segunda-feira, 30 de julho de 2012

Criança x Adulto


"Em todo adulto espreita uma criança
- uma criança eterna, 
algo que está sempre vindo a ser,
que nunca está completo 
e que solicita cuidado,
atenção e educação incessantes.
Essa é a parte da personalidade humana
que quer desenvolver-se e tornar-se completa."

Carl G. Jung

Oração / Prece de Santo Ignácio de Loyola




Tomai, Senhor, e recebei toda a minha liberdade, 
a minha memória também.

O meu entendimento e toda a minha vontade.

Tudo o que tenho e possuo Vós me destes com Amor.

Todos os dons que me destes, com gratidão Vos devolvo.

Disponde deles, Senhor, segundo a Vossa vontade.

Dai-me somente o Vosso Amor, Vossa graça. Isso me basta.

Nada mais quero pedir.

Amém.




Alma de Cristo, santifica-me!

Corpo de Cristo, salva-me!

Sangue de Cristo, inebria-me!

Água do lado de Cristo, lava-me!

Paixão de Cristo, conforta-me!

Não permitas que me separe de Ti. 

Do inimigo maligno defenda-me. 

Na hora da minha morte, 
chama-me e manda-me ir para Ti. 

Para que com os Teus Santos Te louvem. 

Pelos séculos dos séculos. 

Amém.


Fonte:
Casa de Dom Ignácio de Loyola

Microfisioterapia / Entrevista com Daniel Grosjean / Patrice Benini






























domingo, 29 de julho de 2012

Cor


A cor é uma percepção visual provocada pela ação de um feixe de fótons sobre células especializadas da retina, que transmitem através de informação pré-processada no nervo óptico, impressões para o sistema nervoso.


Cor Comprimento de onda Frequência


vermelho ~ 625-740 nm ~ 480-405 THz
laranja ~ 590-625 nm ~ 510-480 THz
amarelo ~ 565-590 nm ~ 530-510 THz
verde ~ 500-565 nm ~ 600-530 THz
ciano ~ 485-500 nm ~ 620-600 THz
azul ~ 440-485 nm ~ 680-620 THz
violeta ~ 380-440 nm ~ 790-680 THz


A cor de um material é determinada pelas médias de frequência dos pacotes de onda que as suas moléculas constituintes refletem. Um objeto terá determinada cor se não absorver justamente os raios correspondentes à frequência daquela cor.

Assim, um objeto é vermelho se absorve preferencialmente as frequências fora do vermelho.

A cor é relacionada com os diferentes comprimento de onda do espectro eletromagnético. São percebidas pelas pessoas, em faixa específica (zona do visível), e por alguns animais através dos órgãos de visão, como uma sensação que nos permite diferenciar os objetos do espaço com maior precisão.

Considerando as cores como luz, a cor branca resulta da sobreposição de todas as cores primárias(amarelo, azul e vermelho), enquanto o preto é a ausência de luz. Uma luz branca pode ser decomposta em todas as cores (o espectro) por meio de um prisma. Na natureza, esta decomposição origina um arco-íris. Observação: Cores primárias são cores indecomponíveis, sendo o vermelho, o amarelo e o azul. Desde as experiências de Le Blond, em 1730, essas cores vêm sendo consideradas primárias.

Mapa de cores. Observar que cada cor é sempre a intermediária entre as duas vizinhas e que diametralmente opostas estão as cores complementares.

Quando se fala de cor, há que distinguir entre a cor obtida aditivamente (cor luz) ou a cor obtida subtractivamente (cor pigmento).

No primeiro caso, chamado de sistema RGB, temos os objectos que emitem luz (monitores, televisão, Lanternas, etc.) em que a adição de diferentes comprimentos de onda das cores primárias de luz Vermelho + Azul (cobalto) + Verde = Branco.

No segundo sistema (subtractivo ou cor pigmento) iremos manchar uma superfície sem pigmentação (branca) misturando-lhe as cores secundárias da luz (também chamadas de primárias em artes plásticas); Ciano + Magenta + Amarelo.

Este sistema corresponde ao "CMY" das impressoras e serve para obter cor com pigmentos (tintas e objetos não-emissores de luz). Subtraindo os três pigmentos temos uma matiz de cor muito escura, muitas vezes confundido com o preto.

O sistema "CMYK" é utilizado pela Indústria Gráfica nos diversos processo de impressão, como por exemplo: o Off-Set, e o processo Flexográfico, bastante usado na impressão de etiquetas e embalagens.

O "K" da sigla "CMYK" corresponde à cor "Preto" (em inglês, "Black"), sendo que as outras são:

C = Cyan (ciano)
M = Magenta (rosa)
Y = Yellow (amarelo)
K = Black (preto)

Alguns estudiosos afirmam que a letra "K" é usada para o "Preto" ("Black") como referência a palavra "Key", que em inglês significa "Chave". O "Preto" é considerado como "cor chave" na Indústria Gráfica, uma vez que ele é usado para definir detalhes das imagens. Outros afirmam que a letra "K" da palavra "blacK" foi escolhida pois, a sigla "B" é usada pelo "Blue" = "Azul" do sistema RGB.

