ativamente da vida de suas comunidades relataram maior bem-estar.

E mais: sua ajuda e seus gestos tiveram a capacidade de repercutir positivamente entre as pessoas, gerando um círculo virtuoso. Pesquisa feita pela NEF mostra que a troca mútua – o dar e receber – é a maneira mais simples e determinante de construir uma relação de confiança entre as pessoas e criar relacionamentos saudáveis.

Fonte:
NEF

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Consciência de Abundância passo a passo


1. Quem dirige a sua vida? Voce? Outras pessoas?
A resposta correta tem que ser Voce.

2. O que o poder pessoal envolve?
A resposta é Escolha e Consciência.

3. O seu passado num serve para nada?
Serve sim...
Use as memórias e experiências do passado relacionadas à abundância para reforçar e apoiar sua jornada agora!

4. O seu valor é qual?
Dê valor a quem você realmente é.
Seu verdadeiro eu.
Escute a sua alma...

5. Intuição? Intenção? Percepção? Para que serve?
Cultive o hábito de escutar sua sabedoria interior.

6. Crenças ultrapassadas...maus hábitos...mas arraigados:
Mude os hábitos que o prendem a uma determinada realidade, mude suas crenças.

7. É preciso ter objetivo? Metas?
Simmmm...Acredite que vai alcançar as suas metas.

8. Lembre-se sempre que a energia acompanha a intenção!

9. E quanto a faxinas? Limpezas?
Crie o hábito de regularmente liberar a desordem mental, emocional e física de sua vida.

10. Pensamentos? Sentimentos? Ações?
Só podem ser sempre Positivas!
Cuidado com a negatividade: Não pense em um elefante azul agora!....Pois é...Já foi...

11. Solidariedade? Voluntariado? Alguma ação de doação?
Ação e Reação é: aquilo que você doa acaba voltando para você.

12. Desenvolva o hábito da gratidão.
O Universo aprecia Gratidão!

13. Crie...seu próximo passo!

The Power of Words

terça-feira, 24 de maio de 2011

A Alma se lembra!



Seja o que for que voce tenha esquecido a cerca do amor incondicional, da paz... A sua alma se lembra!

Ela se lembra que há uma conexão interna com um espaço onde voce é livre da culpa e de todas as energias que deprimem e fazem voce acreditar que é menos perfeito.

Sua alma se lembra do propósito pelo qual voce está aqui e todas as tarefas que voce aceitou concluir...

Sua alma é ciente de todas as falhas e compreende os medos em separar-se da Fonte...

Ela gurda essa memória a fim de impulsioná-lo ao cumprimento de sua jornada, a lembrá-lo dos desequilíbrios energéticos que precisa integrar novamente.

A alma sabe que se originou da Perfeição e que seu caminho de regeneração lhe trará novamente a harmonia e a Divindade.

A alma é a Presença Divina em voce!

Ela guarda a memória da divindade até que ocorra sua conexão com ela.

A memória humana está centrada nas limitações, na carência e imperfeição, e, por isso, é necessário que sua alma se lembre que voce é luz, semelhança humana da Fonte.

Sua luz brilha interna e externamente!

A alma aguarda pacientemente que voce reconheça a sua presença!

Ela pode ajudá-lo quando sentir que fracassou na sua jornada ou quando precisar conectar-se com a paz interior, enquanto a realidade está mergulhada no caos.

Ela mantém sob proteção suas memórias mais preciosas e cada vez que se esquecer de quem voce é e do motivo de sua jornada ela terá todas as respostas.

Medite e busque dentro de voce as belas lembranças do Lar que a sua alma guarda e encontre a paz mediante a certeza de que não está aqui sozinho.

A parceria  com a sua alma é a alegria e o amor que lhe envolvem, protejem e que estão  à sua disposição!

Conecte-se com a sua alma!


Por Jennifer Hoffman

domingo, 22 de maio de 2011

Oração a Mim Mesmo de Oswaldo Antonio Begiato


Que eu me permita
olhar e escutar
e sonhar mais.
Falar menos.
Chorar menos.

Ver nos olhos de quem me vê
a admiração que eles me têm
e não a inveja que, prepotentemente, penso que têm.
Escutar com meus ouvidos atentos
e minha boca estática,
as palavras que se fazem gestos
e os gestos que se fazem palavras.

