sábado, 15 de outubro de 2011

A Dança dos Derviches


A Dança dos Derviches e a Transmutação das Forças Cósmicas

Os Derviches são Mestres da Turquia que vivem no deserto. Tem Derviches Cantantes e tem Derviches Dançantes. Os Derviches Cantantes ensinam através dos cantos e da música os processos da Consciência. Os Derviches Dançantes ensinam através das danças como o corpo pode estar em harmonia com o Universo; com determinados movimentos ou Runas, que dentro de nós mobilizan umas forças que são de muita utilidade para poder lograr a Concentração.

Então, estas danças tem por objetivo que possamos lograr a Concentração. Devemos fazê-la antes de qualquer prática para ter êxito. Deste modo, para conseguir qualquer prática, desdobramento, meditação, etc., se queremos obter bons resultados, devemos armonizar o Corpo Fisico com a parte interior. E se logra com estes exercícios. 

Essas três danças são as seguintes

Primeira Dança

Abrir os braços, que fiquen retos e perpendiculares ao tronco. Colocar as mãos para cima e começar a girar em sentido das agulhas do relógio.


Esta prática e muito útil, porque descarrega o fígado, o plexo solar e a zona emocional. Além disso, organiza e coloca os sete Chakras a girar.corretamente, no sentido das agulhas do relógio. Lamentavelmente, o mal manejo das energias e o desgaste energético em que vivem todos os seres humanos fazen com que estes Chakras girem em sentido contrário. Este exercício alinha e coordena os três cérebros, e produz um fenômeno vibratório.


Tem que praticá-lo todos os dias. Se executa, como mínimo, vinte e uma (21) voltas. Quando se conclui os giros avança o pé direito a frente, flexionando um pouco o joelho e põe o braço esquerdo sobre o joelho direito e com a mão direita (dedos) no entrecenho, para que não fique mareado. Se se faz durante oito dias seguidos a pessoa se dará conta de que ja não sente mareio, ou o sente muito pouco. Então, se esta descarregando o figado, o que permite melhor desdobramentos.


Segunda Dança 

Para aquietar a mente, a maioria das pessoas trabalham, durante todo o dia, e levam muitas preocupações. Essas preocupações são as que não deixam centrar-se quando se vai meditar, ou desdobrar-se, ou fazer qualquer prática. Se somos intelectuais e estamos em um escritório todo o dia sentados e necessário que nos equilibremos um pouco, para adiantar o trabalho.

Então, é recomendável, durante um espaço de cinco ou dez minutos, fazer a dança que vamos ensinar. E uma dança que coordena os três cérebros: primeiro aquieta o cérebro Intelectual, a melhor maneira de aquietar o intelecto e não pensar, coloca o ânimo adequado que se requer para começar qualquer prática , centro Emocional, e equilibra ao cérebro Motor.

Este exercício e muito fácil e se leva a cabo assim: começamos a trotar no mesmo lugar e ao mesmo tempo, começamos a aplaudir ritmicamente na frente e atrás do corpo, e girar ao mesmo tempo a cabeça de um lado a outro. Esse é o exercício.

Indubitavelmente, enquanto se faz o exercício não se pode pensar, porque nenhum pensamento se sustenta ai, então começa a dar-se o processo de equilíbrio. Se fizermos este exercício durante cinco ou dez minutos antes de qualquer prática, obteremos uma capacidade de concentração muito superior.

Terceira Dança 

Começamos a trotar no mesmo lugar. Desta vez começamos a aplaudir ritmicamente do lado esquerdo e girando a cabeça para o lado direito. Logo aplaudimos do lado direito e giramos a cabeça para o lado esquerdo. É muito fácil, e tem que práticá-lo até coordenar muito bem.

Ai esta estes dois exercícios. O importante e coordenar as três coisas, os movimentos de cabeça, os movimentos dos braços na frente e atrás, e os lados, e os movimentos das pernas. Finalmente se coordena também a respiração. Quando já se tem suficientes práticas se fazem com muita facilidade. A prática faz o mestre.

A Transmutação das Forças Cósmicas

É um trabalho que devemos fazer conscientemente. Este trabalho se faz entre o Planeta Terra, o microcosmos Homem e o Sol Sírio. Antes de inicia-la, devemos fazer a dança dos derviches para poder ter suficiente concentração.