As cores primárias de luz são as mesmas secundárias de pigmento, tal como as secundárias de luz são as primárias de pigmento. As cores primárias de pigmento combinadas duas a duas, na mesma proporção, geram o seguinte resultado:

magenta + amarelo = vermelho
amarelo + ciano = verde
ciano + magenta = azul cobalto

Focos de luz primária combinados dois a dois geram o seguinte resultado:

azul cobalto + vermelho = magenta
vermelho + verde = amarelo
verde + azul cobalto = ciano

A principal diferença entre um corpo azul (iluminado por luz branca) e uma fonte emissora azul é de que o pigmento azul está a absorver o verde e o vermelho refletindo apenas azul enquanto que a fonte emissora de luz azul emite efetivamente apenas azul. Se o objeto fosse iluminado por essa luz ele continuaria a parecer azul. Mas, se pelo contrário, ele fosse iluminado por uma luz amarela (luz Vermelha + Verde) o corpo pareceria negro.

Note-se ainda que antes da invenção do prisma e da divisão do espectro da luz branca (veja também difração), nada disto era conhecido, pelo que ainda hoje é ensinado nas nossas escolas que Amarelo/Azul/Vermelho são as cores primárias das quais todas as outras são passíveis de ser fabricadas, o que não é incorreto. As cores percebidas por nossos receptores visuais não correspondem as cores encontradas na Natureza.

Na Natureza amarelo, azul e vermelho são as cores de onde todas as outras se originam a partir de suas combinações:

amarelo + azul = verde
vermelho + amarelo = laranja
azul + vermelho = roxo

A combinação de cores primárias formam cores secundárias, que combinadas com cores secundárias formam cores terciárias e assim por diante.

A fim de se poder ajustar os emissores luminosos (lâmpadas, e monitores em geral – displays) com a percepção natural do olho humano, para o qual são projetados e construídos, é preciso criar parâmetros de medida das cores. Os três parâmetros básicos são:
  • Matiz – corresponde à intensidade espectral de cor (isto é, qual o comprimento de onda dominante);
  • Brilho – corresponde à intensidade luminosa (isto é, mais brilho, mais luz, mais "claridade");
  • Saturação – corresponde à pureza espectral relativa da luz (alta saturação = cor bem definida dentro de estreita faixa espectral; baixa saturaçao = cor "indefinida" tendendo ao branco, ampla distribuição espectral).
Interessante notar que as cores mais claras aparentam maior brilho, mas na verdade isto é devido ao efeito combinado de brilho e matiz. Também inclui-se a designação intensidade de cor, que é o efeito combinado de matiz e saturação. Um outro parâmetro que causa alguma confusão é a densidade de cor, que não diz respeito aos emissores e sim aos meios transparentes. A densidade de cor é uma medida do grau de opacidade (absorção da luz), combinado com a intensidade de cor; muito usado na avaliação de pedras preciosas.

Podemos dizer que quando dois diferentes espectros de luz tem o mesmo efeito nos três receptores do olho humano (células-cones), serão percebidos como sendo a mesma cor. A medição dacor é fundamental para se poder criá-la e reproduzí-la com precisão, em especial, nas artes gráficas, arquitetura, alimentação e sinalização. Existem diversos métodos para medição da cor, tais como a tabelas de cores, o círculo cromático e os modelos de cores.

Percepção da cor

A cor é percebida através da visão. O olho humano é capaz de perceber a cor através dos cones (Células cones). A percepção da cor é muito importante para a compreensão de um ambiente.

A cor é algo que nos é tão familiar que se torna para nós difícil compreender que ela não corresponde a propriedades físicas do mundo mas sim à sua representação interna, em nível cerebral. Ou seja, os objectos não têm cor; a cor corresponde a uma sensação interna provocada por estímulos físicos de natureza muito diferente que dão origem à percepção da mesma cor por um ser humano. Não notamos, por exemplo, nenhuma diferença fundamental na cor dos objectos familiares quando se dá uma mudança na iluminação. Para o nosso sistema visual, as cores da pele e dos rostos das pessoas e as cores dos frutos permanecem fundamentalmente invariáveis, embora seja tão difícil conseguir que esse tipo de objecto fique com a cor certa num monitor de televisão.

A cor não tem só que ver com os olhos e com a retina mas também com a informação presente no cérebro. Enquanto, com uma iluminação pobre, um determinado objecto cor de laranja pode ser visto como sendo amarelado ou avermelhado, vemos normalmente mais facilmente com a sua cor certa, laranja, porque é um objecto de que conhecemos perfeitamente a cor. E, se usarmos durante algum tempo óculos com lentes que são verdes de um lado e vermelhas do outro, depois, quando tiramos os óculos, vemos durante algum tempo tudo esverdeado, quando olhamos para um lado, e tudo avermelhado, quando olhamos para o outro. O cérebro aprendeu a corrigir a cor com que «pinta» os objetos para eles terem a cor que se lembra que eles têm; e demora algum tempo a perceber que deve depois deixar de fazer essa correção.

A chamada constância da cor é este fenômeno que faz com que a maioria das cores das superfícies pareçam manter aproximadamente a sua aparência mesmo quando vistas sob iluminação muito diferente. O sistema nervoso, a partir da radiação detectada pela retina, extrai aquilo que é invariante sob mudanças de iluminação. Embora a radiação mude, a nossa mente reconhece certos padrões constantes nos estímulos perceptivos, agrupando e classificando fenômenos diferentes como se fossem iguais. O que vemos não é exactamente «o que está lá fora», mas corresponde a um modelo simplificado da realidade que é de certeza muito mais útil para a nossa sobrevivência.