Permitir sempre escutar
aquilo que eu não tenho
me permitido escutar.
Saber realizar
os sonhos que nascem em mim
e por mim
e comigo morrem
por eu não os saber sonhos.

Então, que eu possa viver
os sonhos possíveis
e os impossíveis;
aqueles que morrem
e ressuscitam
a cada novo fruto,
a cada nova flor,
a cada novo calor,
a cada nova geada,
a cada novo dia.

Que eu possa sonhar o ar,
sonhar o mar,
sonhar o amar.

Que eu me permita o silêncio das formas,
dos movimentos,
do impossível,
da imensidão de toda profundeza.
Que eu possa substituir minhas palavras
pelo toque,
pelo sentir,
pelo compreender,
pelo segredo das coisas mais raras,
pela oração mental
(aquela que a alma cria
e que só ela,
a alma, ouve
e só ela, a alma, responde).

Que eu saiba dimensionar o calor,
experimentar a forma,
vislumbrar as curvas,
desenhar as retas,
e aprender o sabor da exuberância
que se mostra
nas pequenas manifestações
da vida.

Que eu saiba reproduzir na alma a imagem
que entra pelos meus olhos
fazendo-me parte suprema da natureza,
criando-me
e recriando-me a cada instante.

Que eu possa chorar menos de tristeza
e mais de contentamentos.
Que meu choro não seja em vão,
que em vão não sejam
minhas dúvidas.

Que eu saiba perder meus caminhos
mas saiba recuperar
meus destinos
com dignidade.
Que eu não tenha medo de nada,
principalmente de mim mesmo:
- Que eu não tenha medo de meus medos!

Que eu faça de mim um homem sereno
dentro de minha própria turbulência,
sábio dentro de meus limites pequenos e inexatos,
humilde diante de minhas grandezas tolas e ingênuas
(que eu me mostre
o quanto são pequenas minhas grandezas
e o quanto é valiosa minha pequenez).

Que eu possa amar
e ser amado.
Que eu possa amar mesmo sem ser amado,
fazer gentilezas quando recebo carinhos;
fazer carinhos
mesmo quando não recebo gentilezas.

Que eu jamais fique só,
mesmo quando
eu me queira só.

Amém!

Origami de Tulipa

sábado, 21 de maio de 2011

Viver mais e melhor


Com os avanços da medicina, viver ou até ultrapassar os 100 anos é uma possibilidade cada vez mais real. Mas o que adianta chegar lá sem saúde física ou mental? Fazer exercício, alimentar-se bem, não fumar e beber com moderação são cuidados importantes para quem deseja ganhar anos de vida. Mas é preciso cuidar também da cabeça. Afinal, como qualquer outro órgão do corpo, o cérebro envelhece e pode perder as suas capacidades. A partir de estudos, neurocientistas e pesquisadores recomendam exercícios capazes de manter o cérebro em forma.

Segundo os estudiosos, é possível exercitar o seu cérebro de várias formas e não apenas por meio de um sério estudo acadêmico. Ler, fazer palavras cruzadas ou aprender uma nova língua são as atividades mais recomendadas até agora. Mas conversar, dormir bem, não embarcar em pensamentos negativos e dar boas gargalhadas também podem fazer muito pela saúde cerebral.

Vale até dedicar-se à arte do malabarismo, só não pode parar e deixar o cérebro enferrujar. Pesquisas recentes usando estudos de imagens demonstraram aumento da atividade e de conexões no cérebro de pessoas com mais de 50 anos que aprenderam malabarismo num curso de três meses. Mas, o efeito positivo em seus cérebros durou apenas o tempo em que eles permaneceram praticando as novas habilidades.

Fale, fale, fale

Passar, pelo menos, dez minutos por dia falando com outra pessoa pode melhorar a memória. Segundo pesquisadores da Universidade de Michigan, um simples bate-papo é tão efetivo como passar dez minutos fazendo palavra cruzada. De qualquer forma, as duas atividades são mais benéficas que passar o mesmo tempo em frente à TV.

