quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Pai Nosso Especial






Pai Nosso, que estás nas flores, no canto dos pássaros,
no coração de cada um de nós a pulsar;
que estás na compaixão, na paciência,
na empatia, no amor, no perdão e na gratidão.

Pai Nosso, que estás em mim e em cada um de nós,
que estás naquele que eu amo,
de perto e de longe, naquele que me feriu e magoou,
naquele que em busca da verdade vive e
aprende todos os dias, com tudo e todos.

Santificado seja o Teu Nome por tudo o que é belo,
bom, justo, gracioso e amoroso.

Venha a nós o Teu reino de paz, justiça,
fé, luz, amor e gratidão por cada Ser.

Seja feita a Tua vontade, ainda que minhas rogativas
prezem mais o meu ego e orgulho
do que as minhas reais necessidades.

Perdoa as minhas ofensas, os meus erros, as minhas faltas, e
perdoa, principalmente,
quando se torna frio e insensível o meu coração;

Perdoa-me, assim como eu possa perdoar àqueles que me ofenderem,
mesmo quando meu coração esteja triste, magoado e ferido, e
restabelece a paz e o amor em meu coração.

Não me deixes cair nas tentações dos erros,
vícios, medos e egoísmo. Proteja-me.

E livra-me de todo o mal, de toda violência, de todo infortúnio,
de toda enfermidade, e
também de toda dor desnecessária,
de toda mágoa sem fundamento e de toda ilusão.

Mas, ainda assim, quando tais dificuldades se fizerem necessárias,
que eu tenha força e coragem de dizer:
Obrigado, Pai, por mais esta lição e aprendizado.

Que assim seja!

Amém!

Assim é!

Bênçãos e vitórias a todos!


segunda-feira, 1 de julho de 2019

Sabedoria






O homem comum fala, o sábio escuta, o tolo discute.

Sabedoria oriental


sábado, 1 de junho de 2019

Memória






Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade


quarta-feira, 1 de maio de 2019

Flores...






Flores são flores
Vivas num jardim
Pessoas são boas
Já nascem assim
Flores são flores
Colhidas sem dó
Por alguém que ama
E não quer ficar só

Cazuza


terça-feira, 23 de abril de 2019

Livre arbítrio x Neurociência






O livre-arbítrio, do ponto de vista da neurociência, pode parecer bastante singular. Em um estudo publicado esta semana na revista Scientific Reports, pesquisadores na Austrália foram capazes de prever as escolhas básicas que os participantes fizeram 11 segundos antes de declararem conscientemente suas decisões.

No estudo, 14 participantes - cada um colocado em uma máquina de ressonância magnética funcional - foram mostrados dois padrões, um de faixas horizontais vermelhas e uma de faixas verticais verdes. Eles receberam um máximo de 20 segundos para escolher entre eles. Uma vez que eles tomaram uma decisão, eles apertaram um botão e tiveram 10 segundos para visualizar o padrão o mais forte que podiam. Finalmente, eles foram perguntados “o que você imaginou?” E “quão vívido foi?” Eles responderam a essas perguntas pressionando os botões.

Usando o fMRI para monitorar a atividade cerebral e o aprendizado de máquina para analisar as neuroimagens, os pesquisadores foram capazes de prever que padrão os participantes escolheriam até 11 segundos antes de tomarem a decisão conscientemente. E eles foram capazes de prever quão vivamente os participantes poderiam imaginá-lo.

O principal autor do estudo, Joel Pearson, professor de neurociência cognitiva da Universidade de South Wales, na Austrália, disse que o estudo sugere que traços de pensamentos existem inconscientemente antes de se tornarem conscientes. "Acreditamos que quando nos defrontamos com a escolha entre duas ou mais opções do que pensar, traços não conscientes dos pensamentos já estão lá, um pouco como alucinações inconscientes", disse ele em um comunicado. . “À medida que a decisão sobre o que pensar é feita, as áreas executivas do cérebro escolhem o traço de pensamento que é mais forte. Em outras palavras, se qualquer atividade cerebral pré-existente corresponder a uma de suas escolhas, então seu cérebro estará mais propenso a escolher essa opção à medida que ela for impulsionada pela atividade cerebral pré-existente. ”

O trabalho tem implicações sobre como entendemos pensamentos incômodos: Pearson acredita que as descobertas explicam porque pensar em algo só leva a mais pensamentos sobre o assunto, pois cria “um feedback positivo”. O estudo também sugere que visualizações indesejadas, como aquelas experimentado com transtorno de estresse pós-traumático, começam como pensamentos inconscientes.

Embora este seja apenas um estudo, não é o primeiro a mostrar que os pensamentos podem ser previstos antes de serem conscientes. Como observam os pesquisadores, técnicas semelhantes foram capazes de prever as decisões motoras entre sete e 10 segundos antes de serem conscientes, e decisões abstratas de até quatro segundos antes de serem conscientes . Juntos, esses estudos mostram como entender como o cérebro complica nossa concepção de livre arbítrio.

Os neurocientistas há muito sabem que o cérebro se prepara para agir antes de você estar consciente, e há apenas alguns milissegundosentre o momento em que um pensamento é consciente e quando você o executa. Esses milissegundos nos dão uma chance de conscientemente rejeitar os impulsos inconscientes, parecendo formar uma fundação de livre-arbítrio.

A liberdade, no entanto, pode ser encenada tanto pelo eu inconsciente quanto pelo consciente - e há neurocientistas que afirmam que ser controlado por nosso próprio cérebro inconsciente dificilmente é uma afronta ao livre-arbítrio. Estudos mostrando que os neurocientistas podem prever nossas ações muito antes de estarmos conscientes deles não necessariamente negam o conceito de livre arbítrio, mas certamente complicam nossa concepção de nossas próprias mentes.





Fonte: