quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Hoje: 28 de novembro eclipse lunar


Um eclipse lunar penumbral ocorrerá no dia 28 de novembro de 2012, o segundo deste ano. 

Será visível no leste da Ásia, na Austrália e no oeste da América do Norte. Não será visível no Brasil. É um eclipse da série Saros 145. 

Um eclipse é um fenômeno de rara beleza, privilégio dos seres que habitam o Planeta Terra, é o resultado de uma interessante coincidência entre as dimensões do nosso satélite natural, a Lua, e a distância à nossa estrela, o Sol. 

A Lua tem um diâmetro de aproximadamente 3.476 km e encontra-se a uma distância média de 384.400 km da Terra. 

O Sol, que tem um diâmetro de 1.392.000 km (cerca de 400 vezes maior do que a Lua), fica a uma distância de 150 milhões de km, ou seja, aproximadamente 400 vezes mais distante do que a Lua. 

Como consequência, os diâmetros aparentes do Sol e da Lua, vistos a partir da Terra são muito próximos. 

Um eclipse ocorre sempre que a Terra, a Lua e o Sol estão perfeitamente alinhados. 

Para que o Eclipse Lunar ocorra, é necessário um alinhamento perfeito entre a Terra, a Lua e o Sol. Se todo este alinhamento especial acontecer quando a Terra está entre o Sol e a Lua, observando-se a fase lunar de Lua cheia, acontece um eclipse lunar total.

Veja também:


http://sandralage.blogspot.com.br/2012/11/eclipse-solar-hoje-13-de-novembro.html


E também:


http://eclipse.gsfc.nasa.gov/OH/OHfigures/OH2012-Fig06.pdf


http://eclipse.gsfc.nasa.gov/OH/OH2012.html


http://www.cdcc.usp.br/cda/eventos/index.html






ECLIPSES / SIGNIFICADO PELA ASTROLOGIA

Os astrólogos desde os primórdios da tradição desta ciência, sempre foram apaixonados pelos Eclipses e lhes deram os mais variados significados. Historicamente se atribuiu aos Eclipses desgraças, catástrofes e eles sempre despertaram muitos temores. 

Os astrólogos contemporâneos continuam dando destaque e prestando muita atenção a este fenômeno celeste. No entanto, extraíram deles todo o caráter trágico e dramático, como convém ao homem contemporâneo. 

A origem da palavra Eclipse, vem do grego que significa Desmaio. O seu significado mais essencial portanto deriva do próprio nome: ocultamento, perda de luz. Astronomicamente, o fenômeno ocorre quando um corpo celeste é ocultado parcialmente ou totalmente por outro. Para que isso ocorra três astros precisam estar próxima ou completamente alinhados. Nunca devemos estar “por um fio”, assoberbados ou sem espaço de manobra nas proximidades de um eclipse. O que estiver sob muita pressão irá transbordar ou se romper. Todo eclipse decide algo. 

O melhor modo de se preparar para este fenômeno é eliminar aquilo que não queremos que se mantenha, criando espaço para acontecimentos surpreendentes em todos os setores da nossa vida. 

Eclipse Lunar: Ocorre na Lua Cheia, quando o Sol, a Lua e a Terra estão alinhadas entre si com exatidão. A Lua está completamente imersa na sombra umbral da Terra. Neste tipo de Eclipse a Terra se interpõe entre o Sol e a Lua. 

Como a Lua não tem luz própria, seu brilho vem da luz refletida pelo Sol. Quando a Terra passa entre os dois, impede que a luz do Sol chegue à Lua e ela fica escura. A forma redonda que vemos avançando sobre a Lua é a sombra da Terra. 

No Eclipse Lunar, a sombra que a Terra está projetando sobre a Lua, naquele instante, é vista de forma idêntica por todos que observam da superfície da Terra. 

O Eclipse Lunar provoca um confronto entre passado e futuro, mas é o futuro que deve vencer. Hábitos, apegos e experiências baseadas em comportamentos já conhecidos devem ser substituídos e dar vez a novas direções. O impulso para novas tentativas e possibilidades deve nos guiar e nos libertar de erros e pesos de experiências anteriores. O que não aconteceu até agora e era apenas uma remota possibilidade tende a nos surpreender. Todo potencial pode emergir e tem força para se realizar num futuro próximo. 

O Eclipse tem uma natureza imprevista e seus efeitos são inesperados. Podemos ser pegos numa crise e termos que dedicar total atenção a ela. Portanto, nunca devemos estar no limite de uma situação nas proximidades de um Eclipse. Devemos sempre ter alguma folga e espaço de manobra para podermos lidar com assuntos que emergem na vigência deste fenômeno. 

Os significados básicos do Eclipse são: 

Ocultamento
Esquecimento 
Crise e intensificação  
Aceleração e precipitação 
Inversão 
Mudanças bruscas e inesperadas 

Os pontos ou assuntos tocados pelos Eclipses atingem seu estado crítico. Uma influência do Eclipse, por mais difícil, pode ser a mola que nos impulsione a libertar padrões que impediam um maior desenvolvimento e a busca de experiências novas. Idéias, 'insight', flashes, oportunidades e mesmo pessoas podem surgir inesperadamente em nossas vidas e despertar possibilidades e interesses que estavam inconscientes ou adormecidos. 