Quando fazemos este trabalho ganhamos Dharma pela ajuda cosnciente ao planeta. Esse Dharma se vê refletido na força que nos fica pela participação deste trabalho.


O planeta Terra necessita nossa colaboração consciente. O planeta Terra tem também seu Sol Central, este Sol se chama Melquisedeque, o Sol Interior.


No Sol Sírio encontramos o Exército da Voz. Dele vem toda a energia que sustenta a Criação. Se a pessoa imagina o Sol Espiritual de Sírio, verá uma espiral de luzes formadas por milhões de anjos que movem o Exército da Voz, de um brilho espectacular. Dependendo do grau de concentração, que se tenha, se pode ver isto.


Uma pessoa fazendo a Transmutação das Forças Cósmicas durante uma hora ou duas, pode chegar a ver estas coisas, a oportunidade de vé-lo se logra con uma boa concentração.


Nos fazemos este trabalho invocando a nosso Ser, por que para o nosso Ser não tem espaço, nem tempo. Ou seja, a distância que tem a Sírio não importa, a distância que tem de onde estamos ao centro da Terra, os 6.240 kilómetros que tem mais ou menos ao centro da terra, para o Ser não existe. Ele em um segundo pode estar ai.


Nos sentamos com as palmas das mãos para cima. Vamos imaginar os vórtices de recepção e transmissão de energia cósmica que tem nos dedos dos pés.


Então, o trabalho consiste em transladar energia do planeta terra até o coração, logo translada até o Sol Sírio, logo volta a baixá-la até o nosso coração e finalmente entregar a Energia Cósmica ao planeta terra.


Se faz a volta completa. Levamos uma energia a Sírio e trazemos uma energia de Sírio ao planeta terra, a exhalação no planeta terra expulsando todo o ar dos pulmões.


Pode ser sentado ou parado, não importa, inalo fazendo o primeiro oito no centro do planeta terra e o levo a altura do coração, se faz outro oito, sai até o Sol Sírio pelo Cocuruto, por que o cocuruto e o ponto de saida do planeta, do microcosmos; Então chegamos ao Sol Sírio, imaginamos a Sírio, fazemos o oito ai e retornamos novamente ao coração, fazemos um oito, na saida do coração, exalamos e expulsamos toda a descarga ao centro do planeta, fazendo o oito ai no centro.


Uma respiração completa - inalação e exalação - durará de trinta segundos a um minuto, de acordo com a capacidade pulmonar que se tenha. Não tem que preocuparse por correr, não tem que ter pressa.


Ao terminar a Transmutação, estaremos carregados com uma energia inimaginável para praticar desdobramentos, meditações etc... É uma energia muito especial, quanto mais se tem, transmutado, melhor se sente, e melhor pode a pessoa concentrarse para fazer as práticas.


A energia a podemos imaginar cinza prateado, e quando menos se espera, se começa a visualizar. Se verá um fluxo de energia que está circulando através da pessoa, porém isso e durante a prática.

As condições para fazer este exercício de transmutação são

• Estar descalço
• Um lugar tranquilo
• Se é possível em contato com a terra, se não se pode, então, não estar sobre materiais que nos isolem como os pisos de lajotas, ou tapete, etc.

Para fazer o trabalho de Transmutação das Forças Cósmicas tem que fazer cinco oitos horizontais, iguais ao símbolo do infinito (∞)

• Primeiro oito em baixo, no centro da Terra
• Segundo oito na altura do Coração
• Terceiro oito no Sol Sírio
• Quarto oito na altura do Coração novamente
• Quinto oito finalmente outra vez no centro da Terra

Prática

1 - Começamos com a inalação. Com a imaginação recolhemos a energia do centro da planeta Terra, fazendo o primeiro oito. Logo ascendemos até o Coração.
2 - Fazemos o segundo oito na altura do Coração.
3 - Retendo o ar, saímos pelo Cocuruto e vamos até Sirio, nos imaginamos o Sirio.
4 - Fazenos o terceiro oito em Sírio.
5 - Descemos até o nosso coração, penetrando pelo cocuruto.
6 - Fazemos o quarto oito no coração.
7- Saímos do Coração, exalamos enviando para a Terra toda a energia que trazemos, imaginando que descarregamos essa energia no centro do planeta; e fazemos o quinto oito.

Fonte:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...