terça-feira, 13 de novembro de 2012

Os Corpos da Consciência e a Reencarnação Integral


OS CORPOS DA CONSCIÊNCIA E A REENCARNAÇÃO INTEGRAL:
VIVÊNCIAS PARALELAS, SIMULTÂNEAS E SUCESSIVAS
Ao ser humano é dada a grande missão de viver a vida, com o objetivo principal de evoluir, através do aprendizado contínuo nos diversos níveis do seu ser.
E para que a evolução ocorra de maneira satisfatória, é preciso que cada ser humano se conscientize, que a vida se manifesta não apenas no plano físico, mas também em outras dimensões paralelas a este plano. Além de ter a compreensão da existência de seus diversos corpos. Os quais são instrumentos que a consciência utiliza para se expressar e evoluir, nas diversas dimensões com as quais ela interage. Nós possuímos 8 corpos, onde 4 destes compõem a personalidade encarnada e 4 correspondem aos corpos da alma.
Os corpos da personalidade são:
1º O corpo físico: se encontra na terceira dimensão, é o mais lento e denso dos corpos. É composto de matéria nos estados sólido, líquido e gasoso. Com ele a consciência atua no plano físico, e por necessitar de atenção e cuidados contínuos, pode desviar a atenção da mesma sobre a existência dos demais corpos.
2º O corpo energético ou duplo etérico: Se encontra na quarta dimensão, é uma duplicata do corpo físico, composto de um padrão de energias mais sutis. O duplo permeia todo corpo físico e possui duas funções principais: 1º absorver energias proveniente do sol (o prana), e enviá-las para todas as partes do corpo físico, abastecendo-o de reservas energéticas. 2º Servir de interface entre o corpo físico e o corpo imediatamente superior a este, ou seja,o corpo emocional ou perispiritual, tornando possível a troca de informações entre esses planos. Compõem também o corpo energético, os chacras, (ou centros de força), os quais possibilitam a recepção e a transmissão de vários padrões de energias para os demais corpos.
3º O corpo emocional, perispírito ou corpo astral: se encontra na quinta dimensão, é o corpo responsável pelas nossas emoções. Cada indivíduo atrai e alimenta constantemente esse corpo com as energias emocionas com as quais se afina habitualmente. Esse corpo é o responsável pelas doenças psicossomáticas.
4º O corpo mental inferior: encontra-se na sexta dimensão, é o responsável pela atividade do pensamento do ser humano. Através deste corpo, elaboramos raciocínios e aprendemos novas informações relacionadas ao mundo concreto e objetivo. As doenças mentais se apresentam neste corpo.
Os corpos da alma são:
1º O corpo mental superior ou corpo causal: se localiza na sétima dimensão, é um corpo mais sofisticado e permanente que os anteriores. Ao longo das vidas sucessivas e simultâneas, funciona como repositório de todas as informações e experiências pluri-encarnatórias do ser humano.
Este corpo não possui a mesma forma dos outros corpos. Sua aparência é a de um ovóide de energia pulsante.
O plano causal é a região onde o ser humano pode alcançar a noção do que seja real e do processo de evolução que abrange toda a humanidade. São poucas as pessoas que acessam esse plano e nele podem captar informações sobre sua orígem e a finalidade da existência.
2º O corpo átmico: fica na oitava dimensão e tem a função de armazenar e fazer funcionar todas as leis evolutivas da alma.
3º O corpo búdico: se localiza na nona dimensão, e representa a parte criativa da alma; é ativado pelo sentimento da fé e do amor.
4º O corpo espiritual: fica na décima dimensão, irá absorver a consciência total; é o único corpo que vai restar quando não precisarmos mais reencarnar.
Nós somos seres multidimensionais, e atuamos com nossos 8 corpos em 10 dimensões verticalmente paralelas e diferentes entre si . E para que nossa evolução se manifeste de maneira contínua, tanto para personalidade como para alma, é importante reencarnamos também continuamente para possibilitarmos múltiplos aprendizados para nossa consciência.
