sábado, 31 de janeiro de 2015

Sem amor...







"A inteligência sem amor faz você perverso.

A justiça sem amor faz você implacável.

A diplomacia sem amor faz você hipócrita.

O êxito sem amor faz você arrogante.

A riqueza sem amor faz você avaro.

A docilidade sem amor faz você servil.

A pobreza sem amor faz você orgulhoso.

A beleza sem amor faz você fútil.

A autoridade sem amor faz você tirano.

O trabalho sem amor faz você escravo.

A simplicidade sem amor deprecia você.

A oração sem amor faz você introvertido e sem propósito.

A lei sem amor escraviza você.

A política sem amor deixa você egoísta.

A fé sem amor deixa você fanático.

A vida sem amor não tem sentido."


Autor desconhecido

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Diário Secreto de um Discípulo





Vicente Beltrán Anglada (Barcelona, 1915 - 1988) fue escritor y conferenciante de temas esotéricos. Impartió más de 400 conferencias entre los años 1974 y 1988, especialmente entre España y Argentina. Ha escrito más de una docena de libros publicados en español, inglés, portugués, francés e italiano. A través de sus libros ilustró de manera mística temas como la Fraternidad Blanca, Shambala, las fuerzas de la naturaleza, el profundo concepto de ser un iniciado espiritual y desarrolló el tema del Yoga del Corazón o Agni Yoga. Vicente Beltrán Anglada es, para muchos, un autor que hace fácil el entendimiento de conceptos ampliamente discutidos por la Sociedad Teosófica y la Escuela Arcana.


Después de un periodo de silencio, impuesto expresamente por Vicente Beltrán Anglada, hemos tenido acceso a su libro póstumo DIARIO SECRETO DE UN DISCÍPULO. En él se narran algunas de sus experiencias ashramicas, que ha creído oportuno compartir con todos los aspirantes y discípulos encarnados actualmente.


Depois de um período de silêncio, expressamente imposta por Vicente Beltran Anglada, tivemos acesso ao seu livro póstumo Diário Secreto de um Discípulo. Ele narra algumas de suas experiências ashramica, achou por bem compartilhar com todos os aspirantes e discípulos atualmente encarnados.



Download em Espanhol, Francês e Português



Fonte:

Asociación Vicente Beltrán Anglada




quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

... a vida me ensinou...






"A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis, se eu sou amável,
que as pessoas são tristes, se estou triste,
que todos me querem, se eu os quero,
que todos são ruins, se eu os odeio,
que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio,
que há faces amargas, se eu sou amargo,
que o mundo está feliz, se eu estou feliz,
que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva,
que as pessoas são gratas, se eu sou grato.
A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta.
A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim.
Quem quer ser amado, ame."

Mahatma Gandhi

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O universo vivo em você





"Acredito que todos os ensinamentos filosóficos sobre a vida são processos, maneiras de compreender num dado momento um determinado evento e provocar um novo olhar para a realidade. Este novo olhar lança uma mudança, um novo processo que se opera na rede de inter-relações entre você e o mundo. Mas estes ensinamentos não podem ser tomados como verdades absolutas. O erro a que caímos quase sempre é rotularmos este ou aquele ensinamento como uma “verdade”, e assim, perdemos o que mais de amplo e vasto o ensinamento está indicando. Quero dizer que todos os ensinamentos de todos os sábios da humanidade, tais como Sócrates, Platão, Jesus, Buda, Gandhi, São Francisco de Assis, Meister Eckart, Krishnamurti, Sartre, Niestzche, Osho, e muitos, muitos outros, são como dedos apontados para a lua. Você precisa olhar para aquilo que o ensinamento indica e provoca (a lua), e não o ensinamento em si (o dedo). Porque o ensinamento em si é vazio, é um retalho de palavras que entram no cérebro e fazem ou não um certo sentido, dependendo da percepção de cada um. Exemplo: não adianta tentarmos compreender alguém explicar em quinze minutos a teoria da relatividade de Einstein se não temos prévias informações que nos possibilitem o entendimento. Quando o nível de compreensão de algo é mais abstrato, precisamos de um pouco de estudo, um pouco de pré-interesse, caso contrário, com certeza, o dito não nos dirá nada, e nossa reação será hostil.