Os organismos complexos não reagem directamente aos estímulos físicos em si, mas sim à informação sobre os estímulos representada internamente por padrões de actividade neuronal. Se os estímulos fornecem informação sobre a cor, é apenas porque a qualidade sensorial, a que chamamos cor, emerge nos mecanismos sensoriais pelo processo de aprendizagem e é por estes projectada sobre os estímulos. E uma grande variedade de combinações de estímulos muito diferentes podem gerar esse mesmo padrão de actividade neuronal correspondente a um mesmo atributo de uma qualidade sensorial. São essas qualidades sensoriais que permitem aos seres vivos detectar a presença de comida ou de predadores, sob condições de luz diferentes e em ambiente variados. Correspondem a um modelo simplificado do mundo que permite uma avaliação rápida de situações complexas e que se mostrou útil e adequado à manutenção de uma dada espécie.

O nosso sistema sensorial faz emergir todo um contínuo muito vasto de cores com as diferenças de tonalidades que nós aprendemos a categorizar, associando determinados nomes a certas bandas de tonalidade (com uma definição extremamente vaga). É este hábito humano de categorizar que nos faz imaginar que o nosso sistema nervoso faz uma detecção «objetiva» de uma determinada cor que existe no mundo exterior.

Círculo cromático

A cor pode ser representada utilizando um círculo cromático. Um círculo de cor é uma maneira de representar o espectro visível de forma circular. As cores são arrumadas em seqüência em uma circunferência na ordem da frequência espectral.

Combinação de cores

Os artistas, designers e arquitetos usam as cores para causar situações na percepção humana. As cores podem se combinar para geração destes efeitos. Por exemplo, pode se conseguir, com correta combinação, um ambiente mais calmo, uma pintura mais suave, desde que usemos percentagens de cores proporcionais e relacionadas.

Cultura e influência

Culturas distintas podem ter diferentes significados para determinadas cores. A cor vermelha foi utilizada no Império Romano, pelos nazis e comunistas. Usualmente é também a cor predominante utilizada em redes de alimentação fast food. O vermelho é a cor do sangue e naturalmente provoca uma reação de atenção nos indivíduos. Outras cores possuem significados diferentes em culturas diferentes, como por exemplo o luto.

A COR, elemento indissociável do nosso cotidiano, exerce especial importância sobretudo nas Artes Visuais.

Na Pintura, Escultura, Arquitectura, Moda, Cerâmica, Artes Gráficas, Fotografia, Cinema, Espectáculo etc, ela é geradora de emoções e sensações.

A cor tem vida em si mesma e sempre atraiu e causou no ser humano de todas as épocas, predilecção por determinadas harmonias de acordo especialmente com factores de civilização, evolução do gosto e especialmente pelas influências e directrizes que a arte marca.

Através da teoria da cor, do uso de várias gamas cromáticas, da sua aplicação e experimentação práticas, irão ser ministrados conhecimentos que lhe permitirão descobrir e explorar por si mesmo o mundo extraordinário da "harmonia das cores" e passar a exprimir-se com maior segurança através do cromatismo. Entre tudo cores que combinam, por exemplo, rosa e magenta, azul celeste, etc.

Tabela de cores

Marrom / Castanho
Preto
Cinza escuro
Cinza
Cinzento
Prata
Pele
Branco
Bege
Amarelo
Laranja
Laranja claro
Vermelho
Escarlate
Carmesim
Carmim
Bordô
Rosa
Magenta
Vinho
Violeta
Roxo
Azul escuro
Azul
Azul claro
Ciano
Turquesa
Verde escuro
Verde
Verde claro

Fonte: Wikipédia

Concerto: Violinos e Flautas

sábado, 28 de julho de 2012

Poema Viagem


Viajantes somos desta longa estrada,
A vagar meio cegos e inconscientes,
Esquecemos, a muito, o local da partida,
Assim como, até, o ponto da chegada.

Só temos a ilusão de que a viagem é real,
Empoeirados estamos desta longa estrada,
A roupa agora já em andrajos, os pés feridos,
A alma em chagas, quem nos guia é o espírito.

Esquecidos, por certo, de missão e destino,
Distraídos pelas belas paisagens do entorno,
Desperdiçando o tempo, como se meninos,
Despreocupados, mas sentindo um vazio.

Relembrar, ainda que por instantes, as estrelas,
Procurar, através delas, perceber o sul e o norte,
Desapegar-se do aqui e do agora e concentrar-se,
Que o que importa é a viagem, mais que a sorte.


Márcio Filgueiras de Amorim

Os 7 Pecados Capitais


A Gula

Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida.


Segundo tal visão, esse pecado também está relacionado ao egoísmo humano: querer ter sempre mais e mais, não se contentando com o que já tem, uma forma de cobiça. Ela seria controlada pelo uso da virtude da temperança. 


A Avareza


É o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro, priorizando-os e deixando Deus em segundo plano. É considerado o pecado mais tolo por se firmar em possibilidades.


Na concepção cristã, a avareza é considerada um dos sete pecados capitais, pois o avarento prefere os bens materiais ao convívio com Deus. Neste sentido, o pecado da avareza conduz à idolatria, que significa tratar algo, que não é Deus, como se fosse Deus.


Avareza, no cristianismo, é sinônimo de ganância, ou seja, é a vontade exagerada de possuir qualquer coisa. Mais caracteristicamente é um desejo descontrolado, uma cobiça de bens materiais e dinheiro, ganância. Mas existe também avareza por informação ou por indivíduos, por exemplo. 


A Luxúria


A luxúria é o desejo passional e egoísta por todo o prazer sensual e material. Também pode ser entendido em seu sentido original: “deixar-se dominar pelas paixões”.


Consiste no apego aos prazeres carnais, corrupção de costumes; sexualidade extrema, lascívia e sensualidade. 


A Ira


A Ira é o intenso e descontrolado sentimento de raiva, ódio, rancor que pode ou não gerar sentimento de vingança. É um sentimento mental que conflita o agente causador da ira e o irado.