Cultive amizades

Estudos recentes mostram que pessoas que mantêm uma rede social ativa costumam também viver muito e usufruir uma qualidade de vida melhor. Cultivar bons relacionamentos mantém a acuidade do cérebro aguçada, dando às pessoas a chance de interagir e aprender mais sobre o ser humano.

Mantenha a pressão baixa

A pressão sanguínea alta (hipertensão) danifica as artérias e aumenta o risco de derrame cerebral, o que contribui para o declínio mental. Consultar regularmente o médico e manter a pressão abaixo de 120/80 mm/Hg é a indicação dos estudiosos.

Durma bem

Pesquisa recente sugere que dormir demais ou muito pouco pode aumentar o risco de derrame, o que é uma preocupação para a saúde cerebral ao longo dos anos. Quase todo mundo teve a experiência de se sentir menos “inteligente” depois de uma noite mal dormida, mas os dados sugerem que padrões de sono ininterruptos são mais frequentemente associados com o risco de demência do que se pensava. Se você tem problemas com o sono ao longo da noite, converse com o seu médico ou um neurologista.

Outras dicas

Sonhar acordado, aprender a lidar com pensamentos negativos, dar boas gargalhadas...

Para a Associação Canadense de Saúde Mental, dedicar um tempo diário, mesmo que pequeno, para a saúde mental traz benefícios significantes em termos de se sentir rejuvenescido e mais confiante. Cuidar bem do cérebro significa pensar no bem-estar emocional. Dar um tempo nas preocupações e aborrecimentos e abrir a mente para pensamentos positivos são ótimos exercícios.

Sonhe acordado

Feche os olhos e imagine-se em um local paradisíaco. Respire lenta e profundamente. Seja uma praia, uma montanha, uma floresta silenciosa ou o seu lugar favorito do passado, deixe a atmosfera confortável envolver você numa sensação de paz e tranquilidade.

Colecione momentos felizes

Faça questão de se lembrar sempre dos momentos felizes, prazerosos e agradáveis que despertam sensações positivas em você, como segurança, afeto, amor etc.

Aprenda a lidar com pensamentos negativos

Pensamentos negativos podem ser insistentes e barulhentos. Aprenda a interrompê-los. Não tente bloqueá-los (isso nunca funciona), mas não deixe que eles controlem você. Se você não pode solucionar o problema no momento, tente se distrair ou se tranquilizar.

Faça uma coisa de cada vez

Por exemplo, se você está dando um passeio ou passando tempo com os amigos, desligue o telefone celular e pare de pensar no que tem a fazer depois. Esteja presente por inteiro em tudo o que fizer.

Exercite-se

Uma atividade física regular melhora o bem-estar psicológico e pode reduzir a depressão e a ansiedade. Praticar algum tipo de exercício em grupo ou ginástica pode reduzir o sentimento de solidão, desde que a atividade insira você num grupo que compartilhe objetivos comuns.

Tenha um hobby

Ter um hobby equilibra sua vida permitindo você fazer alguma coisa que você gosta, livre de pressões das tarefas diárias. O hobby também mantém seu cérebro ativo.

Estabeleça metas pessoais

Metas não devem ser ambiciosas. Você pode decidir terminar aquele livro que começou três anos atrás, dar uma volta no quarteirão todo dia, aprender a jogar xadrez, ligar para os amigos em vez de esperar o telefone tocar. Seja qual for sua meta, conquistá-la trará confiança e satisfação.
Escreva um diário (ou mesmo fale com as paredes!)

Expressar-se após um dia estressante pode ajudar você a recuperar a perspectiva, abaixar a tensão e até aumentar a imunidade do seu corpo contra doenças.

Compartilhe o humor

A vida às vezes torna-se séria demais, então quando você ouvir ou vir alguma coisa engraçada, compartilhe o fato com algum conhecido seu. Um pouco de humor pode ajudar muito a manter seu cérebro em forma.

Sorria, ria, dê gargalhada

Uma gargalhada genuína é um santo remédio para o estresse de todo dia. Peça para seus amigos lhe contarem uma história engraçada. Cerque-se de pessoas sorridentes, engraçadas e brincalhonas. Quando vir um grupo de amigos ou colegas de trabalho dando boas risadas, junte-se a eles.

