quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O Tempo e a Previsão do Futuro


a)
Para não recuarmos muito, e mantermos o foco, vamos começar a partir do momento em que os planos universais (do físico ao átmico) já estão organizados (7 Tatwas), e Prana existe e os anima. Sendo o espaço uma qualidade do Akasha tatwa. Complemento (a): O universo ao se manifestar, é organizado em 7 planos, e a cada um corresponde um Tatwa. É o espelho do que é o ser humano: os 3 primeiros correspondem ao espírito e os 4 outros ao universo em evolução.

b) 
O Prana, matéria vital que tem por centro o (e se expande do Sol) até os confins de cada plano é composto por inumeráveis pontos, átomos solares, átomos Anu no plano de nossa existência. Complemento (b): O Prana é a energia que torna possível o que se conceitua como vida, dos homens, dos planos e dos astros. Emana a partir de um ponto no universo, daí para as galáxias e daí para os sistemas solares. A forma correta de imaginarmos o Sol, é como se nosso sistema solar fosse uma placenta. O Sol é o cordão umbilical.

c) 
É preciso lembrar que, um átomo formador de Prâna, um átomo solar, não é o mesmo que um átomo físico. Os planos (físico, vital, astral, mental concreto, mental abstrato, budhico, átmico) interpenetram-se, sempre estando o mais sutil nos espaços do mais denso. Sempre um plano mais sutil, reúnem-se na razão de 7 para 1, para formar um átomo do plano mais denso seguinte. Assim, 7 Atmico fazem um Budhico. 7 Budhico fazem um mental abstrato, etc, até gerarem 1 do plano físico. Operando ainda a variação de composição de cada átomo Anu.Isto, obedecendo-se a expansão e retração de cada tatwa, responsável pela geração física de cada plano existencial no universo manifestado. No processo de solve e coagula, voltando parte para o Akasha, a cada expansão. Complemento (c): um átomo do plano físico tem em si, os demais planos, uma vez que, para formar cada átomo de um plano, são necessários 7 do plano imediatamente superior. Daí dá para ver que qdo se diz que a divindade está em nós, não é só no sentido figurado. Cada um dos planos (no momento) a começar pelo Akasha até o mais denso, é formado pela expansão e contração do anterior.

d) 
Os átomos solares são de diversas classes, dependendo do predomínio dos tatwas (sempre formado na razão de 5 Tatwas para 8 partes. 4/8 e mais 4 partes de 1/8). Esta é a base da manifestação cósmica. Complemento (d): isto equivale a dizer, que a água tem em si 4 partes de água (apas), 1 parte te fogo (tejas), 1 parte de ar (vayu) e 1 parte de terra (pritivi). Lembrar que os elementos sutis, não correspondem ao elemento físico, mas ao “espírito” do elemento físico.

e) 
Muito bem, então, o Prana é formado por inumeráveis átomos solares. Estes átomos anu, tem o nome de Truti. Complemento (e): cada partícula de Prana, a energia que emana do Sol (visível, etc) é formada por um conjunto de átomos solares (na verdade partículas de consciência/energia), e cada um destes átomos tem o nome de Truti.

