segunda-feira, 28 de maio de 2012

Depressão ou Tristeza?


1º Diferenças entre tristeza e depressão:

Depressão:

- Não é um sentimento, mas um conjunto de sintomas que diz respeito a um quadro patológico;

- Não está necessariamente ligada a um fato. Muitas vezes o doente não consegue associar os seus sintomas a nenhum acontecimento:

- Tristeza profunda e alterações metabólicas impedem a vida saudável;

- Podem durar anos;

- Não sara com uma "forcinha" do tipo "vamos a uma festa?"

- Tira o prazer de tudo.

Tristeza:

- É um sentimento comum a todas as pessoas;

- Sempre está ligada a um fato desagradável, como uma briga com o (a) namorado (a), a perda de uma pessoa querida ou do emprego;

- Faz a pessoa se sentir apenas triste;

- Tem duração curta;

- É sempre superada. Um "empurrãozinho" de amigos deixa a pessoa mais animada.

- Não impede que as pessoas sintam alegria em fazer outras coisas.

2º Definição de depressão:

Estar deprimido é diferente das sensações ocasionais de tristeza que fazem parte normalmente da vida. A depressão é uma doença que em geral é acompanhada de alterações do humor, sono, apetite e várias outras funções do organismo. Quem sofre desta doença, geralmente não consegue livrar-se dela com as próprias forças e sentir-se bem. Sem tratamento adequado os sintomas podem persistir por semanas, meses ou anos.

3º Sintomas mais comuns na depressão:

A depressão pode ser de grau leve, moderado ou grave, de acordo com os sintomas relacionados a seguir. Geralmente a pessoa para ser considerada deprimida deve apresentar pelo menos cinco desses sintomas, num prazo mínimo de duas semanas:

- Tristeza persistente; ansiedade; sentimentos de desesperança e pessimismo; sentimentos de culpa e auto-desvalorização; perda de interesse por atividades que antes causavam prazer; insônia ou sonolência excessiva; perda ou excesso de apetite; diminuição da libido; fadiga e sensação de desânimo; inquietação e irritabilidade; dificuldade de concentração, de memorização e de tomar decisões; sintomas físicos persistentes que não respondem a tratamento, como dor de cabeça, distúrbios digestivos etc.; negligência das responsabilidades e da aparência; dificuldade de relacionamento interpessoal com tendência ao isolamento; idéias de morte, de suicídio ou tentativa de suicídio.

4º Possíveis causas da depressão:

Pode ser causada por diversos fatores, isolados ou combinados: implicações genéticas; diminuição no nível dos neurotransmissores cerebrais, tais como a dopamina, serotonina e noradrenalina, as quais são responsáveis pela regulagem das emoções; alterações psíquicas provenientes de "stress' intenso e perdas importantes; por uso de droga, álcool e alguns medicamentos; decorrentes de outras enfermidades crônicas, como a AIDS e câncer; disfunções hormonais e da tireóide; distúrbios neurológicos e outras doenças psiquiátricas.

5º Tipos especiais de depressão:

Depressão pós-parto:

Existem duas formas deste tipo de depressão, uma mais leve e mais comum chamada pelos americanos de "Blues Pospartum", ainda sem tradução para o português, e a outra chamada de depressão pós-parto. O blues é uma condição benigna que se inicia nos primeiros dias após o parto, dura de alguns dias a poucas semanas, é de intensidade leve não requerendo, em geral, uso de medicações, pois é auto-limitada e cede espontaneamente. Caracteriza-se basicamente pelo sentimento de tristeza e choro fácil, que não impedem a realização das tarefas maternais.

A depressão pós-parto é prolongada e assim classificada sempre que iniciada nos primeiros seis meses do pós-parto. É incapacitante requerendo o uso de antidepressivos, e por isso, alguns psiquiatras recomendam a suspensão da amamentação caso seja introduzida medicação antidepressiva.

Psicose maníaco-depressiva:

É um transtorno caracterizado por episódios de mania seguidos ou não de episódios de depressão. Na fase maníaca as principais manifestações são: delírios de grandeza ou de perseguição; diminuição da necessidade de sono (dorme entre 2 a 3 horas por noite); grande confluência de idéias sem conseguir dar prosseguimento a nenhuma delas; fala ininterruptamente, perda do senso de realidade, aumento generalizado da atividade motora. O humor fica exaltado no sentido da alegria contagiante ou da irritabilidade agressiva. Após o episódio o paciente pode restabelecer a normalidade. Na fase depressiva do transtorno bipolar, a mesma é igual ao episódio da depressão recorrente, embora sejam consideradas doenças distintas e que atinge pessoas de estrutura de personalidade psicótica.

6º O tratamento convencional da depressão:

Medicamento antidepressivo e psicoterapia. As fases do tratamento consistem:

1- no tratamento da fase aguda, que tem por objetivo a eliminação dos sintomas da depressão.

2- tratamento de extensão, que seria uma espécie de manutenção após a eliminação dos sintomas para evitar que a doença e apareça.

7º O tratamento holístico da depressão:

O Reiki: que consiste na canalização de energias universais (Rei) e vitais (Ki), através das mãos, direcionando-as para o corpo físico e os chacras, trazendo ressonância no aspecto emocional, mental e espiritual.

Os Florais: são essências de flores que, quando ingeridas, atuam no nível emocional, mas que ressoam também, sobre o corpo físico, a mente e o espírito de forma equilibrativa.

8º Cuidando de você mesmo (a):

Quando se está deprimido (a) é importante: Respeitar suas limitações. Estabeleça metas compatíveis com a sua condição atual.

Reconhecer que pensamentos negativos (de auto-reprovação, desânimo, expectativa de fracasso e outras idéias desse tipo) fazem parte da depressão. Na medida em que você superar a depressão, os pensamentos negativos também irão desaparecer.

Evite tomar decisões importantes durante o episódio depressivo. Se for imprescindível tomar alguma decisão importante, peça ajuda de seu médico, terapeuta ou de alguém que você confie.

Evite uso de drogas e álcool. Pesquisas demonstram que os mesmos podem desencadear ou piorar a depressão. Além de produzir efeitos colaterais perigosos, podem reduzir a eficácia dos medicamentos antidepressivos.

Procure a companhia de outras pessoas, geralmente é melhor do que ficar sozinho nesta fase.

Pratique uma atividade física, como exercícios leves do tipo caminhadas ou bicicleta.

Compreenda que assim como levou tempo para depressão se desenvolver, também demorará algum tempo para que ela desapareça. Lembre-se que os medicamentos antidepressivos podem levar até duas semanas para começar a fazer efeito.

9º Alguns dados estatísticos:

Adolescentes, crianças e até bebês podem sofrer de depressão. E o que é pior, podem crescer assim e levar os adultos a pensar que "esse é o seu jeito". A OMS fez um levantamento para mostrar que a doença não escolhe idade: segundo os dados, 1,9% das crianças e 4,7% dos adolescentes do mundo sofrem do problema. Eles são tristes, têm baixa estima, e desenvolvem uma tendência a autodestruição, que muitas vezes pode acabar em suicídio. A depressão afeta 15-20% das mulheres e 5-10% dos homens. Mulheres são duas vezes mais afetadas que os homens. Aproximadamente 2/3 das pessoas com depressão não fazem tratamento. A maioria dos pacientes deprimidos que não são tratados irão tentar suicídio pelo menos uma vez. 17% deles conseguem se matar. Com tratamento correto, 70-90% dos pacientes se recuperam da depressão.

Por Rubia Prado Carvalho

Fonte:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...