A ira torna a pessoa furiosa e descontrolada com o desejo de destruir aquilo que provocou sua ira, que é algo que provoca a pessoa. Segundo a Igreja Católica, a ira não atenta apenas contra os outros, mas pode voltar-se contra aquele que deixa o ódio plantar sementes em seu coração. Seguindo esta linha de raciocínio, o castigo e a execução do causador pertencem a Deus. 


A Inveja


A inveja é considerada pecado porque uma pessoa invejosa ignora suas próprias bênçãos e prioriza o status de outra pessoa no lugar do próprio crescimento espiritual.


É o desejo exagerado por posses, status, habilidades e tudo que outra pessoa tem e consegue. O invejoso ignora tudo o que é e possui para cobiçar o que é do próximo.


A inveja é frequentemente confundida com o pecado capital da Avareza, um desejo por riqueza material, a qual pode ou não pertencer a outros. A inveja na forma de ciúme é proibida nos Dez Mandamentos da Bíblia. Do latim invidia, que quer dizer olhar com malícia.


A Preguiça


A Igreja Católica apresenta a preguiça como um dos sete pecados capitais, caracterizado pela pessoa que vive em estado de falta de capricho, de esmero, de empenho, em negligência, desleixo, morosidade, lentidão e moleza, de causa orgânica ou psíquica, que a leva à inatividade acentuada. Aversão ao trabalho, frequentemente associada ao ócio, vadiagem. 


A Vaidade ou Orgulho


Conhecida como soberba, é associada à orgulho excessivo, arrogância e vaidade.


Em paralelo, segundo o filósofo Tomás de Aquino, a soberba era um pecado tão grandioso que era fora de série, devendo ser tratado em separado do resto e merecendo uma atenção especial. Aquino tratava em separado a questão da vaidade, como sendo também um pecado, mas a Igreja Católica decidiu unir a vaidade à soberba, acreditando que neles havia um mesmo componente de vanglória, devendo ser então estudados e tratados conjuntamente. 

De acordo com o livro Sacred Origins of Profound Things (Origens Sagradas de Coisas Profundas), de Charles Panati, a teóloga Beatrice G. aponta que o monge grego Fernando T. teria escrito uma lista de oito crimes (culpas) e "paixões" humanas, em ordem crescente de importância (ou gravidade):
  • Gula (desequilíbrio da alimentação)
  • Avareza (ganância, desequilíbrio do ter)
  • Luxúria (desequilíbrio do prazer que o luxo trás, normalmente ligado ao sexo)
  • Ira (desequilíbrio da emoção)
  • Melancolia (depressão, desequilíbrio da autoestima para baixo)
  • Preguiça (desequilíbrio do descanso)
  • Orgulho (desequilíbrio da autoestima para cima)
  • Vanglória (vaidade, desequilíbrio da humildade)
Os pecados tornavam-se piores à medida que tornassem a pessoa mais egocêntrica, com o orgulho ou soberba sendo o supra-sumo dessa fixação do ser humano em relação a si mesmo. Isso o afasta do espírito que é sua origem em Deus.


Segundo Papa Gregório I

No final do século VI o Papa Gregório I reduziu a lista a sete itens, juntando "vaidade" e "orgulho" (ou "soberba") e trocando "acídia" e "melancolia" por "inveja". Para fazer sua própria hierarquia, o pontífice colocou em ordem decrescente os pecados que mais ofendiam ao amor:
  1. Orgulho;
  2. Inveja;
  3. Ira;
  4. Indolência;
  5. Avareza
  6. Gula;
  7. Luxúria.
Segundo São Tomás de Aquino

Mais tarde, outros teólogos, entre eles, Tomás de Aquino analisaram novamente a gravidade dos pecados e fizeram mais uma lista. No século XVII, a igreja substituiu "melancolia" – considerado um pecado demasiado vago – por "preguiça".


Assim, atualmente aceita-se a seguinte lista dos sete pecados capitais:
  1. Vaidade;
  2. Inveja;
  3. Ira;
  4. Preguiça;
  5. Avareza
  6. Gula;
  7. Luxúria.
Os pecados são diretamente opostos às Sete Virtudes, que pregam o exato oposto dos Sete Pecados capitais inclusive servindo como salvação aos pecadores.


Comparação com os demônios

Em 1589, Peter Binsfeld comparou cada um dos pecados capitais com seus respectivos demônios seguindo os significados mais usados. De acordo com Binsfeld's Classification of Demons, esta comparação segue o esquema:
  • Asmodeus - Luxúria
  • Belzebu - Gula
  • Mammon - Ganância
  • Belphegor - Preguiça
  • Azazel - Ira
  • Leviatã - Inveja
  • Lúcifer - Orgulho

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Cabe a ti fazeres deste dia o dia mais maravilhoso...


"Cabe a ti fazeres deste dia o dia mais maravilhoso que tu jamais tenhas vivido, através da tua correta atitude e graças ao teu pensamento positivo. Considera este dia como o Meu dia, um dia plenamente abençoado por Mim, e vê-o desenrolar-se, para ti, numa verdadeira perfeição, não tendo, tu, sequer um pensamento de decepção que o destrua. Porque, ficares desiludido pelo que este dia te possa trazer? Lembra-te que és tu que o controlas totalmente. Tu és senhor da situação; portanto, a maneira pela qual o dia se desenrola depende de ti. Face a um problema, sabe que há uma resposta, por isso nunca desanimas. Vê-o como um degrau; vê-o como um desafio, e a solução se revelará. Nunca, mas nunca mesmo, permitas que os problemas te controlem. Capacita-te disso. Tu deves fazer um esforço para teres pensamentos positivos, para pensares grande, e para pensares no êxito. Depois, passo a passo, vê surgir a solução."

