segunda-feira, 24 de outubro de 2011

É possível Amar sem ser amoroso?


Só é possível amar verdadeiramente sendo amoroso.

É impossível que um indivíduo que tenha desprezo por si mesmo e pelo seu próximo, ou que seja impaciente, intolerante, irritadiço, violento, implacável, condenativo, possa verdadeiramente amar alguém.

Ele pode estar iludido pela ilusão do amor, pela paixão, mas não amará realmente, porque o seu sentimento é egoísta, ele busca no outro as sensações que outro o desperta e não a verdadeira união.

O amor romântico é ambivalente, ou seja, tem uma máscara de cordeiro quando a face que esconde é muitas vezes de ódio, é ditatorial, exigente, ciumento, manipulador, alimenta a louca ideia da propriedade de um ser sobre o outro, e ao longo da história tem inspirados milhares de crimes passionais, levado seres a loucura, a depressão e até a autodestruição.

Tais relacionamentos necessitam de cura, apesar de serem chamados de amorosos se assemelham muito mais a uma patologia do que a um relacionamento saudável, as pessoas se transformam por conta desta relação, tornando-se infantis, quando não agressivas, esta agressividade pode ser internalizada e experimentada como depressão, ansiedade, ciúmes, possessividade ou pode ser externalizada, através de violência gratuita verbal ou física.

No entanto, pessoas que já são por natureza amorosas, tendem a se tornam ainda mais amorosas quando se relacionam a dois, são aqueles indivíduos que não irão irradiar alegria só durante o inicio de um novo relacionamento, são pessoas que tendem a construir relacionamentos significativos, com propósitos e que não procura tratar bem somente o seu parceiro, mas todas as pessoas a sua volta.

Você deseja amar verdadeiramente e encontrar sua cara metade?

Se queres ser feliz por meio desta via, primeiro seja um ser mais amoroso consigo e com todos com os quais convive, ame aqueles que estão próximos, exercite a gratidão, a gentileza, o sorriso, a amizade e procure cativar e cultivar o amor por todas as pessoas e, principalmente, busque ser inteiro e procure por outros seres inteiros.

Aquele que procura uma cara metade é porque se sente vazio e este vazio não pode ser preenchido por pessoas a nossa volta, por esta razão, tais relacionamentos se transformam em fontes de grandes frustrações.

Eu escrevi numa postagem anterior intitulada eu quero ter um milhão de amigos o seguinte:

"Todos os relacionamentos existentes em nossas vidas são oportunidades de crescimento, aprendizado, amadurecimento, desenvolvimento, autoconhecimento, cura, libertação e encontro consigo mesmo".

O mesmo, portanto, se aplica a relação amorosa, vivenciar um relacionamento a dois é uma oportunidade para se cultivar o amor e este amor precisa crescer e ser estendido a todos a nossa volta, o amor não pode ficar limitado a uma só pessoa (não estou aqui me referindo a Eros ou incentivando o relacionamento aberto, me refiro a atitude amorosa).

A própria natureza do amor é o ilimitado, o transcendente, portanto, o amor quando devotado a uma só pessoa, ele é sufocado, aprisionado e tende a morrer ou a se desvirtuar.

Portanto se hoje você está tendo a oportunidade de viver uma vida a dois, procure estender este sentimento amoroso, exercite a atenção para com todos os seus semelhantes, pratique a gentileza, tenha a mente aberta, busque julgar menos e compreender mais, e assim com certeza o seu relacionamento a dois se enriquecerá verdadeiramente e você será capaz de manifestar mais e mais amor por seu conjuge.

Mas se você no momento não está se relacionando com ninguém neste sentido, seja amoroso consigo, com todos, com tudo, cultive o amor, dar e receber é a mesma coisa, porque tudo aquilo que você oferece ao mundo, cresce em abundância para ti mesmo!

E quando surgir a oportunidade de vivenciar uma vida a dois, você terá muito amor, afeto, sinceridade, autenticidade, alegria, maturidade para compartilhar com o outro, porque afinal você é um ser inteiro e não uma metade!

Fonte:
http://dedentrodamatrix.blogspot.com/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...