f) 
A polaridade destes átomos solares, agindo nos planos é definida pela distância com relação ao sua origem: os mais distantes são mais frios, fazendo equilíbrio com os mais próximos. Assim, o Prana externo ao nosso planeta (e que lhe dá a forma de vayu, arredondada) é solar, comparado com o interno, lunar, e sucessivamente, até os confins do universo. Este movimento do Prana lunar e solar, baseado em sua inclinação/projeção com relação ao Sol é que faz a rotação da Terra acontecer. Da mesma forma, isto é o responsável pelo movimento do sistema solar dentro da galáxia, e da Galáxia no universo (as elípticas). E é este movimento que, como dissemos antes, gera a polaridade que mantém o que chamamos de vida humana (cérebro-coração). Complemento (f1): o Prana que emana do sol do nosso sistema solar, é positivo logo que é gerado e, na medida em que se afasta até o fim do sistema solar, é negativo. Este negativo, depois volta ao Sol, para transformar-se, da mesma forma que é a respiração humana. (f2) Então, um Truti é uma unidade primordial mantenedora da vida, e é uma perfeita matriz da consciência cósmica, que se expande em todas as direções do universo, levando vida tatwica. (f3) O Prana que respiremos, é do mesmo tipo, e tem a mesma consciência, de um que está neste momento, nos confins do universo. E da mesma forma que na respiração, estes átomos, voltam sempre ao ponto de partida, após um ciclo, como em um continuo movimento cósmico de respiração: Isto é que é o hansa(ave de hansa), na verdade o "sa" e o "han", pois o primeiro movimento na geração do universo é uma expiração (o chamado "hálito de deus") de Parabrahmam. (f4) Este movimento de respiração do Sol, em nosso sistema solar, tem um pulso a cada 11 anos. As impurezas (desvios de Lei) voltam como manchas solares. Complemento (f2): O Truti, então, como átomo solar, tem em si, toda a vida energia/consciência do “umbigo” do plano. Como falamos antes, este movimento de expansão/retração, é o batimento do “coração do sistema solar”, do coração da galáxia, e do coração do universo.

g) 
Cada Truti é uma individualidade, enviando seus raios tatwicos em todas as direções, na medida em que se desloca pelo universo (no macrocosmos ou no microcosmos). Cada Truti, no plano, é uma envoltura de vida que, tem em si, o espaço, a matéria, o tempo e a consciência. É uma miniatura do macrocosmos, e é isto que recebemos a cada inspiração. Esta é a chave da compreensão da mente humana e da mente cósmica. Complemento (g): cada átomo solar é gerado a partir do umbigo do universo e, portanto, tem em si, toda a compreensão, energia e consciência, e é isto que vai ser espargido par todos os seres. No caso do ser humano, através da respiração.

h)
Conforme o Truti vai se deslocando no espaço (akasha), vai adquirindo experiência e este deslocamento cria a sensação que, humanamente, chamamos tempo. Complemento (h): esta “experiência” decorre do contato do átomo com os corpos mais densos (como a diferença entre o oxigênio inspirado e o gás carbônico expirado).

i) 
Assim, então, um Truti é ao mesmo tempo: uma unidade existencial, e é uma medida de tempo (que é o tempo de deslocamento do truti sobre si mesmo), no espaço. Um truti, enquanto unidade de tempo, corresponde a 0,66 centésimos de segundo. Complemento (i): a medida de deslocamento do Prana, chama-se Truti, é uma medida de tempo, e corresponde a 0,66 centésimos de segundo 

j) 
Um truti mantém em si, o espelho de tudo o quanto aconteça no universo. Isto liga-se ao tatwa, vivificando-o, e, assim, em uma unidade de Tatwa, temos o histórico de tudo o que o tatwa no seu conjunto já tenha vivenciado em todo o seu circuito de existência (que vai do inicio ao fim da manifestação do universo). Os Tatwas, portanto, são a base do que se chama de Registros Akashicos (que na verdade, acontecem em 5 planos distintos, um para cada tatwa, um para cada plano da manifestação). É aí que está registrada a história do universo e da evolução da transformação de vida energia em vida consciência. Complemento (j): como um truti (átomo solar) emana do próprio umbigo do universo, tem em si, o histórico de tudo o que ocorra, em seu caminho de ida/volta. Cada tatwa, da mesma forma, tem em cada partícula, o histórico de tudo o que já aconteceu em seu plano.

k) 
Quando usamos os sentidos para interagir, a cada ação, tejas tatwa cria uma imagem na matéria mental do que está interagindo conosco, cria um símile: um vriti. A interação diária, cria verdadeiros turbilhões de vritis, que vão nortear as nossas ações/reações no ia a dia da vida (ações, reações, emoções, pensamentos) e, mesmo depois de gerada a ação (ou mesmo se a ação não foi gerada), esta imagem mental, este vriti, fica criado, potencial, latente, ligado aquela pessoa que o criou. Complemento (k): Este é o mecanismo que permite ao ser humano (individuo cósmico) interagir com o plano físico. Os sentidos captam o que acontece no em torno, e enviam imagens para serem analisadas, dando a alma/espírito a visão do plano denso. Estas cópias do que acontece, são os vritis. 