O processo reencarnatório acontece de duas maneiras do ponto de vista da personalidade, ou plano da forma e da consciência fragmentada:
1º Reencarnação sucessiva (ou seja, uma vida após a outra):
Acontece quando uma personalidade não conclui uma tarefa que veio realizar no plano físico, ela precisa retornar para concluir e aprender mais. No entanto, antes, precisa passar por um período de descanso e preparação para às próximas experiências, realizando sua programação existencial, no espaço entre-vidas. Isso acontece, principalmente, quando a personalidade desencarna e passa a habitar o plano mental inferior, na 6ª dimensão. Porém, como existe o livre arbítrio, esta personalidade pode não ir para esse plano ao morrer, e ficar mais próxima de seus familiares (tanto no plano energético, na 4ª dimensão, como no plano emocional, na 5ª dimensão). Se isto acontecer, vai prejudicar a evolução da mesma, pois, estes dois últimos planos podem deixar a personalidade desencarnada cheia de carências energéticas e emocionais, transformando-a em potencial obsessora dos seres encarnados que lhes foram próximos. Por isso, é importante que a personalidade ao desencarnar no plano físico, tenha consciência que deve passar por mais duas mortes, descartando o corpo energético e o corpo emocional, através do desapego material e emocional e da passagem pela luz, que é um portal para os planos mais elevados. E preservar apenas um dos corpos da personalidade: o mental inferior. Pois, assim, é possível ir para as colônias espirituais mais elevadas, para se preparar para uma próxima encarnação, com uma melhor qualidade energética e uma programação reencarnatória mais bem elaborada. Perfazendo, com isso, um caminho evolutivo mais positivo e com menos retorno ao plano físico, (por falta de aprendizados ou excesso de repetições).
Quando uma personalidade desce novamente, através do processo de reencarnação sucessiva, ela deixa de existir no seu aspecto anterior desencarnado e assume uma nova face. Ou seja, uma nova personalidade nasce. Porém, tudo o que foi vivido pela personalidade anterior fica registrado no corpo mental inferior desta, de modo que permita fácil acesso, ao conhecimento anterior armazenado para personalidade agora renovada. Por isso, tem pessoas que já nascem com determinados conhecimentos que não precisaram aprender na vida atual. Os gênios poderiam ser explicados através deste processo.
2º Reencarnação de personalidade simultânea:
É importante salientar, que o corpo mental superior, por ser o principal responsável por gerenciar nossas reencarnações, para permitir uma evolução mais rápida, diversificar experiências a serem aprendidas, diluir processos repetitivos e favorecer as interações reencarnatórias com outras almas, pode permitir a descida simultânea de várias personalidades ao mesmo tempo, de uma mesma alma, em diferentes lugares do planeta. (Como mostra a figura acima).
A noção de reencarnação simultânea ou vidas simultâneas, surgiu para mim, através de uma experiência pessoal no ano de 2005, onde me percebi com preguiça de fazer exercícios após o meu expediente de trabalho. E depois de uma auto-análise mais aprofundada sobre esse sintoma, percebi que na realidade estava era com medo de me movimentar e não com preguiça.
Aprendi nesses meus 20 anos de experiência, como terapeuta de regressão às vivências passadas, a me auto-regredir. Embora não aconselhe a generalização desta prática, pois só a realizo por possuir muita experiência e em sintonia com os meus guias espirituais. Então, resolvi buscar a causa do medo de me movimentar, através da auto-regressão e acessei uma personalidade minha paralítica, que eu pensava ser de vida passada, e que vivia nos Estados Unidos. Mas, quando tentei explorar mais essa informação, para minha surpresa, recebi um aviso do meu guia espiritual, que eu não deveria me deslocar mentalmente na direção daquela personalidade paralítica, pois, a mesma estava encarnada, e era sensível a minha energia. Fiquei sem entender essa informação, mas, como é comum da minha personalidade atual, sou curiosa por natureza, e o aviso de não me deslocar mentalmente até lá, foi inútil. Pois, adentrei a história dessa personalidade paralítica ainda com mais afinco, e pude acessar a informação, que a mesma estava com 85 anos, vivia nos EUA trabalhando com idosos, como dona de um hotel geriátrico. E que o motivo da paralisia dela, era devido a um acidente de trânsito, ocorrido 15 anos antes. Onde a mesma além de perder os movimentos, perdera também o marido a quem muito amara. E que o mesmo hoje, seria um sobrinho, a quem muito amo e que estava do meu lado, e já tinha 7 anos na época em que tive conhecimento dessas informações. Ao saber a respeito de tudo isso, pude perceber que o sintoma do medo de me movimentar não era meu, e sim desta outra personalidade. E a consciência disto, me libertou do sintoma anteriormente relatado e pude voltar a me exercitar com mais motivação.