Os Eclipses, portanto, podem provocar momentos de extraordinária "visão". Aparece uma idéia, um tema ou um 'insight' que dominam o nosso pensamento durante um Eclipse. Essa visão representa um momento de extrema clareza e entendimento. 

O que é percebido, conscientizado ou sentido, aqui, pode levar meses para ser reconhecido ou digerido. Esta visão, no entanto, representa um daqueles momentos da vida onde nós vemos uma verdade intrínseca sobre nossas vidas ou sobre a VIDA. Este privilégio evoca uma mensagem que domina nossa consciência por meses, mesmo depois do Eclipse. O tema que ocupa nossas mentes, surgido durante este período, pode produzir mudanças espetaculares em nossa consciência. 

O Eclipse Lunar (Lua Cheia) traz sempre uma experiência de despertar e um acontecimento incomum. 

O Eclipse Lunar provoca uma carga adicional nas nossas emoções. Devido à intensidade das emoções e sentimentos que surge, podemos tentar buscar apoio e segurança que são ilusórios. Durante a vigência do Eclipse passamos por uma limpeza. Finalizações, encerramentos, perdas de coisas podem ocorrer. 

Como os Eclipses estão simbolicamente associados à idéia de ocultamento, esquecimento, ocorre uma espécie de desligamento da memória. As pessoas alteram atitudes, consciência e disposição sem se dar conta. Alguma idéia, circunstância, valor, sentimento ou até mesmo uma pessoa podem desaparecer ou cair no esquecimento. Como se a lembrança do que veio antes se apagasse. É uma espécie de suspensão. É como se alguma situação pudesse ser engolida pelo eclipse e caísse no vácuo da escuridão. A sensação é descrita pelas pessoas como uma "puxada de tapete". 

Podemos ser forçados a nos livrar de atitudes, comportamentos, atividades ou pessoas que já foram muito importantes para nós. Crises podem se agravar afetando profundamente o relacionamento com outras pessoas. 

Como se preparar para um Eclipse Lunar 

Primeiro, devemos criar mais espaço para nós mesmos, para lidar com as emoções que estão nos afligindo, pois, o nosso mundo interior está bastante afetado. 

Segundo, devemos dar prioridade às atividades mais concretas, que nos dêem chão e nos coloquem em contato com a realidade. Aquelas que provoquem mais sobrecarga e estímulo para a nossa vida psíquica devem ser evitadas. 

Qualquer Eclipse traz situações inesperadas. A melhor preparação é abrir espaço para confrontar o que vier, para evitar um acúmulo de estresse que ocorre sempre quando já estamos vivemos um esquema de vida muito apertado, intenso e sobrecarregado.

Por Marcia Mattos

Fonte:
http://www.marciamattos.com.br/mm/livrodalua/eclipses.asp






O que é um Eclipse Lunar?

O eclipse lunar é um fenômeno astronômico que ocorre toda vez que a terra fica entre o sol e a lua, exatamente na linha de intersecção de sua órbita com a da lua, a chamada “linha dos nodos”, e sempre que a lua está na fase de lua cheia ou na fase de lua nova. Quando isso ocorre, a lua entra na chamada zona de “umbra” (ou sombra), ou “penumbra” da terra e fica totalmente ou parcialmente invisível durante alguns minutos. 

Para entender melhor: imagine que você pegou uma bola e acendeu uma lanterna na direção dela. A sombra que irá se formar atrás da bola terá uma parte mais clara e outra mais escura. A parte mais escura terá o formato de um cone com a base na bola, e a parte mais clara terá o formato de um cilindro, também com a base (menor) na bola, em volta do cone. O cilindro, ou a região mais clara, é chamado de “penumbra”, espaço de meia sombra que recebe um pouco de luz, e a parte mais escura, o cone, é chamada de “umbra”, parte que não recebe nenhuma luz, completamente escura. 

Com qualquer corpo redondo do sistema solar ocorre o mesmo efeito, e no eclipse lunar também. É como se a lanterna fosse o sol, a bola fosse a terra e a lua estivesse na região do cone, ou “umbra”. Por isso que não conseguimos vê-la durante o eclipse. 

Acontece que a lua, de acordo com a inclinação de sua órbita, pode passar apenas perto da região de “umbra”, causando um eclipse parcial, ou mesmo um eclipse “penumbral” quando ela apenas atravessa a região de penumbra. Este último não pode ser percebido a olho nu, porque a lua permanece praticamente com o mesmo brilho. 

A principal diferença do eclipse lunar e do eclipse solar, que pode ser percebida por nós, é que o eclipse lunar pode ser avistado de qualquer parte do hemisfério terrestre que estiver voltado para a lua. Já um eclipse solar só pode ser avistado do chamado “caminho do eclipse”, que é o caminho que a “umbra” da lua (a ponta do cone) percorre na superfície terrestre quando a lua se encontra entre o sol e a terra. 

Outra diferença é que os eclipses solares costumam durar apenas cerca de 7 minutos, enquanto que o eclipse lunar pode durar até pouco mais de 3 horas, mas a fase total dura cerca de 1h.

Por Caroline Faria

Fonte:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...