l) 
Tempo, vem da raiz Tam, corte, indicando que o tempo, é um corte no Sempre, e só existe como medida, na manifestação. Complemento (l): Pode-se dizer que o conceito de tempo é mais perceptível quanto mais denso é o plano em questão.

m) 
O que chamamos de presente, do ponto de vista evolucional, é uma decorrente do passado. Da mesma forma que o futuro será uma decorrente do presente. Assim, quer saber o que vc fez em suas experiências anteriores: olhe para vc mesmo! Quer saber quem vc vai ser no futuro: olhe para voce mesmo. Esta mesma base vale para o indivíduo, para a família, para a nação, e para o gênero humano. Complemento (m): Ninguém pode assumir nossas responsabilidades nem nossas criações. Sempre a criatura fica ligada ao seu criador. Uma criatura gerada em desacordo com a Lei, obrigatoriamente, vai ficar ligada ao seu pai-mãe humano, para ser equilibrada. Em que época, não importa. Isto é o karma.

n) 
Sempre as ações de um período constróem a ambiência para as reações do futuro, e o que tenha ficado de pendente (no sentido de desequilíbrio) terá que ser equacionado, sublimado e resolvido (equilibrado). Nós usamos o tempo para separar acontecimentos já levados a efeito (passado) e serem levados a efeito (futuro). Sempre, o que chamamos de poder espiritual, representa o futuro, o vir a ser da evolução. O que chamamos poder temporal, representa o presente, que é resultado do passado. Complemento (n): O tempo é um medidor de eventos densos, atrelado a fatos (criações). Isto serve para um ciclo planetário, para um pensamento ou para uma vida. O processo é o mesmo. O Poder espiritual é futuro simplesmente porque ainda não adquiriu densidade para acontecer. Sempre, no plano mais denso, o presente é resultado do passado: um dia gera o outro, uma vida gera a outra, um sistema planetário gera o outro, um Pramantha gera o outro. (n1) Assim, os registros de todo o cosmos estão no Trutis, átomo Anu. - Os registros de tudo o que acontece em cada plano cósmico estão no tatwa correspondente, em cada tatwa.- Os registros de toda atividade humana estão no astral/mental, nos Vritis.- Os registros específicos de cada existência, estão nos vritis individulizados, o que chamamos de SansKara (não é mesmo que Sansara, a Roda). Que vai determinar o karma. (n2): nada no universo acontece fora da matéria. E esta matéria é dada pelos tatwas, é animada por Prana, e é modelada pelos seres humanos e pelo próprio universo. Da mesma forma que o ser humano cria a imagem do que ve (Vritis) sendo estes usados para montar o Karma futuro, da mesma forma cada partícula de inteligência cósmica mantém em si, todo o histórico do processo. 

o) 
Tem uma citação no livro “luz no caminho” atribuída a Mabel Colins, mas na verdade, este livro já era usado no oriente há séculos, sendo trazido (publicado) ao ocidente em 1885: “antes que os olhos possam ver, devem ser incapazes de lágrimas”, que dá uma ideia de o porque ao homem foi retirada a capacidade de prever (comum quando a consciência estava no neuro-vegetativo, e introspectada quando passou para o cérebro-espinhal). Antes de saber-se se é possível viajar ao futuro, ou antever o futuro, há que saber-se qual futuro eu desejo ver, e principalmente, qual o uso que eu farei com o conhecimento de fatos futuros. Complemento (o): Sobre a capacidade de visão, é retirada (a visão cósmica), pois sua contemplação por uma mente não preparada, somente causaria desequilíbrio para quem visse e para quem fosse visto, na medida em que ver é criar. Antes do sistema cérebro espinhal, o homem via no astral, pois seu foco era no sistema neuro-vegetativo, como nas criaturas que hoje chamamos de animais.

p) 
É comum dizer-se: “ durante o desenrolar dos acontecimentos...”. Isto, tem em si uma verdade esotérica, pois o futuro está enrolado sobre si mesmo e, na medida em que desacelera, projeta-se no plano mais denso, transformando-se em realidade. Complemento (p): o que é criado pelo ser humano, o futuro mais denso, desce para que a humanidade “usufrua” dele, da mesma forma como a chuva é resultado da condensação do vapor da água. Um conjunto de pensamentos, ações, são as gotículas de vapor, que, entrelaçando-se, descerão para os que a criaram. Esta é a origem do Karma coletivo. Por isto também, pode-se ver, que o futuro do coletivo, do gênero (e do ser humano) é completamente solvível e recuperável, pelos próprios seres humanos. Razão de não haver nada escrito que não possa ser reescrito.

q)
Do ponto de vista cósmico, o futuro desce (verticalizado) e horizontaliza-se, em um eterno porvir, que é o processo de transformação de vida energia em vida consciência. Do ponto de vista de sistema evolucional, nós somos o futuro inimaginável, mas agora somos presente. Assim, da mesma forma, o próximo, é um futuro hoje inimaginável. Complemento (q) : imagine um ser da cadeia planetária que antecedeu a nossa: o que somos nós para ele? O inimaginável! O inconcebível. Seres superiores, habitantes de um “porvir”. Assim é a forma como nós vemos os seres do futuro. 

r) 
Mas como se constrói o futuro: o futuro cósmico não se constrói. Nós podemos vivenciá-lo no processo que se chama iniciação, ou podemos retardá-lo, no processo que se chama geração de Karma, desvios da Lei. O Futuro é o cumprimento da Lei: criação dos universos, das galáxias, dos sistemas, dos globos, das raças, das sub-raças, das famílias, dos seres. Sempre para que o mais sutil assenhore-se da realidade do mais denso, dando a este, o mesmo nível de percepção. Este é o nosso dever, nossa obrigação, construir o futuro como divinos. Complemento (r): O futuro cósmico não se constrói humanamente, pois é a série de diretrizes que implica na vaga de vida entre planetas, na criação dos universos, dos sistemas solares, das galáxias, das hierarquias. Isto é definido na manifestação, na criação dos planos cósmicos. Mas toda a organização da matéria, o que chamamos de evolução, é nossa parte, ao menos a parte que nos cabe. E, neste caso, nossas ações moldam o futuro dos seres que nos precederão: nós mesmos!

s) 
Como se constrói o futuro humano: com o dia a dia! Uma vez que a humanidade desvia-se por consciência ou inconsciência dos desígnios da Lei, o futuro cósmico (Mestres, Avataras, etc) manifestam-se, para restabelecer o fluxo cósmico de equilíbrio e consciência, fazendo com que o futuro, do ponto de vista humano, deixe de existir, uma vez que mesclar-se-á com o presente. Isto é o Sempre: e quando a humanidade para de interferir criando desvios com relação ao futuro. Ao parar de interferir, futuro e presente misturam-se, e passa a haver a previsibilidade cósmica pois o gênero humano não mais cria desvios que submetem tanto o humano quanto o divino (que somos nós mesmos). Complemento (s): Aqui cabe uma frase de Henrique José de Souza, “ Cada um constrói o seu mundo para que o Meu permaneça ignorado”. O construir seu próprio mundo, isolando-se do Todo, do Sempre, é criar desvios da Lei. E o que é desviar-se da Lei, é criar seres (pensamentos, emoções) inconscientes. Estes seres criados, são criaturas, habitantes do universo, da mesma forma como nós somos. E são nossos filhos (na maior parte das vezes, renegados). Só que estes filhos criados por nós, não poderão ser adotados por outra pessoa. Nós teremos que renascer para equilibra-los evolucionalmente.