Abrindo Portas Interiores
Eileen Caddy
Findhorn

O Processo Ho’oponopono


Quando sofremos com algum problema, seja ele um problema de relacionamento com outra pessoa, problema de saúde, ou quando a auto-estima está em baixa, quando nada parece dar certo, ou não ter solução em vista, o que continuamos fazendo? Continuamos buscando soluções e respostas através da atividade da mente, da análise de experiências passadas, do conhecimento adquirido ou consultado, tudo isso é o intelecto querendo resolver os problemas. Mas pelo Ho’oponopono compreendemos que o intelecto não dispõe dos recursos para resolver problemas, ele só pode manejá-los. E manejar não resolve problemas.

Ao fazer o Ho’oponopono você pede a Deus, a Divindade, para limpar, purificar a origem destes problemas, que são as recordações, as memórias se repetindo em sua Mente Subconsciente. Você assim neutraliza a energia que você associa à determinada pessoa, lugar ou coisa. No processo esta energia é libertada e transmutada em pura luz pela Divindade. E dentro de você o espaço liberado é preenchido pela luz da Divindade. Então, no Ho’oponopono não há culpa, não é necessário reviver sofrimento, não importa saber o porquê do problema, de quem é a culpa, ou sua origem. A sua responsabilidade está em não permitir que o padrão se repita, gerando mais problemas, perpetuando a condição de sofrimento. Isso porque o ser humano só pode viver de duas maneiras: uma, pela programação adquirida, memórias se repetindo, a outra pelas inspirações, que são divinas.

No momento que você nota dentro de si algum incômodo em relação a uma pessoa, ou lugar, acontecimento ou coisa, inicie o processo de limpeza, peça a Deus:

“Divindade, limpe em mim as memórias que estão causando este problema. Transmute-as em pura luz”

Então use as frases desta sequência: 


“Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato.” 

Por várias vezes, você pode destacar uma que lhe toca mais naquele momento e repeti-la. Deixe sua intuição lhe guiar.

Quando você diz “Sinto muito” você reconhece que algo (não importa se saber o que) penetrou no seu sistema corpo/mente. Você quer o perdão interior pelo o que lhe trouxe aquilo.

Ao dizer “Me perdoe” você não está pedindo a Deus para te perdoar, você está pedindo a Deus para te ajudar se perdoar.

“Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo, religa você ao Divino.

“Sou grato” é a sua expressão de gratidão, sua fé que tudo será resolvido para o bem maior de todos envolvidos.

A partir deste momento o que acontece a seguir é determinado pela Divindade, você pode ser inspirado a tomar alguma ação, qualquer que seja, ou não. Se continuar uma dúvida, continue o processo de limpeza e logo terás a resposta quando completamente limpo.

Lembre-se sempre que o que você vê de errado no próximo também existe em você, somos todos Um, portanto toda cura é auto cura. Na medida em que você melhora o mundo também melhora. Assuma esta responsabilidade. Ninguém mais precisa fazer este processo, só você.

Aqui está a oração original da Kahuna Morrnah Simeona, criadora do Processo Ho’oponopono da Identidade Própria, oração simples e poderosa:

“Divino Criador, pai, mãe, filho em Um...
Se eu, minha família, meus parentes e ancestrais lhe ofendemos, à sua família, parentes e ancestrais em pensamentos, palavras, atos e ações do início da nossa criação até o presente, nós pedimos seu perdão...
Deixe isto limpar, purificar, libertar, cortar todas as recordações, bloqueios, energias e vibrações negativas e transmute estas energias indesejáveis em pura luz...
Assim está feito.”

Faça esta oração em relação a qualquer problema com qualquer pessoa; ao se fazer o apelo ao Divino Criador estamos nos dirigindo à divindade que existe dentro de todas as pessoas, que é a extensão do Divino Criador.

Só é necessário isso.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Voce quer melhorar algo na sua vida?


"Quando voce quiser 
ou desejar melhorar 
qualquer coisa na sua vida, 
existe somente um lugar onde procurar:
dentro de voce mesmo. 
E quando olhar, 
faça-o com amor."

Dr. Hew Len
Ho'oponopono

Poema Teus Olhos


A poesia dos teus olhos
é a poesia mais linda...
e mais colorida.

Tem métrica, tem rima,
tem a sonoridade da música
mais suave da vida.

Teus olhos encantam e vibram
como início de sonho.
Teus olhos dizem doçura,
um mel mais do que doce,...
e mais perfumado.

A poesia que brilha em teus olhos
tem luzes intensas,
é alegria espargindo sorrisos,...
coloridamente felizes.

Teus olhos encantam,
teus olhos seduzem,
teus olhos fascinam.
São dádivas do Amor!

Wanderlino Arruda

terça-feira, 24 de julho de 2012

Pense em alguém que voce goste muito...


Pense em alguém que você goste muito.
Do passado, do presente ou do futuro.
Pode ser um bichinho, um brinquedo, uma pessoa, uma criança, uma situação agradável.
Pense e sinta.
Sinta esse amor, agora, aqui, em você.
Conecte-se com o amor que habita você...

Comece a incluir nessa amorosidade todas as pessoas que estão próximas a você.
Vá expandindo sua capacidade de amar.
Inclua todas as pessoas que você conhece.
Agora inclua as que você não conhece.
Inclua próximas e distantes.
Inclua pessoas que você jamais viu.
Os povos africanos, asiáticos, australianos.
Os povos e tribos de toda a Terra.