Porém, pedi ao meu guia que me explicasse melhor essa história de vidas simultâneas, já que eu estava impregnada com a idéia da reencarnação das vidas sucessivas. Onde para que houvesse uma reencarnação, deveria haver a morte da personalidade anterior e substituição da mesma para permitir novos aprendizados. Como é pregado na doutrina espírita e nas diversas doutrinas reencarnacionistas. No entanto, esses conceitos em mim arraigados, se ampliaram com essa experiência. Bem como, com a explicação do meu guia, que me orientou a ver que a noção de vida apenas sucessiva era limitada. Porque a alma em si não segue uma evolução linear, ou seja, uma personalidade anterior a atual pode ser mais evoluída que a atual, devido as circunstâncias, escolhas e ações dessa personalidade. E ter aprendido mais e armazenado mais lições do que atualmente. Além disso, uma personalidade pode se recusar a evoluir, por não ter querido nascer. E com isso, se auto bloquear evolutivamente. Porém, se tivermos várias personalidades encarnadas ao mesmo tempo em andamento, a evolução de nossa alma não fica paralisada no tempo e no espaço. Além disso, percebi que a falta de consciência da vida espiritual e de como se adaptar a ela, pode prender uma personalidade desencarnada a uma situação pouco evolutiva. E que traumas ocorridos nos momentos da morte, podem manter a personalidade revivendo esses flashs por muito tempo, até que possa receber ajuda para poder se libertar. E foi isso que observei através de um caso que tratei anos atrás. Onde atendi uma paciente que tinha medo de ficar em locais fechados. E ao buscarmos a causa desse sintoma, através da técnica de regressão de memória, a mesma se viu a mais ou menos 400 anos atrás, em Roma, casada com um homem ruim, e onde a mesma tinha um caso com um de seus escravos. Com quem também teve um filho. E quando esse filho cresceu, apresentou uma aparência parecida com a do escravo. E aí, o marido dela desconfiou da traição e forçou a mesma a contar a verdade. E ela, pensando que o marido apenas a expulsaria de casa, junto com o filho e o amante. E já sem vontade de continuar casada, resolveu contar a verdade. E o marido dela, por maldade, resolveu emparedar os três vivos. Ao ter consciência dessa memória traumática de vida passada, a paciente reconheceu a causa de seu medo atual de ficar presa em lugares fechados. E que o filho do passado, era o mesmo que ela tinha atualmente. Porém, o ex-amante, para surpresa de nós duas, ainda não havia reencarnado e estava preso naquela dimensão espaço-tempo passada. Sem ter conseguido sair do emparedamento, porque simplesmente não sabia como. E nem tinha pedido assistência espiritual para isso. E então, com o conhecimento técnico, espiritual e mediúnico que disponho, pude orientá-lo a sair do aprisionamento em que se encontrava. O mesmo agradeceu bastante e ficou feliz de saber que sua ex-companheira e o seu ex-filho já haviam reencarnado juntos. Isso o tranquilizou também, e ele pode ser socorrido a contento.
Posteriormente, conversando sobre esse caso com uma paciente médium, a mesma me revelou que teve a oportunidade de incorporar, numa sessão mediúnica no centro espírita onde ela frequenta, uma personalidade desencarnada, que estava perdida no tempo e no espaço. E seria uma mulher que havia sido mumificada em torno de mil anos atrás. E quando questionei a paciente, sobre o porque desta personalidade ter ficado tanto tempo perdida, a paciente respondeu que foi por pura falta de consciência de como sair dessa situação.
Porém, refletindo sobre ambos os casos anteriormente citados, me questionei logo em seguida, sobre a justiça reencarnatória nestas situações. Seria justo para com as almas desses dois seres, o bloqueio da evolução de ambos por tanto tempo, se os mesmos dependessem, apenas dessas personalidades que estavam presas ou perdidas, para evoluir? Claro que não, é a minha resposta. O mais justo seria ter vários caminhos evolutivos ao mesmo tempo, e a reencarnação simultânea preenche bem a essa necessidade evolutiva da alma, frente aos percalços do processo de aprendizado kármico.
Ainda tentando entender a questão da reencarnação simultânea, pedi a espiritualidade que me assiste, para ter acesso a algum livro que falasse sobre esse assunto. E este me foi trazido, tempos depois, por um paciente com quem comentei sobre esse tema. Pois o mesmo era estudioso de obras espiritualistas. E ele me trouxe o livro: QUEM FOI VOCÊ? Um Novo Modo de Ver as Vidas Passadas. Da autora Judh Hall, editora Pensamento. Escrito em 1998. E na página 112, no capítulo sobre “Fragmentos da Alma”, a autora escreve sobre a teoria que explica as vidas simultâneas: “ Há também a teoria da mente suprema e suas almas marionetes”. Por essa teoria, a mente suprema aprende por meio dos seus satélites, os quais se encarnam. Cada lição aprendida volta a mente suprema; e aos poucos, as “almas marionetes” também são reabsorvidas pela alma mãe”. A autora finaliza o capítulo com o seguinte comentário: “a alma talvez não seja aquela entidade isolada, individual e independente que nós aqui no ocidente acreditamos que seja”.
Mas recentemente, outro paciente também estudioso de assuntos espiritualistas, me trouxe um texto que ele acessou pela internet, do terapeuta espanhol e especialista a 16 anos em regressão às vivências passadas, David Topí, cujo título era também em espanhol: “ Vidas passadas x Vidas simultâneas”. E outro texto do mesmo autor : “Coexistência de vidas passadas com vidas simultâneas”. (Os esquemas que utilizei aqui neste texto, foram retirados deste último texto de David Topí).
Outro texto que tem circulado pela internet sobre esse assunto é o do teórico quântico, Carlos Claudinei Talli, “As muitas vidas simultâneas”.
É bom saber que os três autores citados anteriormente, encontraram em suas experiências pessoais e terapêuticas, informações acerca das vidas simultâneas, parecidas com as minhas. Pois, isso me dar mais segurança em divulgar para vocês esse assunto, e de convidá-los a refletir sobre o mesmo, transformando assim, os antigos parâmetros de suas percepções e estudos acerca da reencarnação.
Atualmente, como terapeuta de regressão às vivências passadas, tenho direcionado o processo regressivo dos pacientes que atendo, para também buscarem as causas de seus sintomas nas vidas simultâneas. E tenho obtido respostas interessantes, além de mudanças de comportamento a partir do acesso a essas memórias.
CORPO MENTAL SUPERIOR E AS VIDAS SIMULTÂNEAS E SUCESSIVAS
Um aspecto interessante que pude observar, é que quando uma personalidade simultânea desencarna e também a personalidade passada já desencarnada, elas podem migrar para junto de outra que se encontra reencarnada, para ajudar essa parte a desenvolver melhor sua tarefa. Porém, é mais comum observar processos, onde essa migração pode gerar problemas de ordem kármica e emocional. Pois, as personalidades desencarnadas, geralmente, trazem situações mal resolvidas armazenadas nos seus corpos mental inferior, emocional e energético. E isso, pode ser deslocado para o campo vibracional da personalidade que está encarnada, para que a mesma se trabalhe e resolva suas pendências de aprendizado e as das personalidades desencarnadas. Observe o esquema abaixo para compreender melhor essa questão:
processo reencarnatório integral, também abrange a reencarnação no plano da energia, ou plano da consciência desperta. Onde não existe mais a morte e a consciência deixa de habitar os corpos da personalidade, (corpo físico, corpo energético, corpo emocional e corpo mental inferior), e irá habitar os corpos da alma, ( corpo mental superior, corpo átmico, corpo búdico e corpo espiritual), com o objetivo de melhor conhecê-los, dominá-los e desenvolvê-los. Adquirindo suas qualidades, até vir a se tornar um espírito puro e onipresente (fixando seu habitat no último corpo: o espiritual).

Por Rubia Prado Carvalho

Fonte:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...