domingo, 14 de novembro de 2010

Cabala / O Segredo das Letras




"Mudei meu nome! De hoje em diante me chamo Luz ao invés de Lucia. Estou certa que esta mudança vai me abrir o caminho para as coisas boas da vida e me fará muito mais feliz”. Este tipo de declaração se ouve milhares de vezes.

Muitos pensam que ao mudar o nome que lhes foi dado ao nascer, transformarão seu destino para o bem.

Acreditam no poder místico e espiritual das letras hebraicas, as utilizando como amuletos, em meditações e nas Cartas do Tarot.

Nos perguntamos, então, onde nasce a verdade?

A autêntica sabedoria da Cabala afirma que ainda que ajude a um indíviduo psicologicamente a mudar seu nome – especialmente se esta convencido de que o nome que foi dado quando nasceu lhe trouxe má sorte, esta simples modificação não traz uma mudança verdadeira na vida.

O mundo foi criado com a letra *Bet* (segunda letra do alfabeto hebreu).

Quando quis criar o mundo, vieram vê-lo [Ao Criador] todas as letras em ordem decrescente desde a última até a primeira, e quem entrou primeiro foi a letra *Tav*.

Disse ao Senhor: Mestre do Universo, é bom para Ti criar comigo o mundo porque sou a última letra da palavra Verdade (Emet, em hebreu).

E Verdade é Teu nome.

É muito adequado para um Rei começar com a letra da Verdade e me usar para criar o mundo.

Respondeu o Senhor: “Es bela e honesta, mas não es adequada para a criação do mundo”. (Artigo das Letras”, Preâmbulo del Zohar).

Assim começa Rabí Shimon Bar Iojai o Artigo das Letras “do Livro do Zohar que revela o segredo das letras hebraicas.

Em sua linguagem pitoresca nos descreve como se apresentou cada uma das letras ante o Criador, pedindo ser usada para criar o mundo.

Se apresentaram em ordem descendente: começou com a última letra *Tav* e se terminou com a primeira letra *Alef*.

O Criador escuta” o pedido de cada uma das letras, permite que argumentem sua petição, e decide finalmente criar o mundo com a letra *Bet*.

A letra Bet lhe disse: Mestre do Universo, é bom para Ti criar comigo o mundo, porque comigo te bendizem desde cima e de baixo (Esta é a primeira letra da palavra Benção em hebreu: Brajá).

Respondeu o Criador: É claro que criarei o mundo contigo”. (Artigo das Letras”, Preâmbulo do Zohar).

Por quê se criou o mundo com a letra Bet?

E o que tem a ver esta história cabalista, cativante, conosco?

De baixo para cima, de *Tav* a *Alef*.

Segundo a Cabala, cada uma das 22 letras hebréias representam um processo espiritual interno, um estado espiritual específico que ocorre internamente.

Quanto mais se avança em seu caminho espiritual até o Criador, mais partes da realidade espiritual se descobre.

“Cada fase deste progresso é considerado o descobrimento de uma letra” adicional.

O indivíduo sobe a escada espiritual em ordem alfabética, atravessando o mesmo trajeto que o Criador utilizou criando as letras, só que o indivíduo faz de baixo para cima, da última letra até a primeira.

Começa com a letra *Tav*, adquirindo cada uma delas, até chegar a letra *Bet*, que representa o tratamento perfeito do Criador ao criado.

Este avanço começa do estado em que estamos hoje em dia, inconscientes de toda percepção espiritual, e culmina com a revelação do pleno estado espiritual.

O que se encontra por detrás das letras?

A letra *Bet* provêm originalmente da Sefirá de Biná.

Esta representa a atitude do amor e entrega do Criador até o ser humano.

Depois que o homem descobre este tratamento internamente, começa a produzi-lo, a amar e entregar como o Criador, adquirindo a capacidade de perceber o mundo espiritual no processo, até alcançar o nível final do próprio Criador.

Este completo processo espiritual está detalhado numa linguagem crítica na Bíblia.

O cabalista que já se elevou ao nível espiritual é capaz de descobrir o significado espiritual oculto nas Escrituras atrás das formas das letras e palavras.

A raiz da alma – o nome verdadeiro, as combinações que formam as letras entre si nos mostram as diversas possibilidades de revelação do tratamento do Criador a nós.

A ordem em que se escrevem e as conexões entre elas, criam no homem uma mudança constante de sentimentos.

Para quem descobre o segredo das letras, a leitura do texto cabalista se transforma em uma experiência real, mediante a qual se percebe o mundo espiritual e sente a combinação única das letras que compõem seu nome.

O grau espiritual que alcançou é o que entrega ao homem seu nome.

Quando alguém chega ao próximo grau espiritual, sua relação com a Força Superior muda e traz consigo uma mudança de letras, resultando em um nome novo que concorda com o novo grau obtido.

Só quando alcança a última escala, chegando a raiz individual da sua alma, o ser humano recebe seu nome final, o verdadeiro.

É claro que cada um de nós tem uma raiz distinta da alma, cada um tem um nome diferente.

Entretanto, uma mudança artificial de nosso nome não nos ajudará a obter uma vida melhor.

Mas, se desejamos saber qual é o nosso nome verdadeiro, quer dizer , qual á a raiz de nossa alma, realmente melhorando nossa vida no processo, devemos nos elevar até o mundo espiritual e descobri-lo. 


Por Rav Dr. Michael Laitman (pós-graduado em cibernética, doutor em filosofia e Cabala, professor de ontologia e teoria do conhecimento. É fundador e presidente de Bnei Baruj e do Instituto ARI, em Israel.)
Traduzido por Gabriel Ayres
Referência: bnei baruch argentina

Fonte: sua mente
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...