Os ensinamentos dos sábios são como placas de sinalização. Se você quer ir para São Paulo, você seguirá placas indicativas. Você não pega a placa para si mesmo e imagina que está em São Paulo. Você usa a placa como um meio. Buda dizia que seus ensinamentos eram como um barco que você atravessa até a outra margem. Mas você não leva o barco nas costas depois que atravessa. Buda dizia que os ensinamentos espirituais, se compreendidos, tem uma existência temporária, porque servem para algo, servem para indicar algo, algo além deles mesmos, mas jamais eles mesmos. O erro nosso é sempre imaginar que um pensamento possa conter uma verdade. Verdades são mutáveis num universo sempre transitório. A ciência bem sabe disso, e tem mudado bastante muitos conceitos nas últimas décadas. A física quântica tem revolucionado o mundo subatômico. A micro-biologia tem notáveis estudos que podem beneficiar a humanidade futura no combate a muitos males, antes considerados insolúveis. A espiritualidade está trazendo novos contextos para a vida do homem, hoje não só restrita ao contexto religioso tradicional, mas amplamente divulgada como algo livre, patrimônio do próprio homem, sede da beleza, da bondade, e da compaixão humanas. Religiosidade nada tem a ver com dogmas, mas com amor, com o saber lúcido da poesia da vida. Religiosidade é um bem natural, e jamais pode ser algo imposto de fora para dentro, mas um desejo espontâneo da alma por liberdade, justiça, e paz.

Estes ensinamentos apontam para algo que nada tem a ver com o pensamento. Em verdade, espiritualidade é uma busca do espaço anterior ao pensamento. Uma reconciliação do homem com a natureza, da qual ele sempre fez parte, mas que se divorciou em pensamento e em teorias dogmáticas. O corpo é natureza, e tem sua sabedoria própria. O universo respira por seu corpo, purifica seu sangue, faz você lembrar que precisa comer, dormir, amar... Os ensinamentos são válidos quando despertam amor, quando amadurecem as relações, quando abrem-nos para um silêncio que só os mais íntimos de suas almas conhecem... Os ensinamentos apontam para o seu sempre eterno refúgio: Você mesmo! Ali, você não tem palavras, nem argumentos, nem idéias. Está nu, diante da vida, da natureza. Ali, você é puramente humano. Nem santo, nem pecador. Simplesmente você mesmo. Sem definições nem conclusões."

Swami Sambodh Naseeb

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Só um lembrete...







Só um lembrete...



"A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.

Quando se vê, já são seis horas!

Quando se vê, já é sexta-feira...

Quando se vê, já terminou o ano...

Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.

Quando se vê, já passaram-se 50 anos!

Agora é tarde demais para ser reprovado.

Se me fosse dado, 
um dia, 
outra oportunidade, 
eu nem olhava o relógio.

Seguiria sempre em frente e iria jogando, 
pelo caminho, 
a casca dourada e inútil das horas.

Desta forma, eu digo:

Não deixe de fazer algo que gosta, 
devido à falta de tempo,
pois a única falta que terá,
será desse tempo que infelizmente não voltará mais."

Mario Quintana

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Borboleta





"Havia uma garotinha que gostava de passear pelos jardins.

Um dia, ela viu uma borboleta espetada num espinho e muito cuidadosamente aproximou-se, soltando-a carinhosamente com suas mãozinhas. Nisso a borboleta começou a voar.

Antes de sua partida, porém, a borboleta disse à garotinha:
– Por sua bondade menina linda, vou conceder-lhe seu maior desejo.

A garotinha pensou por um momento e replicou:
– Quero ser feliz.

A borboleta inclinou-se e sussurrou algo no ouvido da garotinha desaparecendo subitamente em seguida.

A garota crescia e ninguém que a rodeava era mais feliz do que ela.

Sempre que alguém lhe perguntava sobre o segredo de sua felicidade, ela somente sorria e respondia:
– Soltei a borboleta e ela me fez ser feliz.

