sábado, 24 de setembro de 2011

Meditação: sobre a Compaixão


Ao gerar a compaixão, iniciamos pelo reconhecimento de que não temos um direito à felicidade. Isso pode ser verificado e legitimado pela nossa própria experiência. Reconhecemos, então, que outras pessoas, exatamente como nós, também não querem sofrer e têm um direito à felicidade. Isso passa a ser a base para começar a gerar a compaixão.

Vamos, portanto, meditar sobre a compaixão hoje.

Comecem visualizando uma pessoa que esteja em extremo sofrimento, alguém que esteja sentindo dor ou que esteja numa situação muito aflitiva. Durante os três primeiros minutos da meditação, reflitam sobre o sofrimento desse indivíduo com um enfoque mais analítico... Pensem no seu intenso sofrimento e no estado lamentável da existência dessa pessoa.

Depois de pensar no sofrimento dessa pessoa por alguns minutos, em seguida, procurem associar tudo isso a vocês mesmos, com o seguinte enfoque, “esse indivíduo tem a mesma capacidade para vivenciar a dor, a alegria, a felicidade e o sofrimento do que eu tenho”.

Procurem então permitir que venha à tona sua reação natural...um sentimento de compaixão por aquela pessoa.

Procurem chegar a uma conclusão: constatando como é forte seu desejo de que essa pessoa se livre de tanto sofrimento. E resolvam que ajudarão essa pessoa a encontrar alívio.

Para finalizar, concentrem sua mente de modo exclusivo naquele tipo de conclusão ou resolução e, durante os últimos minutos da meditação, procurem produzir na sua mente um estado amoroso ou norteado pela compaixão.

A Arte da Felicidade – Dalai Lama e Howard C. Cutler
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...