Inclua em seu amor todo o planeta, com árvores e insetos. Flores e pássaros. Mares, rios, oceanos.
Inclua a vegetação da Amazonia e da Pantagonia.
Inclua o Mar Morto e o Deserto do Saara.

Inclua todas as religiões.
Como se não houvesse dentro nem fora.
Imagine, como John Lennon, que o mundo é um só.
O mundo é uno. O mundo, o universo, o pluriverso é um só.
Nós somos unas e unos com o uno.

Perceba.

Isto que digo é a verdade.
E só há esse caminho.
Somos a vida da Terra.
Somos a vida do Universo.
Somos a vida do Multiverso.

E quando nossos pequeninos corações humanos se tornam capazes a ir além deste saquinho de pele que chamamos o eu, nos contatamos com a essência da vida. Que é a anossa própria essência e de tudo que é, assim como é.

Caminhemos.Tornamo-nos o caminho a cada passo.
Que cada passo seja um passo de paz.

Que nossa mente se abra...
Abertura para o infinito.
Abertura para a imensidão.
Abertura para a ternura.
Abertura para a sabedoria.
Abertura para a compaixão.

Que todos os seres em todas as esferas e todos os tempos se beneficiem com esse amor imenso que aqui e agora juntas, juntos, nos tornamos. E ao nos tornarmos o amor tudo se torna vida e vida em abundância.

Ame e manifeste esse amor agora!

Mãos em prece,
Monja Coen

O verdadeiro 'viver' é através do 'sentir' por Christine Day


True living is feeling. Feeling and breathing, through the heart, connecting naturally to the light of the Self.
O verdadeiro viver é sentido. Sentindo e respirando, através do coração, conectando naturalmente à luz do Ser.

It is time for you to begin to open up to your own manifesting abilities by awakening to yourself and taking back your power.
É hora de você começar a abrir-se para suas próprias habilidades manifestas pelo seu despertar e retomar o seu poder.

When you surrender your ego mind to your heart you create a direct connection to the light of the Self. #heart over ego
Quando você entrega a sua mente egóica para o seu coração, você cria uma conexão direto com a luz do Ser. #coração sobre o ego.

As you bring your consciousness into an experience and take a breath, your experiences begin to expand, change, or deepen.
À medida que você trouxer a sua consciência para uma experiência e tomar uma respiração, suas experiências começam a se expandir, alterar ou aprofundar.

As you come to live more and more in the heart, you will begin to experience a change in how you meet life's surprises. #no fear
À medida que você vir a viver cada vez mais no coração, você começará a experimentar uma mudança na forma como você se encontra com as surpresas da vida. #não tema

The walls around your heart may protect you from situations and people, but they close you off from your inner guidance.
As paredes em torno do seu coração podem protegê-lo de situações e pessoas, mas elas se fecham para a sua orientação interior.

By completing the self-healing process you will begin to open up into a very different relationship with your physical body.
Ao completar o processo de autocura, você começará a se abrir para uma relação muito diferente com seu corpo físico.

Once you clear, align with, begin to consciously live through your heart, you'll become a conscious co-creator of your world.
Depois de limpar, alinhar, e começar a viver conscientemente através de seu coração, você vai se tornar um co-criador consciente do seu mundo.

Feel your feelings, then with love and compassion forgive yourself. Part of our learning in this lifetime is self-forgiveness.
Sinta seus sentimentos e, em seguida, com amor e compaixão perdoe a si mesmo. Parte de nosso aprendizado nesta vida é o autoperdão.

If you feel that something is missing from life, it could be your connection to the Universal Consciousness.
Se você sente que algo está faltando na vida, ela poderia ser a sua conexão com a Consciência Universal.

The ego's true purpose is to help you organize things in your life and generally keeping the 3rd dimensional things in order.
O verdadeiro propósito do ego é ajudar você a organizar as coisas na sua vida e geralmente manter as coisas da 3ª dimensão em ordem.

You may heal one layer of an issue and have another level of the same issue surface so you can clear another level of emotion.
Você pode curar uma camada de uma questão e ter outro nível da mesma questão na superfície; então você poderá limpar um outro nível dessa emoção.

As you move into a deeper level of awakening you will connect with many other people who are here to support you.
Conforme você move para um nível mais profundo do seu despertar, você irá se conectar com muitas outras pessoas que estão aqui para apoiá-lo.

Our all too human mistakes create ripples that open opportunities for other people to have their human experience. #we're all human
Todos os nossos demasiados erros humanos criam ondulações que abrem oportunidades para que outras pessoas tenham a sua experiência humana. #nós todos somos humanos

As you become realigned to your place on the Universal Grid your point on the grid begins to activate and pulsate with light.
À medida que você se realinha ao seu lugar na Grade Universal, o seu ponto situado na grade começa a ativar e pulsar com a luz.

You keep recreating what you need to learn until you are willing to feel and learn the lesson for your healing. 
Você continua recriando o que você necessita aprender até que você esteja disposto a sentir e aprender a lição para a sua cura.

When you are truly open to living in the moment you will find and align with a new level of the life force within all things.
Quando você está realmente aberto a viver o momento, você vai encontrar e se alinhar com um novo nível de força vital em todas as coisas.

When you generate a new flow of life force within your cells the dense energy connected to illness transforms  the body heals.
Quando você gerar um novo fluxo de força vital dentro de suas células, a energia densa ligada à doença transforma e cura o corpo.

The more you live through your heart and activate your own manifesting potential, the more you'll experience your true passion.
Quanto mais você viver através do seu coração e ativar a sua própria manifestação potencial, mais você vai experimentar sua verdadeira paixão.

It is time for you to allow an unlimited abundance of support and love into your life as well as into the cells of your body.
Já é tempo de você permitir a abundância ilimitada de apoio e amor em sua vida, bem como para as células do seu corpo.

Our ego mind holds us strongly within the 3rd dimensional illusion. We must release this habit of holding onto the mind. #heart
A nossa mente egóica nos mantém fortemente dentro da ilusão da 3ª Dimensão. Nós precisamos liberar este hábito de nos mantermos na mente. #coração

Becoming more awakened brings us into a different state of consciousness and actually changes the vibration in our cells.
Tornando-se mais desperto nos leva a um estado diferente de consciência e realmente muda a vibração em nossas células.

We must learn to let go of old emotional baggage that prevents us from being able to receive and move forward in life.
Precisamos aprender a soltar a velha bagagem emocional que nos impede de ser capaz de receber e progredir na vida.

Everything that we do creates a wave of energy that goes out into the world and can make a difference on this earth plane.
Tudo o que fazemos cria uma onda de energia que sai para o mundo e pode fazer a diferença neste plano terrestre.

You keep recreating what you need to learn until you are willing to feel and learn the lesson for your healing. 
Você continua recriando o que você precisa aprender até que esteja disposta a sentir e aprender a lição para sua cura. 

Christine Day

segunda-feira, 23 de julho de 2012

...por tornar consciente a escuridão...


"Não há despertar de consciências sem dor.
As pessoas farão de tudo,
chegando aos limites do absurdo
para evitar enfrentar a sua própria alma.
Ninguém se torna iluminado
por imaginar figuras de luz,
mas sim por tornar consciente a escuridão."

Carl Jung

Bem x Mal: Equilibrando a Polaridade


Segundo Robert Happé, em seu livro: Consciência é a Resposta:


"Esse é um mundo de polaridades que precisam ser equilibradas. Equilibrar consiste em nos mantermos nem muito à direita, nem muito à esquerda, mas bem no centro, conscientes do positivo e do negativo. Quando o positivo não tem entendimento do negativo fica-se fora de equilíbrio. As experiências que temos na vida deveriam ser nossos mestres; deveríamos extrair-lhes os ensinamentos e seguir com graciosidade para novas experiências. Em função da baixa qualidade da educação, da ignorância e de meias verdades, porém, as forças negativas se proliferam incutindo medo nas pessoas.


O que há de mais negativo, entretanto, é a negação ainda presente da força de Deus que se move dentro de nós! Se colocássemos nossa atenção nessa força, o poder e o amor retornariam às nossas vidas, e poderíamos curar todos os desequilíbrios.


O medo nos leva a perder o senso de equilíbrio, bem como nos rouba a capacidade de ver o bem e o mal com a relatividade que lhes é inerente. Não existe bem e mal, mas sim polaridades que precisamos equilibrar por meio de nossas experiências para ganharmos compreensão.


O caminho para adquirir maestria sobre as energias é permanecermos bem no meio das alegrias e dores da vida, no meio do amor e da raiva, da tristeza e do medo; desse modo, tornamo-nos mestres no manejo dessas energias polarizadas. (Isto não significa que estejamos em cima do muro, mas que não nos fixemos nessas emoções, e que possamos extrair das experiências que contenham emoções boas ou ruins, aprendizados que nos capacitem a evoluir com equilíbrio na vida. - Rúbia Prado).


Tornar-se mestre é a razão que trouxe todos e cada um de nós para este planeta e, também por isso sofremos as tentações da vida. Necessitamos das tentações como meio de avaliarmos nossas escolhas e o nível de nossa consciência.


O Universo não existe por acaso, e nem apenas por força da evolução natural, mas também, por força da intenção e do fogo criador de todos os seres vivos do Universo. Juntos, nós compomos Deus; cada um de nós tem habilidades, energia, desejos e amor. A questão é o que estamos fazendo com essas qualidades. Estamos compartilhando essa energia e ajudando a construir um mundo melhor para todos, ou estamos usando nossas qualidades para controlar o mundo ao nosso redor? A pior manifestação de ganância é o desejo de possuir outro ser humano. Muitos são controlados por outros. Todos precisamos nos libertar dessa programação, praticando a ciência do permitir, da delicadeza, do não ferir.


Quando nossos pensamentos estão focalizados na doação, tornamo-nos livres e a cura se inicia; ao doar estamos acionando a fonte de poder dentro de nós e expressando nossa herança divina.


Uma das leis cósmicas mais importantes é o conhecimento de que todo ser vivo possui a força e o poder de magnetizar para si tudo o que é necessário para seu desenvolvimento e crescimento. Sob esse enfoque compreendemos que os eventos da vida são consonantes com a consciência e a atitude de cada um. Quando, no entanto, percebemos que cada experiência ou situação que vem em nosso caminho carrega em si nossa oportunidade de libertação, praticamos conscientemente, com muito mais determinação a ciência de integrar.


Integração significa equilibrar as polaridades da experiência, encarar a situação e se permitir ser guiado pela intuição. Então, ao invés de fugir ou negar algo que esteja acontecendo simplesmente observe e se pergunte "como posso lidar com essa situação?" e coloque-se disponível para ouvir os ensinamentos que vêm de dentro de você. Desligue-se do processo analítico por um momento e sinta cada aspecto da situação - a partir da intuição você receberá informações sobre como agir. Nossa intuição tem acesso à nossa verdade interior, que é nossa luz, e nosso banco de dados.