Trabalho voluntário

Trabalhar como voluntário em uma causa que nos motiva e inspira nos faz sentir muito bem em relação a nós mesmos. Ao mesmo tempo, alargar nossa rede social, nos permite o aprendizado de novas experiências e equilibra a nossa vida.

Trate-se bem

Faça um prato especial para você mesmo. Tome um banho de espuma. Assista um filme. Ligue para um amigo ou parente que você não fala há anos. Sente-se num banco de parque e sinta o cheiro da grama e das flores. Seja o que for, faça isso apenas para você mesmo.
Fonte:
Discovery Health

terça-feira, 17 de maio de 2011

Temos medo de nossa Luz...não de nossa Sombra!


"Nosso medo mais profundo não é que sejamos inadequados.

Nosso medo mais profundo é que sejamos poderosos demais.

É nossa LUZ (nossa sabedoria),
não nossa SOMBRA (nossa ignorância),
o que mais nos apavora.

Perguntamo-nos:
‘Quem sou eu para ser brilhante, belo, talentoso, fabuloso?’

Na verdade, por que você não seria?

Você é um filho de Deus.

Seu medo não serve ao mundo.

Não há nada de iluminado
em se diminuir
para que outras pessoas
não se sintam inseguras perto de você.

Nascemos para expressar a Glória de Deus que há em nós.

Ela não está em apenas alguns de nós;
está em todas as pessoas.

E quando deixamos que essa nossa luz brilhe,
inconscientemente permitimos
que outras pessoas façam o mesmo.

Quando nos libertamos de nosso medo,
nossa presença automaticamente liberta as outras pessoas”.

Nelson Mandela
(Discurso de Posse 1994)


“Our deepest fear is not that we are inadequate.
Our deepest fear is that we are powerful beyond measure.
It is our light, not our darkness, that most frightens us.
We ask ourselves, who am I to be brilliant, gorgeous, talented, and fabulous?
Actually, who are you not to be?
You are a child of God.
Your playing small doesn’t serve the world.
There’s nothing enlightened about shrinking
so that other people won’t feel insecure around you.
We are all meant to shine, as children do.
We are born to make manifest the glory of God that is within us.
It’s not just in some of us, it’s in everyone.
And as we let our own light shine,
we unconsciously give other people permission to do the same.
As we are liberated from our own fear,
our presence automatically liberates others.”

Speech 1994
Nelson Mandela

domingo, 15 de maio de 2011

Amor-próprio


Quando comecei a me amar de verdade, pude reconhecer que a dor emocional e o sofrimento são apenas avisos para eu não seguir vivendo contra minha própria vontade.

Hoje eu sei que isso se chama:
SER AUTÊNTICO

Quando comecei a me amar de verdade, entendi o quanto uma pessoa podia ficar constrangida quando eu impunha meus desejos a ela, mesmo sabendo que não era a ora certa e que a pessoa em questão não estava disposta a isso, inclusive quando essa pessoa era eu.

Hoje sei que isso se chama:
AUTORRESPEITO


Quando comecei a me amar de verdade, parei de ansiar por outra vida, e pude enxergar que tudo ao meu redor era um incentivo ao meu crescimento.

Hoje sei que isso se chama:
MATURIDADE

Quando comecei a me amar de verdade, entendí que sempre estou no lugar certo e na hora certa, e que tudo o que acontece está certo. A partir daí, pude me tranquilizar.

Hoje sei que isso se chama:
AUTORRESPEITO

Quando comecei a me amar de verdade, parei de roubar meu tempo livre e parei de ficar fazendo projetos grandiosos para o futuro. Agora faço apenas aquilo de que gosto e que me traz alegria, aquilo que amo e faz meu coração sorrir, do meu jeito e no meu ritmo.

Hoje sei que isso se chama:
HONESTIDADE

Quando comecei a me amar de verdade, libertei-me de tudo o que não era saudável para mim. Libertei-me de comidas, pessoas, coisas, situações e, principalmente daquilo que me puxava para baixo, para longe de mim mesmo.
No começo eu chamava isso de "egoísmo saudável".

Hoje sei que isso se chama:
SER SIMPLES

Quando comecei a me amar de verdade, recusei continuar vivendo no passado e me preocupando com o futuro.
Agora vivo apenas nesse instante, onde TUDO acontece.