Quando ficou bem velhinha, os vizinhos temeram que o seu segredo fabuloso pudesse morrer com ela.
– Diga-nos, por favor – eles imploravam – diga-nos o que a borboleta lhe disse.

E a amável velhinha sorriu dizendo:
– Ela me disse simplesmente que todas as pessoas, por mais seguras que pudessem parecer, precisavam de mim, e desde então dediquei minha vida a ajudar todos que me rodeavam."



Todos precisamos de ajuda em algum momento da vida. Quando você ajuda alguém, por menor que seja essa ajuda, você está liberando felicidade para sua vida.

Felicidade implica em ajudar o próximo, se doar. E não pense que sua ajuda é pouca diante dos olhos dos outros. Sempre haverá quem reconheça com grandeza o seu ato. Ainda que você não receba agradecimento a contento, tenha certeza de que Deus, em sua plenitude estará retribuindo sua ajuda quando você menos esperar.

Quando se doa sem esperar nada em troca, a recompensa é bem maior do que tudo aquilo que um dia almejamos na vida!

O segredo da felicidade está em viver fazendo sua parte para que o mundo seja mais humano, mais solidário, mais digno de se viver. Se assim o fizer, a recompensa não tardará a bater à sua porta trazendo-lhe a felicidade!

Autor Desconhecido

sábado, 10 de janeiro de 2015

...mas não aprendemos ainda a conviver como irmãos...








"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, 
nem dois fios de cabelo ou grãos iguais. 
A qualidade mais universal é a diversidade."

Michel de Montaigne



“Nós aprendemos a voar
como os pássaros;
a nadar como os peixes,
mas não aprendemos ainda
a conviver como irmãos”.

Martin Luther King



"A lei de ouro do comportamento é a tolerância mútua,
já que nunca pensaremos todos da mesma maneira,
já que nunca veremos senão uma parte da verdade
e sob ângulos diversos."

Mahatma Gandhi



"A tolerância é a melhor das religiões."

Victor Hugo



"Com o andar dos tempos,
mais as atividades da convivência e as trocas genéticas,
acabamos por meter a consciência
na cor do sangue e no sal das lágrimas,
e, como se tanto fosse pouco,
fizemos dos olhos uma espécie de espelhos virados para dentro,
com o resultado,
muitas vezes,
de mostrarem eles sem reserva
o que estávamos tratando de negar com a boca."

José Saramago


...peregrinação silenciosa ao seu próprio Ser...







"A verdadeira essência da vida está dentro de você.

Neste exato momento 
você pode se voltar para dentro de si mesmo, 
olhar para dentro de si. 

Nenhuma adoração é necessária, 
nenhuma reza é necessária. 

Tudo o que se precisa 
é uma jornada silenciosa 
em direção ao seu próprio ser. 

Eu chamo isso meditação 
– uma peregrinação silenciosa ao seu próprio ser. 

E no momento em que você encontrar o seu centro, 
você terá encontrado o centro de toda a existência."

Osho


Fonte da Imagem:Mandala Olho do Mundo
de Ana Felix Garjan

domingo, 4 de janeiro de 2015

Que Deus te guarde...






“Que a estrada se erga ao encontro do seu caminho,
Que o vento esteja sempre às suas costas,
Que o sol brilhe sobre a sua face,
Que a chuva caia suave sobre seus campos.

E até que nos encontremos de novo,
Que Deus Te guarde na palma da Tua mão.”

Bênção Irlandesa

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Que um começo seja feito!






"Não importa a perfeição
com a qual podemos realizar
aquilo que deve provir da vontade,
mas sim,
que seja uma vez realizado
o que deve surgir aqui na vida,
mesmo,
se ainda,
surja imperfeito,
de modo que um começo seja feito!"




Nicht auf die Vollkommenheit in der wir ausführen können dasjenige, was gewollt werden muss, kommt es an, sondern darauf, dass das, was hier ins Leben treten muss, auch wenn es noch so unvollkommen ins Leben tritt, einmal getan wird, dass ein Anfang gemacht wird!

Fonte:
HH 98, p. 63. De SH 88. Trad. VWS.
sab / sociedade antroposófica brasileira

Fonte da Imagem:
Joop Zand
(Holanda)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...