Todos temos que lidar com o que gostamos e com o que não gostamos. Essas polaridades estão diretamente relacionadas com nossos aprendizados. Podemos descobri-las em nossas primeiras programações da infância. No geral pensamos e agimos baseados nessas programações sem perguntar o quanto elas refletem nossa identidade atual, e de quem são os valores com os quais conduzimos nossa vida hoje. Temos, portanto, que examinar e entender nossas experiências para poder vir a atrair algo que seja realmente novo.


Se não podemos esclarecer nossas polaridades, ficamos presos numa armadilha e nos forçamos a experienciar aquilo que não queremos. A solução está sempre no presente, no ato de aceitar a vida como ela vem e na prática do equilíbrio. Conforme formos mudando e aprendendo a compartilhar, a receber e a doar, tornamo-nos criativos e adquirimos a consciência de que todos precisam amar e ser amados. Cada um de nós, como seres humanos, e cada ser de todos os reinos está eternamente mudando para atingir a perfeição da unidade.


Se entregue à nova consciência que aguarda sua acolhida para manifestar-se em novas visões. Abandone as opiniões, crenças e atitudes que o prendem a maneiras pouco amorosas de estar na vida. Gaste um pouco mais de tempo procurando conhecer a você mesmo. Medite e se deixe conduzir por sua sabedoria interior que se manifesta através da intuição. Observe o que acontece em sua volta sem críticas ou julgamentos, porém, faça uso do bom senso. Aí então aceite, equilibre tudo e crie paz. "Isso é possível para cada um de nós que o desejar".

Por Rubia Prado Carvalho

domingo, 22 de julho de 2012

Preocupação e Obsessão Mental


Você está desesperado para sair do desespero, não é por aí!
Não se combate a aflição ficando aflito.

Não queira brigar com os pensamentos, faça amizade com sua mente. Cada toque que ela der do tipo: "é tarde, vamos sair logo senão eu vou atrasar", você responde a ela: "obrigado por ter me lembrado, agora eu estou escolhendo a roupa que vou vestir". Envolva-se com a tarefa presente, curta as tonalidades de cores que você tem no guarda roupa, procure observar com qual cor você se sente bem, depois de escolher, diga a si mesmo: vou ficar lindo com essa roupa. Aí, vem a mente com mais um alerta: "corre senão você não vai chegar a tempo". Você responde: "é mesmo, obrigado por me lembrar". Nesse momento, nada de ficar pensando o que pode acontecer se você não conseguir chegar no horário, pois, se fizer isso, você já embarcou na mente e deixou de sentir o momento. Tome seu banho, aceleradinho claro, afinal, você não dispõe de muito tempo, a mente tem razão no que lhe disse. Durante o banho, não fique esbaforido pensando naquilo que você tem por fazer, olhe para o seu chuveiro, sinta a água quente banhando seu corpo, vista-se e saia.

Durante o caminho, procure observar por onde você está passando. Lá vem a mente outra vez, dando o seu alarde: "olha que horas são, você não vai conseguir chegar a tempo, vai perder essa oportunidade, tinha que tomar banho, ficar enrolando para sair, agora que desculpa vai dar para justificar o atraso". "Tudo bem, se não der certo dessa vez eu volto em outra oportunidade, fiz o que podia para estar aqui, depois eu vejo o que for necessário, mas quando eu chegar lá; agora não, eu ainda estou no caminho".

A mente nos arrasta para o passado ou nos lança para o futuro. Para não entrarmos na dela é preciso interagir com a realidade, curtir o presente, envolver-se com as situações que estão a nossa volta, esse é o primeiro passo para a reformulação interior.

Não há uma poção mágica para calar a mente, nem podemos fazer isso, é graças a ela que conseguimos nos situar no tempo e no espaço. A função da mente é nos servir, dando-nos os referenciais para lidarmos com as situações da vida e sermos bem sucedidos na realidade.

No entanto, quando sufocamos nossa expressão, querendo fazer tudo certinho para não dar nenhum fora, elegemos a mente para escolher e decidir por nós. Com o tempo, nos arrependemos amargamente, pois ela não se cala mais, fica ditando as regras, condenando os passos que não foram bem dados durante o dia, e assim por diante.

A primeira coisa que é massacrada por esse domínio da mente são os nossos sentimentos. Eles são os maiores inimigos da mente, talvez seja por isso que ela imediatamente os sufoca, pois, quando sentimos algo, deixamos a mente de lado: ela passa a ser meramente uma assistente daquilo que sentimos.

Assim, portanto, o segundo passo para resgatar seu poder de escolher os próprios pensamentos é manifestar aquilo que você sente.

A gente não consegue de imediato amar tudo e todos. Se fossemos capazes de alcançar esse estado a cada instante da vida, seriamos seres ascensionados. O que conseguimos fazer é curtir cada instante da nossa vida, apreciar as coisas que nos cercam, sem julgar nada; só observar com imparcialidade, pois se você começa a fazer julgamentos, a condenar ou a criticar, você permite que a mente invada seu ser naquele momento, sufocando a apreciação das situações da vida e as sensações causadas por aquilo que você vive naquele momento.

Não espere que logo depois de ler este texto, você se torne senhor absoluto de seus pensamentos. É uma questão de reeducação comportamental, exercício constante de observação do seu estado interior, perante a realidade a sua volta.

Que passo a passo você vá se tornando cada vez mais quem você é. Você é capaz disso, é só uma questão de tempo para você se reequilibrar. Faça o que for necessário e o que foi apontado aqui, abaixe a ansiedade e saiba dar tempo ao tempo.

Valcapelli
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...