t) 
Então, respondendo a pergunta: como viajar no tempo e prever o futuro? Viajar no tempo é só deslocar-se através da movimentação da consciência. Assim, hoje, voce já é um viajante do tempo, pois voce é filho de voce mesmo. Voce é hoje fruto do seu próprio passado. Isto é o que do ponto de vista humano, seria uma viagem no tempo: ficar “congelado”, enquanto o tempo passa, e então voce desperta e adquire se estado anterior. O que é isto senão um processo de reencarnação (na escala setenária) de uma Mônada!!! Então hoje, somos todos viajantes do tempo, passado e presente de nós mesmos. O que precisamos é quebrar esta lógica, e deixar que nós, no futuro, sejamos filhos de nós mesmos enquanto divinos, e não de nós mesmos enquanto humanos em lesa-evolução (perpetuando o passado em nós, que são o que chamamos de erros, medos, desejos, etc, etc. As tendências negativa a serem sublimadas).

u) 
E como prever o futuro: isto é muito simples: se voce aprender a “ler” um átomo anu, terá ante seus olhos, todo o passado, presente e futuro do universo manifestado.- Se voce aprender a “ler” o reflexo do akasha tatwa, terá de imediato o acesso a tudo o que foi, é e será falado, e assim, sucessivamente, para cada um dos sentidos humanos, com relação a cada um dos tatwas;- Se voce aprender a ler os registros existentes, os símiles, os Vritis, dos Sanskaras, terá acesso ao futuro do gênero humano, das nações, dos grupos. Complemento (u): aprender a ler, é ver com a intuição, é ser o próprio elemento. Este é o objetivo da evolução, permear a mente concreta/astral (o que chamamos de alma) com a intuição. Neste momento, tudo se descortina ante nossos olhos reais. E como fazer isto: vivendo, aprendendo, agindo! Não é magia, não é presente de deus, nem do karma. É conhecimento, é evolução, é aquisição de consciência.

v) 
Mas o mais importante: como voce consegue prever seu futuro. Isto é muito simples, e não precisa usar de nenhum sidhi (poder): basta ver no seu dia a dia o que voce faz, e analisar, aquilo que só voce mesmo conhece: o que está em sua cabeça, seus pensamentos, suas emoções, seus desejos, sua busca por conhecimento. Isto é a escrita diária do seu futuro, com a mais absoluta certeza.

x) 
Quanto a ler o que está no astral, por meios artificiais que quebram partes da rede vital, levando a navegação (semi) consciente no astral, devemos lembrar que, o astral é plástico e o que está ali é o que queremos ver, não o que é real. Além do mais, devemos lembrar que, “os astros inclinam mas não obrigam”. Desta forma não há determinismo, e o futuro humano pode e deve ser reescrito, para que dele sejam retiradas todas as decorrências das ações contrárias a Lei, porque “dura lex, sed lex”. Complemento (x): Só uma recomendação para que o objeto de nossa aspiração evolucional, seja o desenvolvimento da mente concreta e da intuição. Tudo o que se refere a processos anímicos, era inerente ao ciclo que já passou, cujos resultados não alcançados, nos cabe redimir.

y)
O conhecimento do futuro sempre foi buscado pela humanidade, por todos os meios, por todas as ordens, por todas as religiões, sem nunca terem entendido que, tudo o que pudesse ser visto, poderia ser alterado. E o fato de antever, sem consciência de que pode ser alterado, em si gera um determinismo, levando a aceitação e inação, o que é lesa-evolução. Complemento (y): O futuro humano é completamente mutável, flexível, pois é o resultado das ações realizadas hoje, podendo serem sublimadas a qualquer momento, sempre redirecionando este futuro. Se fosse possível ao ser humano ver o futuro, o fato de ver, mudaria a condição do que foi visto, de mutável para imutável, de flexível para inflexível. Transformaria o provável em determinismo, com resultados imprevisíveis para a própria evolução do gênero. Lembrem-se, um Truti é ao mesmo tempo um átomo primordial e uma medida de tempo.

A letra 'Z' continua a cargo de cada um de nós, pois cada um escreve seu próprio futuro (ou o reescreve, usando Vontade, amor-sabedoria e atividade).

Por Jorge Antonio Oro
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...