Assim hoje vivo todos os dias e chamo isso de:
COMPLETUDE

Quando comecei a me amar de verdade, reconhecí que meu pensamento pode me deixar triste e doente. Quando estimulei as forças do meu coração, a razão encontrou um parceiro importante.

Hoje chamo essa ligação de:
SABEDORIA DO CORAÇÃO

Não precisamos mais temer conflitos, discussões e problemas conosco e com os outros, pois até as estrelas chocam-se umas com as outras, às vezes, e novos mundos surgem.

Hoje sei que:
ISTO É A VIDA


Charles Chaplin

Diretor, autor, comediante e compositor em seu aniversário de 70 anos, em 16 de Abril de 1959. 

sábado, 14 de maio de 2011

Sorrir!



Como praticar a Terapia do Riso

Existem muitas formas de praticar o lúdico, o riso, a brincadeira, o bom-humor. Aliás, quanto mais se pratica, mais criativos ficamos e novas formas de se divertir com a vida surgem.
Os benefícios não param de ser estudados e relatados. Hoje, profissionais de todas as áreas da ciência e do conhecimento chegam a um consenso, embora a partir de diferentes expressões: rir é o melhor remédio. É a mais alquímica das bioquímicas. Como num texto que escrevi: rir e a droga do século. Qual século? Todos...
De qualquer forma, somente a partir de posturas positivas o cérebro apreende, registra, cria novas conexões, abstrai e transcende.
Bem, uma primeira dica: comece sua manhã com umas boas gargalhadas, dizendo-se mensagens positivas de amor por você mesmo. Como estou? O que quero realizar hoje para me sentir melhor? Cadê o sol? Cadê minha toalha cheirosa?

Rir pela manhã ao levantar, no espelho ou no chuveiro, saudando-se com umas caretas e risadas, agradecendo e celebrando o novo dia que se inicia.

Rir, rir, rir e dizer: te amo, te amo, te amo de verdade e sempre te amarei. E seguir rindo pela vida, dos seus medos, dos seus desafios, das suas culpas, das suas risadas.
Ria por 3, 5 ou 10 minutos diante do espelho, ou quando estiver sozinho no carro (grave cd e deixe um no carro, outro no escritório), ou quando estiver com um amigo.

Pratique a risada, o bom-humor e deixe fluir.

Pense: o riso é a menor distância entre o problema e a solução. É a menor distância entre duas pessoas. Inclusive entre o seu lado sombra e o seu lado luz. Não tem sombra que se perpetue sob o flash de um riso.

Escute as mensagens que lhe vêem através da risada. As resistências aos obstáculos inconscientes ao seu próprio bem, e a sua própria felicidade.

E, quanto mais praticar a terapia do riso, diariamente ou muito freqüentemente, um mínimo de 5 a 10 minutos, mais irá transformando suas barreiras internas. Você irá perceber uma vontade crescente e incontrolável para desfrutar, e se conectar com a risada, com a alegria e o amor.

Comece com o ra-ra-ra, re-re-re, ri-ri-ri, ro-ro-ro, ru-ru-ru e irá provocando a risada. Este iniciar já é muito engraçado.

Como estamos sempre emburrados, pré-ocupados, acelerados, desconectados com o prazer de viver, o nosso risômetro apresenta vários níveis de ferrugem e/ou esclerose.

Começamos achando que nossa risada é sem graça, é amarela, é insosa, é fraca, é dispensável, é ridícula, e blá-blá-blá. Hemorragia hilariante.

Tudo é uma questão de praticar, que rapidamente o nosso risômetro volta a ser forte, sadio e contagiante, como era quando crianças espontâneas.

A fisionomia de quem não tem o hábito de sorrir é sempre fechada, triste e séria.

Quando começamos a praticar o rir e o sorrir, ficamos muito mais bonitos. E vocês não imaginam a quantidade de alegria que irradiamos e atraímos quando estamos com os olhos brilhantes, pulsando a alegria que vem da alma, portanto mais bonitos.
Essa é a felicidade contada sem palavras.
Eu recomendo.

Leia também: Sitocol - Risus Atívus e A Meditação do Riso

Por Conceição Trucom
Texto extraído do livro Mente e Cérebro Poderosos

Fonte:
doce limao
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...